02/02/2007

A saúde de quem nos trata.

Olá gentes das circundantes terras esquecidas do sujo Nabão – digam-me, como vai “essa saúde”? Não, não carece resposta, até porque bem sei que se quisesse realmente saber teria que perguntar a alguém de terras de palha doce. Abre antes que feche...

Pois, ardis à parte, bem sei que há tempo anelais o meu regresso, mas sabem, a fria e cinzenta realidade deste condado à beira do Nabão entalado é pouco convidativa à minha presença, tanto que eu gosto de lugares mais quentes nos afectos e inteligentes e convictos nas causas, mas vá, todos temos de louco um pouco, e masoquista parece que muito, pelo que cá vou voltando qual Madalena arrependida a dar a última de fugida.

E muito haveria para relatar desde a última crónica, sendo talvez o estranho estudo do Expresso que caridosamente ofereceu o décimo segundo lugar a estas terras sem governo em torno do meu condado o mais interessante de referir, mas não é que alguém “algures” se adiantou?!
Esse Cristóvão também deve ser tolinho, mas que importa que Tomar não seja de facto tão bom de se viver como diz o Expresso? Eu por mim, acho que o que é bom é o título, depois a realidade não interessa para nada, e o facto de batermos aos pontos todos as outras cidades do distrito é já motivo abundante para brindarmos e deitarmos uns foguetes, que há tempo longo não temos grandes razões para isso!
Eu por minha augusta decisão já tratei de acertar a data de atribuição do Alto Grau de Mérito e Chave de Ouro do Condado por serviços prestados a esse folhetim do Barão Balsemão, e igual distinção prestarei ao autor da encomenda assim que o descobrir.

O que também ainda mexe é a assembleia não sei que tal do povo e blá, blá, blá, nome pomposo, do hospital. (Eu sei que ainda agora escrevi que o que é bom são títulos, mas também não é preciso complicar tanto). Chame-se-lhe então, assembleia sobre o hospital.
Correm de facto ainda os ecos da dita, e é impressionante como uma coisa que não serve para nada faz correr tanta tinta – salvo seja, que isto é tudo da maior virtualidade.
Eu não estive obviamente presente, que alguém do meu estatuto não se presta a tamanhas patranhas (qualquer dia ainda alguém se lembra de exigir que seja o povo a decidir!), mas porque como toda a grande figura que gosta de cultivar a sua sabedoria e intelectualidade, acaba sempre por saber e informar-se de coisas inúteis, também eu recorri aos meus mui fieis serviçais, sempre por aí infiltrados a perscrutar tudo, para que aqui possa fazer o mais fiel e verosímil retrato.
Quer dizer, mais ou menos, que as mensagens que me chegaram foram um tanto contraditórias... ou não. Uns dizem que Paiva foi coerente, disse no essencial que não quer saber; outros que o PS foi humilhado e que parece que é deles a culpa; outros que Relvas foi levado ao tapete e rebolou; ou que a comunicação social levou bordoada; ou que havia um excesso de laca na mesa sem contar com a das duas senhoras; que não se percebeu bem se as referidas são paivetes ou relvetes; que a Brigada do Reumático já não é o que foi e que Trincão se prepara para a ela pertencer; que o autocarro de Paialvo trouxe os passageiros errados; que o público não foi adestrado o suficiente para saber quando bater palmas e quando não; que o Luís Vicente esteve quase quase quase para dizer alguma coisa, e os outros do PSD estiveram à espera da sua deixa; que o Luís Ferreira não tomou banho; que Bruno Graça e José Serra se olharam de lado, que Paiva olhou de cima, que Corvêlo ninguém o viu, andava parece à procura do pelouro perdido; que por lá estiveram todos os futuros candidatos; que houve malta que se assustou e foi embora; que no final estavam todos aos abraços...
Enfim, confirmo que em verdade não sei, é tudo muito contraditório à parte o facto, esse parece seguro, que aparentemente qualquer dia, talvez, o hospital ainda venha ser tema importante.

Depois, chegaram-me também notícias do aniversário dos apaga fogos cá do sítio - estes literalmente - que é sempre um evento social importante e onde ao que constou, esteve agora especialmente repleto não se sabe se esperando a neve. E como lá não estive ficam dúvidas: terá Carlos Carrão anunciado a sua candidatura, durante o enfado que administrou aos convidados? Ter-se-á Paulo Fonseca dado a entender? Quantos "por o" e "por a" terá dito Paiva? E porque não têm as bombeiras direito a medalhas?

Aos serviços de informação e comunicação do Condado chegaram também alguns e-mail’s com questões, críticas, opiniões diversas que aqui e sem delas atestar veracidade ou acerto faço ainda assim eco, resumidamente e em forma de perguntas:
Haverá ainda “independentes infiltrados” no PS? Algum deles é autarca?
Estalou definitivamente o verniz entre os vereadores PSD, e entre estes e o Príncipe Perfeito?
É Paiva o mais desejado para se suceder a si mesmo?
Quem é o ex-PSD que se perfila para entrar na quinta das rosas?
Pode Carrão vir mesmo a ser presidente de Câmara?
Vai regressar algum exilado do PSD à vida política?
Decidiu já a cúpula do PS local quem vai ser o seu candidato?
Já decidiu Relvas quem vai ser o candidato do PSD?
Porque é o PS o mais atacado na blogolândia, e porque não se identifica ninguém do PSD?
Que peso têm António Alexandre e os irmãos Mendes dentro do PS?
Que peso têm António Fidalgo e Fernando Jesus dentro do PSD?
Vive Tomar uma crise de referências e de capacidade de renovação, a ponto de serem sempre as mesmas caras, as mesmas vozes, por mais cansadas e gastas que estejam, e pode isso justificar que fenómenos como Rosa Dias ou Pedro Marques continuem a almejar alcançar o poder?
É Tomar uma vila de velhos?

Mais temas há a burilar, que a pedra custa a desbastar-se e as sugestões aqui feitas em alguns comentários são de certo pertinentes. Mas por agora ficam estes, que mais seria abuso e como habitual já estou cansado, além de que tenho duas enfermeiras à espera para irmos brincar às ambulâncias.
Bons comentários - e lembrem-se que rir faz bem à saúde e que vem aí o Entrudo, que se mais perto ou na Linhaceira não for, sempre se vê pela televisão!
Nem se percebe porque Tomar não abraça o Carnaval como mais uma coisa sua, pois se por cá se anda sempre a fazer de conta...!

175 comentários:

Anónimo disse...

O Carnaval está próximo, alguns palhaços já andar à solta neste blogue.
Iihhhh...Oohhhh...
Dá-lhe palha, dá-lhe palha!
Iihhhh...oohhhh...Iihhhh...oohhhh...Iihhhh...Oohhhh...Iihhhh...Oohhhh...
Dá-lhe palha, dá-lhe palha!
Iihhhh...oohhhh...Iihhhh...oohhhh...Iihhhh...Oohhhh...

Anónimo disse...

Meu caro Conde gostei da sua crónica.
Tomar dificilmente se rejuvenesce do ponto de vista político. Se alguém ousa aparecer há logo meia dúzia de ilumindados invejosos preparados para a calhoada.
E depois meu caro Conde, por uns míseros 2000 euros, em média de vencimento que se trabalhe a política.
Há mais vida para além da política! Por vezes até mais interessante e sem grande exposição pública, que às vezes é uma maçada.
Há mais vida para além da Câmara, dos partidos e dos candidatos a candidato!
O Sr. Conde é que faz bem vai passaeando, até porque como dizia ainda há pouco em plena rua, no seu caso, pagam-lhe para não fazer nada.
DE facto há gentinha com muita sorte...

Anónimo disse...

Sim Tomar é uma vila de velhos.
Sim Tomar é uma terra do faz de conta, para muitos dos que julgam que contam para alguma coisa.
Desejo que Paiva não seja o mais desejado e acredito que não seja, mas reconheço que pode voltar a ser.
E não sei quem o possa suceder, não me interessa que partido seja, mas espero que não seja Carrão, não que me pareça má pessoa, mas também já deve fazer parte da tal brigada do reumático.
Espero quer seja alguém diferente, e que Tomar possa ainda ter futuro.
Mas já é difícil.

Filomena S.

Anónimo disse...

Será o Dr. Luis Graça?
Veremos.

Anónimo disse...

Já tinha saudades dos comentários do carissimo Conde. Desta vez por interpostas pessoas mas as informações até lhe chegaram com algum rigor e... pormenor!
Só uma nota final:
Dr. Luís Graça - CANDIDATO À CMT (Parte XIV)?
Quem é que falou em Brigada do Reumático?

Anónimo disse...

Há um SNS (Serviço Nacional de Saúde) a que os mais idosos, reformados, crianças, enfim os mais carentes e desfavorecidos recorrem.
Ora, o que está em causa é precisamente o problema de financiamento do SMS.
Para cumprir as obrigações da CE (o malfadado défice) o Governo tem de cortar na despesa e muito.
Ora, esta situação das urgências advém disso mesmo - poupar, poupar, poupar.
Assim sendo, é crível que o Governo pague aos Hospitais privados o atendimento da "malta" pobre?
Querias?
Se não tem dinheiro para aguentar o que é seu e sua obrigação de manter, como é que vai ter dinheiro para os privados?

E pensemos em voz alta:

"O Hospital de Abrantes vai ficar com (quase tudo) e os outros dois com cada vez menos.
Então o Hospital de Abrantes passa a fazer a cobertura do SNS na faixa norte do Alentejo, de Tomar e da região do Pinhal e de Torres Novas/Alcanena/Entroncamento e limítrofes.
Entretanto os Hospitais de Tomar e T.Novas (estruturas novas, com boas instalações e equipamentos) são entregues aos privados para exploração (p. exemplo um grupo de médicos/quadros administrativos/técnicos de saúde ligados a um grupo da saúde CUF, CGD ou similares, imaginemos o caso da Norema) contra o pagamento de uma renda e passam a prestar cuidados de saúde aos "outros" que têm de pagar e que podem pagar.
É o dois em um - livram-se de dois Hospitais, o que não lhes dá mais despesa, ainda recebem a renda de cada um e arranjam quem preste cuidados de saúde com alguma qualidade e preço aos que podem ou que têm de pagar.
Entratanto estas rendas vão "tapar" alguns dos custos da única unidade pública (Abrantes) que até fica mais barata".

Atenção isto é a gente a pensar, nada de exprapolações.
Não é verdade Sr. Luis Ferreira?
Assim se vai cumprir a obrigação de dar saúde aos pobrezinhos e vender saúde aos mais remediados e ricos.
Deus queira que o pensamento seja apenas um sonho num dia de Inverno primaveril.
E siga a Marinha!

Anónimo disse...

Será o antigo Secretário de Estado Dr. António Lourenço dos Santos?
Veremos.

h.lobo disse...

Em primeiro lugar fico satisfeito pelo Conde não ter desaparecido da cena, no entanto a sua cronica faz-me lembrar aqueles discursos onde se fala muito mas não se diz nada.
Em relação aos palpites, não convém atirar nomes ao ar porque não vão pegar...
Do Hospital antes da construção de Tomar e Torres Novas, referiu-se muitas vezes que seria suficiente uma unidade completa localizada na regial da Atalaia/Barquinha, os municipios não aceitaram e o Estado construiu estes dois elefantes brancos,
A solução de privatizar, só seria favoravel com a mudança da segurança social, onde os contribuintes optariam pelo seu sistema de saude, ou estatal ou privado, com os devidos abatimentos em impostos em caso do privado para equilibrar os orçamentos, o certo é que quer se queira quer não quem tem dinheiro tem mais opcção, no entando se o dinheiro comprasse a saude os ricos nunca morriam ....
Se os Hospitaid forem privatizados "à Portuguesa" não lhes dou muita saúde pois com a falta de dinheiro que há por aí só se forem para os Espanhoís.
A considerar

H.lobo

Anónimo disse...

O amigo é lobo, mas tem de ter cuidado com a alcateia que por aí anda.
Mordem que se fartam.
Parecem o baygon ao contrário, só melgas.

h.lobo disse...

Amigo anonimo do post acima
Agradeço a sua recomendação, cá me cuidarei, uma pequena ressalva no entanto, não é a uma alcateia que se refere mas sim a um bando de hienas esfaimadas, que contráriamente á dignidade dos lobos, até comem as próprias crias, (quando não conseguem roubar o espólio dos outros)
H.Lobo

Anónimo disse...

Obrigado pela precisão.
Que o Índico lhe traga boas brisas, o proteja maningue e permita que esguente mesmo.
Um abraço nabantino.

Anónimo disse...

... também já ouvi falar no Dr. Alberto Brás. Acho que é juiz em Cascais e esteve alguns anos a trabalhar em Macau.
Dizem que é um candidato muito, muito mesmo, forte, quer vá pelo PS ou pelo PSD...(??)

Anónimo disse...

Pois é candidatos não faltam, e ainda altam dois anos e meio.
O amigo Paiva fica-se mesmo por este mandato.
O PSD vai ter um grande embróglio para resolver.
Paiva aposta no Corvelo, o que tem sempre dúvidas...
Acho que até duvida se existe???
Ou então é um subterfúgio para não confrontar o chefe Paiva.
Esta estratégia de Paiva apoiar Corvelo de Sousa é que me intriga.
Paiva sabe muito bem que Corvelo perde as eleições, porque insiste neste candidato?
É tão mau que quer dizer que só ele é que é bom. Cá para mim é menino para isso!
Porque se fosse verdadeiramente amigo de Corvelo não o sujeitava a tão grande humilhação.

Anónimo disse...

Se o Dr. Alberto Brás não fosse da carreira de magistrados do Ministério Público e não tivesse essa inibição legal, seria um óptimo Presidente de Câmara de Tomar.

Pena é que só em 2011 se possa aposentar. Tomar perde muito com tal facto.

LG

Anónimo disse...

Tomar necessita de um candidato ou candidata entre os 35 e 55 anos, com conhecimentos, dialogante, com uma estratégia definida do ponto de vista político, económico e social, e com capacidade de liderança.
É certo que ainda vai correr muita água debaixo das pontes, mas é bom que os partidos e outros movimentos comecem a definir estratégias e pessoas que as executem.
Deixemo-nos de atirar pedras, ou de nos pôr em bicos dos pés.
Qualquer um pode ser presidente de Câmara, mas poucos são os bons.
Contudo julgo que da discussão nasceu a luz.
Acredito que na hora certa o povo tomarense saberá escolher quem melhor o poderá servir.
As próximas eleições vão ser duras...

Anónimo disse...

O problema do Dr. Bás não é qualquer inibição legal, a qual não existe.
Mas sim o vencimento que aufere como magistrado do Ministério Público (não Juíz) é o dobro do que a Câmara paga.
E assim, o homem não tem qualquer interesse em sequer pensar em concorrer a tal lugar.
Para perder dinheiro só alguns tansos que ainda existem neste Pais.
Portanto, arranjem outro candidato que este não vai ser não.
O Manuel Graça do União de Tomar ou o Bruno Graça da Gualdim Pais.
Que tal?

h.lobo disse...

Caros bloguistas
Em breve postarei das terras nabantinas, verificarei com meus olhos a verdade, até lá quero completar o raciocinos acima, Tomar tem Tomarenses que poderiam ser excelentes candidatos, independentemente da força politica pela qual se apresentam, e esse é o problema, quem vota, e soberanamente decide, vai muito pelos partidos e não pelas pessoas, muitos têm medo de arriscar pois , sejamos honestos, ninguem com carreira em qualquer área válida quer acrescentar ao curriculum que foi derrotado em eleições, como dizi o meu avô, perder nem a feijões.
Para quem andou por estas bandas informo que vou levar um gindungo manning forte, bom para acompanhar pratos menos digeriveis, aí nos encontraremos.
H.lobo

Anónimo disse...

Seja bem vindo a esta terra tomarense e traga muito gindungo para ver se os homens (mulheres) ganham alguma ...... e começam a tomar atitudes menos conformistas e mais decididas.

Anónimo disse...

Se o Dr. Brás não pode ou não quer ser porque é que falam nele.
Se o meu avó não tivesse morrido ainda hoje era vivo.
Falem de possíveis nomes que possam ser candidatos, sem olhar se perde ou ganha dinheiro.
Com todo o respeito que tenho pelo dr. Brás.

Anónimo disse...

O problema é de pragmatismo.
Se o Sr. ganhar 1.000, certamente não aceita ir ganhar 500.
Isto é claro e objetivo.
Não há volta a dar-lhe.

Carlos disse...

O Relatório Final da Comissão Técnica de Apoio ao Processo de Requalificação das Urgências, nomeado pelo Ministério da Saúde, dado a conhecer no final da semana passada é muito claro na opção para Tomar:
O nosso Hospital passará a ter uma Urgência Básica, o que, em termos muito simples, quer dizer que a Urgência do Hospital de Tomar pouco mais será que um Centro de Saúde!
Trata-se da mais pura das verdades, pois, tal tipo de Urgência poderá também vir a ser encontrada em Centros de Saúde, um pouco por todo o País: dois médicos e dois enfermeiros!
A Assembleia Municipal Temática, que teve lugar na Biblioteca no passado dia 26 de Janeiro, foi muito clara no que ao sentir da população diz respeito:
A solução do Ministério não é a que os Tomarenses querem nem é a que Tomar necessita!
O Bloco de Esquerda, em Tomar, tem contribuído, no seio da Comissão de Acompanhamento do Hospital e da Assembleia Municipal, para, junto das várias instâncias do Ministério da Saúde, dar nota segura daquilo que aqui exigimos por direito próprio.
De resto, nem se compreende que com um investimento da magnitude daquele que foi feito no Novo Hospital, o Ministério da Saúde pretenda, agora, desperdiçar a capacidade técnica instalada. E muito menos se compreende que o Ministério pretenda afastar as pessoas dos serviços que um Hospital mesmo à mão pode proporcionar.
Ao contrário do que o Ministro da Saúde afirma, esta pretensa atitude de abaixamento do nível da Urgência não é nem racional nem acauteladora da boa gestão dos dinheiros públicos: estes estão ao serviço da População; não é a População que deve estar ao serviço do dinheiro do Ministério da Saúde!
No passado Domingo, dia 4, a Comissão de Acompanhamento do Hospital reuniu e considerou que “o tempo do debate institucional com o Ministério da Saúde terminou, sendo urgente dar visibilidade nacional ao descontentamento dos Cidadãos”.
A deliberação tomada nessa reunião é também muito clara no que ao que esperamos do nosso Presidente da Câmara, aliás, na sequência das suas próprias palavras na já referida Assembleia Temática, e cito de memória: “quando for preciso, convocarei as pessoas e então veremos se há ou não há gente na rua”.
Os cinco Partidos e Grupos Políticos representados na Assembleia Municipal, pela voz dos seus representantes na Comissão de Acompanhamento do Hospital foram unânimes, ao fim da manhã do passado Domingo, em recomendar ao Senhor Presidente da Assembleia Municipal que, conjuntamente com o Senhor Presidente da Câmara Municipal, convoque a população para acções de rua.”

Vamos a isso!



Carlos Trincão
Membro da Assembleia Municipal eleito pelo Bloco de Esquerda

Anónimo disse...

APOIADO!
VAMOS LUTAR POR AQUILO A QUE TEMOS DIREITO!
CONTRA VENTOS E MARÉS!
CONTRA OS "INSTALADOS" DO PODER!
SEMPRE E SÓ POR TOMAR!
UNIDADE, MESMO COM DIVERSIDADE!

Anónimo disse...

Vamos promover a maior manifestação de Todos os TEMPOS, sem olhar a partidarites

TODOS POR TOMAR

Vale mais isso do que fazermos FESTA DOS TABULEIROS

Um militante do PS

Anónimo disse...

caro conde, caros bloguistas , estranho a inexistência de comentarios
à mais recente novela camarária. Entao o vice-presidente deixa de ser
o responsavel palo ex-DAU e ninguem comenta? É que, so por acao é o
pelouro mais importante de qualquer autarquia! Dizem que se vai
dedicar a 100% à Cultura e ao Desporto!? - não brinquem com coisas
serias... entao para que servem 2 chefes de divisão nestes pelouros?
Que tamanha desconsideraçao do presidente para com o seu
vice-presidente e (ate agora?) escolhido como seu sucessor! So mesmo
em Tomar...
E se o homem se chateia e bate com a porta? Como ficará a camara?
Entra o ex-vereador, ex-chefe de gabinete, ex-... ui q o PSD vai
entrar em ebuliçao! o Relvas já deve estar a pensar em cenarios p
aniquilar o agora empresario! A coisa promete bué. E ainda agora
começou o ano. Abraço a todos. E deixem de falar do hispital - é
história, por muito q nos custe

Anónimo disse...

Monólogo bibliotecário num frio fevereiro

A cáfila no poder ou a ele pretendendo continua...
Por 'mai jeitosinha' que a 'apresentação' 'socrático-paivista' tivesse sido, não enganava ninguém... Mesmo só lhe faltava o acrílico teleponto...
A operação/especulação imobiliária aderente a tal triste récita ou pretenso anúncio do que há muito decidido estava, não passa de balão mediático p'ra ver se embevece oxigenante investidor incauto para câmara garrotada de 'fazenda'...
Só não vê quem cego quer ser...
Tudo o resto - 'fait divers', 'palha' e ganância de pretensos 'jovens turcos' 'protestantes' e vilmente ambicionantes da 'gamela e do farelo', ou, pior ainda, de 'velhas raposas' tentando regressos sebastiânicos à mesma 'toca autárquica', mui protectora 'casa de todos os perigos'.
Mas que digo!
Que penso, escrevo e observo!
Desdita me espera e devido exílio terei...
Mas arrisco!!!
Pois 'minha terra fértil' e 'águas de Santa Iria' a isso me obrigam e impelem! Porque sempre merecerá voz dissonante, dizendo o que sente e vê!
Talvez cego preferia estar, ou longe, para não ver o insano destino desta 'terra fértil' 'd'águas de Iria',que ao mundo deu mundos e que ora fenece adormecida e traída na sua memória e no seu futuro!...

Alexandre Pimenta
(Anarquista e tudo!)

Anónimo disse...

Até nem estava frio nenhum, nem lá dentro (como é óbvio) e curiosamente, muito menos cá fora.
A sessão foi muito elucidativa para quem esteve com atenção e soube ler nas linhas e nas entrelinhas.
A discussão foi falsa, porque muito já está decidido - a Ponte do Flecheiro p. exemplo.
Uma ideia força - é por causa do Fórum (monstruoso!) e para o servir que a Ponte do Flecheiro serve, mas também para servir a nova unidade hoteleira na Nun´Álvares.
Deslocassem o Fórum para Marmelais e a Ponte do Flecheiro já não servia para recentrar.
Com esta opção a prioridade voltava-se para a Ponte do Padrão (das Ferrarias) que servia para descentar o recentramento centrado.
Aconselha-se vivamente a que visionem o volume do fórum nos documentos do Plano.
São QUATRO pisos em altura (a contar do plano do Rio) e ocupam o espaço todo onde hoje estão os jardins, estacionamento, edifício do Mercado, churrasqueira (vinte mil metros quadrados).
É um despautério para atrair Belmiros.
E com cave (dois pisos subterrâneos - talvez aquáticos!!!).

Anónimo disse...

Sobre os hipotéticos candidatos, entendo que ainda a pricissão não começou e que se algune sõa de novo falados é porque no passado já foram equacionados como tal. No entanto dobre a hipótese Dr. Braz há algo que, em minha opinião, o afasta, que é o facto de não o ter sido, pelo PS, nas últimas eleições, por pretender que mediante uma qualquer engenharia financeira, viesse a receber um vencimento idêntico aquele que auferia como magistrado.
Expliquem-me que ideia de serviço público está subjacente a esta atitude?
Por mim não o será,não tem condições.
Mas, pasme-se que o Sr. Dr. Luis Ferreira e seus quejandos ainda se movimentaram no sentido de tal desiderato ser alcançado. Enfim, é o PS no seu "melhor".
Mas já se comenta que o candidato é o Sr. Dr. Paulo Fonseca (Sim, Dr., pois ao que parece agora no Governo Civil São todos doutores), que só corre o risco de o não ser porque não aceita "levar" o Sr. Dr. Hugo Cristovão em segundo, como a estrutura local do PS, ou melhor o Sr. Dr. (piis, também é doutos)Luis Ferreira.
Isto vai por bom caminho. A ser assim ainda termina com uma geminação com Ourém, pois é de lá que seremos governados, apesar de o actual Governador Civil ter muitos negócios imobiliários em Tomar e esta poder ser mais uma razão para ele querer ser candidato em Tomar.
Salve-se quem puder. Haja Deus!!!!.

Anónimo disse...

O Sr. Luis Ferreira não gosta que o tratem por Dr. assim aqui nos blogues, só em reuniões perante "altos dignitários".
Não abespinhem o homem, senão ele revolta-se e começa a "apertar" com o poder ... local.

Anónimo disse...

Realmente o conde tem razão numa das suas questões, o PS tá sempre a levar.
Arrisco-me mesmo a comparar o PS de Tomar com o Benfica, é que esteja ou não à frente do campeonato, é sempre nele que dá mais gosto bater, porque será?

Com assuntos tão prementes como por exemplo essas contradições de tirar pelouros a quem se diz ter confiança e coisas que tais, até parece que o mais importante é saber quem é o candidato do PS.

O Paiva de facto agradece, e na noite das eleições voltará a agradecer.

Anónimo disse...

É grave comparar o PS com o Benfica.
Não faltava mais nada.
Ainda para mais os dirigentes andam de candeias às avessas com o Governo (Laurentino a Dias - caso Nuno Assis) e até com o PS.
Aliás, tomara o Governo e o PS ter uma tão grande falange de apoio, de sócios de de simpatizantes.

Anónimo disse...

Têm razão quando dizem que o PSD e oPaiva agradecerão que se esqueçam deles e ataquem o PS, mas porque será?
Em minha opinião pesa o facto de se constatar a falta de capacidade dos dirigentes do PS, da sua falta de credibilidade. Uma força politica que deveria ser alternativa, não o é, nem parece capaz de o ser, tal é a falta de credibilidade dos seus principais dirigentes locais perante a sociedade tomarense. Reparem no oportunismo com que agem, que se pode ver reflectido nas atitudes dos seus principais dirigentes, como aconteceu no momento em que conquistaram o poder dentro do partido. Trataram logo de arranjar uns tachos para eles, pois alguns apesar de candidatos à CMT, ocuparam esses lugares antes das eleições (Hugo e Anabela)independentemente das suas capacidades para o lugar que desempenham. O Sr. Dr. Luis Ferreira estabeleceu-se como adjunto do Sr. Governador Civil, o Sr. Dr. Hugo foi chefiar o Instituto da Juventude em Santarém, a Sra Dra. Anabela, como Directora do Centro de Emprego de Tomar e outros na CAE.
Como é possivel acreditar em gente que apregoa uma coisa e faz outra num claro oportunismo pessoal e politico.
A realidade é esta, não são nem poderão jamais ser alternativa, por isso é preciso desmascarar este tipo de gente e encontrar outros que, dentro do PS, sejam capazes e constituam verdadeira alternativa democrática ao status quo existente, quer no PS local, quer nos orgãos autárquicos.

Anónimo disse...

APOIADO!
APOIADO!
APOIADO!

Anónimo disse...

Ora vejamos:

Luis Ferreira no Governo Civil, Hugo Cristóvão no IPJ em Santarém, Anabela Freitas no Centro de Emprego de Tomar, Paulo Arsénio e José Vitorino na Cooordenação da Educação do Médio Tejo...

Hummmm...
Se calhar esta gente foi nomeada ou convidada para estas funções pelo facto de terem competência para tal e do PS ter ganho as eleições há dois anos...

Hummmm...
Mas estes lugares são de confiança política ou não?
Estes Srs. e Sra. são dirigentes do PS em Tomar ou não?

Hummm...
Quando o Dr.Relvas e outros ilustres desconhecidos do PSD de Tomar foram Secretários de Estado ou ocuparam outras funções públicas acharam estranho?


Hummm...
Cheira-me que há por aí alguma inveja e que alguns que criticam gostariam era dos lugares que esses destacados militantes do PS local têm...

Será?

Branquinho Lobo

Anónimo disse...

Aqui, ao que parece, o velho ditado não se aplica "quem não quer ser lobo não lhe veste a pele", pois o lobo já vestiu a pele e branquinho como é, também tenta branquear a atitude dos seus amigos do PS.
Está tudo dito Sr. Lobo, pois como o Sr. Acha que foi por competência que essas pessoas estão nesses lugares, então não há mais nada que dizer.
Mas diga-me que competência reconhece ao Sr Hugo para ocupar o lugar que ocupa. Mesmo como professor, quantos anos já leccionou.
Apesar de tudo o Sr. Miguel Relvas, que é tanto Dr. como eu, temos de lhe reconhecer inteligência e capacidades politicas que o Sr Dr. Hugo nunca mais terá, por isso não compare o que não tem comparação.
Fico-me por aqui, pois acho que não devemos perder tempo com os Hugos e seus quejandos.

Anónimo disse...

Uma coisa são cargos no Governo.
Tomar não tem ninguém e nos Governos PS não teve ninguém (tinham Abrantes e TNovas).
Anteriormente (Governo Barroso e Santana) Tomar tinha os PSD (ou próximos) Sr. Miguel Relvas, Dr. Lourenço dos Santos e Dr. Firmino de Santa Cita.
Outra coisa são os cargos de Adjunto do Governador, de Delegado do IPJ e do CAE, que nunca tiveram ninguém de Tomar anteriormente.
Quanto ao Centro de Emprego é diferente a Srª é da "casa" e, normalmente é gente da "casa" que ocupa, embora de nomeação política.
No Centro de Formação tal cargo costuma ter também pessoas ligadas à estrutura, também de nomeação política.
Depois há uma caterfa de assessores que são nomeados e dependem de quem está no poder (local ou nacional).
É compreensível que as pessoas a nomear tenham alguma afinidade e/ou confiança política com quem nomeia, mas devem ser escolhidas as mais competentes (com provas dadas ou com efectivo potencial).
De qualquer maneira, tem-se perdido em transparência e publicidade das decisões.
Os bastidores funcionam mais e melhor.
E quem tem padrinhos tem lugar quase assegurado.
É só ver quem são os estagiários, que depois acabam como contratados e depois no quadro.
Tiro e queda,

Anónimo disse...

Pela primeira vez participo activamente neste espaço de discussão e comentáio político e social.

Não o faço para responder a comentários anónimos que em todo ou em parte fazem alusão à minha pessoa, mas antes para dar também o meu contributo à discussão.

Peço desde já desculpa por ter opiniões divergentes de alguns amigos que aqui se identificam,
sobre alguns temas da vida tomarense, mas acredito, sinceramente, que a sua opinião é, no mínimo tão válida e pertinente quanto a minha.

Feito este necessário preâmbulo, começaria por afirmar que, por muito que a alguns custe aceitar, António Paiva foi / é um excelente
presidente do município. Muito acima da média, acrescento, no contexto regional quando comparado com os seus homónimos - afirmo-o com conhecimento de causa, e
por ser verdade. Essa coisa de ser ou, neste caso, não ser tomarense,
é de uma pobreza dramática em termos de argumentação política, pelo que me abstenho desse tipo de discussão, nem comento essa linha de discurso oca e sem fundamento.

António Paiva é, legitimamente, presidente do município de Tomar, e
esse facto não acontece por acaso. Seriedade e competência não é
apenas um mero slogan de campanha autarquica. É, antes, uma imagem que pode não ser exclusiva, mas é a sua.

Sobre este assunto dou-vos apenas um exemplo - há dias ligou-me um
autarca de município vizinho (de outra força política, acrescento) a
contar a intervenção do nosso presidente numa reunião numa instância supramunicipal, em que havia defendido o seu concelho de uma forma tão obstinada - uma posição que, pura e simplesmente, rompia a 100% com o status-quo daquele organismo - mas fê-lo tão convictamente que nem os municípios visados (aqueles que mais perdiam na sua proposta, no
qual se inclui o do autarca que me contou o episódio) votaram contra.
"o vosso presidente é tudo menos inconsequente!" rematou. Nessa
reunião vingou Tomar, ficámos a ganhar. Mais uma vez - acrescento.

Centenas de outros exemplos poderiam ser dados. Isto não significa contudo que concorde sempre com as suas opções e da sua maioria. Algumas são, no mínimo, discutiveis - o arranjo do Parque do Mouchão / Jardim da Varzea Pequena é um desses exemplos.

Concordo com a intervenção - ambos os espaços careciam de uma
intervenção urgente, que lhes devolvesse o esplendor de outrora com um toque de modernidade - mas os pormenores de acabamento como é o exemplo da colocação de calçada em parte do espaço pedonal - não
respeitam o espaço, na minha humilde opinião de vulgar cidadão, sendo antes um mau contributo para a grandisiodade, diferença e caracter único daquele espaço.

Outro exemplo é o perpetuar de algumas intervenções (necessárias), como é o caso da Av. Marquês de Tomar, que muito prejudicam o comércio da zona e a
qualidade de vida de quem ali vive / trabalha. Ou ainda o caso da aquisição da Casa dos Tectos - se me dessem a escolher entre o começar a recuperar o
Convento de Santa Iria ou adquirir a Casa dos Tectos - optava
claramente e sem reservas pela primeira possibilidade.

Mudando de assunto - muito se tem comentado sobre minha a opção de abandonar o cargo de Chefe de Gabinete de António Paiva e muitos foram aqueles, sei, que ficaram a aguardar que viesse a público criticar o presidente do município. Sobre esse tema, reafirmo que a minha saída foi acordada por ambos, meses antes de ter acontecido, a meu pedido, e após mutuo acordo.

Tal aconteceu por ser da opinião que não nos devemos perpetuar na vida política, que devemos sair para dar lugar a outros que serão no mínimo tão competentes como nós no desempenho de iguais funções, que existem outros Projectos igualmente aliciantes no domínio publico e privado, que estar na Câmara não é um Fim, muito menos uma espécie de objectivo máximo de vida.

É neste particular que me afasto da maioria das posições públicas do
Luis Ferreira - o seu discurso caminha irremediavelmente para essa
"tecla" - e isso leva-me muitas vezes a discordar dele quando, sei por principio, que concordamos sobre muitos assuntos.

Muito mais terei a comentar, mas fica para um destes dias.

P.S. - não é verdade que pense voltar à política activa, muito menos que pense ser uma espécie de 2. via no PSD local. Há outros valores de quem nem se fala no PSD, e que cumprirão estou certo, o papel de suceder na vida autárquica a António Paiva - a sucessão não vai ser fácil, pois a fasquia está muito elevada. Mas o PSD assumirá as suas obrigações perante o eleitorado.

Outra falsidade muitas vezes repetida é que não me dê com Miguel Relvas. Sempre foi correcto comigo tanto política como a nível pessoal.

Finalmente, é verdade que gosto de Tomar e procuro no meu dia-a-dia
contribuir para o desenvolvimento do meu concelho. É que há outras
formas de lutar por Tomar, para além da esfera política.

Ivo Manuel Santos
Tomar

Anónimo disse...

Eia Eia entrou um "Tubaralho" no cardume.
Andava aí um "Choco"(LF)a largar muita tinta e agora temos um "Barracuda" à procura do Nemo PP.
Tão a ver c'o Paulino é tão bom, tão bom que um dia vai virar Neptuno.
Será que o Nemo na tal reunião da peixeirada tratou os Peixões como trata os peixinhos do aquário da Praça da Républica? E eles acagaçaram-se todos?
Depois deste testemunho tão comovente do Dr. Ivo Santos, proponho uma estátua do Nemo na Fonte Cibernética a mirar o futuro Fórum.
Aceitam-se sugestões.

Anónimo disse...

Isto faz-me lembrar a história do fortalhaço na rua que era um cordeirinho em casa.
Há muitos casos desses.
espero que A.Paiva consiga ser assim tão ou mais persuasivo no que respeita ao nosso Hospital, impondo aos de Abrantes e aos do Ministério da Saúde a razão de Tomar.
Isso é que é serviço a favot da comunidade.
E já agora que tenho um dedo que adivinha, a história contada pelo Sr. Dr. Ivo passou-se na Assembleia da RESITEJO realizada na Chamusca a 18 de Janeiro passado e a proposta tinha a ver com a Central de Valorização Orgânica.
Não é verdade?!
Ah se tivesse eu esta queda para o euromilhões, comprava o projecto da Ponte do Flecheiro e do Fórum no Mercado e libertava Tomar destes pesadelos.
Mas, infelizmente não costumo acertar.
Cumprimento a todos, especialmente ao Dr. Ivo, que tem andado muito fugido; até pensavamos que tinha passado à clandestinidade.
Seja bem vindo e fique por cá.

Virgilo disse...

Ó sr. IVO,

O seu aparecimento,agora,traz água no bico...
A sua mescla de elogios e críticas também...
Uma coisa e outra são estratégicas...
Mas deixemos o tempo fazer luz...
Que o Paiva é sério (no sentido de não corrupto),nada conheço de objectivo que o infirme...
Agora dizer que é um bom Presidente de Câmara e competente,alto aí...
Esqueceu-se da descaracterização da cidade,do abandono dos jardins e outro património natural e histórico,do Parque T,do Parque e Pavilhão anfíbios,das famosas lombas,do encerramento da Ponte Velha antes de haver alternativas,sanitários públicos nojentos ou fechados,PDM por rever há 9 anos,PU inexistente,iluminação pública das freguesias muito má,desperdício de milhões em fonte cibernética,desprezo pessoal pelos munícipes,exercício do cargo em part-time com Bruxelas,desastrosa situação financeira do município,etc,etc,etc...
Algumas estradas para as freguesias,complexo das piscinas,Pavilhão Jácome Ratton,alguns equipamentos colectivos nas freguesias,são muito pouco de bom para 9 anos de actividade e tantas centenas de milhões de euros gastos,é muito pouco...
Quanto às suas profissões de fé,cá ficamos à espera dos próximos episódios...
Com maior ou menor participação do Relvas,LF e comparsas...
E,para terminar,aqui para nós,que ninguém nos ouve,que comentário lhe merece a postura e acção multifacetada da "Cospe Fininho"...?
Desabafe...faz bem aos ovários...

Anónimo disse...

Atenção!
O Complexo das Piscinas foi delineado no mandato anterior ao primeiro de A. Paiva e já executado neste.
O Pavilhão Jácome Ratton foi construído sob a responsabilidade e pagamento da Câmara, mas vai ser pago integralmente pelo Ministério da Educação.

Anónimo disse...

Atenção!
O Complexo das Piscinas foi delineado no mandato anterior ao primeiro de A. Paiva e já executado neste.
O Pavilhão Jácome Ratton foi construído sob a responsabilidade e pagamento da Câmara, mas vai ser pago integralmente pelo Ministério da Educação.

Anónimo disse...

Quero saudar o Dr. Ivo Santos, pessoa aliás com quem sempre tive uma relação cordial, pese embora o facto de nalguns aspectos da vida autárquica não estarmos totalmente de acordo.
Quando se comparam mandatos autárquicos ou diferentes realidades, corre-se sempre o risco de ser injusto, quer porque não se conhece bem ou, pelo menos, tão bem a realidade anterior, ou porque se tem a memória curta, ou, como parece ser o acso, viveu-se de tão perto a realidade recente e foi-se cúmplice dela, que se defende intransigentemente a mesma, para além de, como é óbvio, e é o caso, não se conhecer tão bem as anteriores, nem as diferentes variáveis que as condicionaram e portanto as diferenciam.
Por certo já pensou nos meios que o António Paiva teve ao seu dispôr (quero deixar claro que é trabalhador e tem capacidade para o cargo). Se analisar os números, verificará que, para além dos apoios suplementares que mais ningém teve, como foi o caso das Águas do Centro e do Pólis, teve, nos últimos 8 anos, para investir e portanto em receitas de capital (dando de barato o valor para despesas correntes que aumentou mais de 60%), 3 vezes mais que outros tiveram nos anteriores 8 anos.
Compare e veja se executou e realizou, só que fosse o dobro de obra e sem ser a questão dos esgotos (que sem a intervenção das Àguas do Centro não seria sequer viável), e dando de barato a construção das piscinas (cujo projecto já vinha do mandato anterior, incluindo a actual localização), que projectos estruturantes realizou ou concebeu (e adianto, desde já, que foram alguns).
Depois de listar as realizações e projectos que se executaram nos diferentes períodos e analisar os meios financeiros que estiveram ao dispôr em ambos os períodos, então compare e, se fôr sério, como sei que é, então falaremos e estaremos, por certo, de acordo.
Isto não tem nada a ver com a pessoa em si do A. Paiva que sei que é sério, trabalhador e capaz (quando quer e se na realidade ouvir os outros), mas, conviremos, teve sempre na mão uma cominicação social dócil e que (mérito dele e do Relvas) hábilmente sempre conseguiram controlar, contráriamente a um passado anterior ao dele em que a comunicação social foi...(sem adjectivos), numa tentativa clara de assassinato politico de algumas pessoas.
Sei o que digo porque acompanhei sempre de perto a actividade política e quem a exerce e exerceu directamente (pois sempre contactei de perto com quase todos eles), e não querendo fazer de advogado de ninguèm, acho que se substima muito o que foi feito anteriormente por contraponto à sobrevalorização do muito que também se fez recentemente.
Cá estarei à espera para, sendo caso disso, aprofundar este tema que, estou certo, será mais interessante que falar banalmente de pessoas e criticá-las, num puro subjectivismo, porque estão ou estiveram a ocupar este ou aquele lugar.
Por último, quero dizer que na realidade o PSD sem o Paiva está orfão, pese embora o facto de alguns já não o suportarem, e que o PS tem de se credibilizar e isso só o vai consegui com outras caras e que deveria ter memória e não desvalorizar o passado que ajudou a construir.
Gostaria que este espaço tivesse discussões sérias e objectivas e se deixassem de ataques pessoais. Quanto aos anonimatos, entenda-se que quem exerce determinadas funções não tem outra alternativa se quer exprimir determinadas opiniões.

Shane disse...

A questão do Fórum no mercado é a mesma do centro histórico! Isto é, não existe, de verdade! Apenas nos lançam mais fumo nos olhos!
Isto porque a própria autarquia descaracterizou o mesmo! Veja-se o exemplo da 'reabilitação' do 'Cine-Teatro' dito de 'Paraíso' ou a forma completamente estouvada com que se licenciaram muitas das 'reconstruções' na zona... ou ainda a solução 'milagrosa' do parque atrás da sede do Município, isto para não avançar com mais intervenções que não receio de classificar de 'terroristas' em toda a cidade! Basta observar Tomar de um dos miradouros para ver, mesmo de longe, todos os atentados perpetrados por este e outros poderes autárquicos, mais ou menos democráticos, mas de todo incompetentes! A destruição da memória e do passado é notória e compromete ou inviabiliza muitas soluções possíveis: Se querem centros comerciais fechados, porque não surje um concurso de ideias para o fazer na Corredoura? Se querem recuperar a zona do Mercado diário ou do Flecheiro porque não a enquadram com a Igreja de Santa Maria dos Olivais,Balia dos Templários e a sua torre? (Mais uma jóia perdida com um centro de emprego e uma morgue 'modernaças' por perto...)
É que falar de Tomar templário e passar-lhe ao lado, é no mínimo cretino!
Se estamos a discutir mais um plano para 'ganhar mais uns cobres' em taxas e licenciamentos, pois bem que se assuma isso... Se queremos falar em verdadeira qualidade temos de ouvir quem sabe - artistas veros, não políticos mais ou menos'colorados' armados em ´sábios' - falo sim de arquitectos, arqueólogos, historiadores, paisagistas, pintores e escultores que (re)conheçam e sintam o valor potencial que aqui temos.
Temos que também enquadrar a margem norte com a margem sul, NÃO PLANO DE PORMENOR A PLANO DE PORMENOR, SIM DE FORMA MAIS ESTRATÉGICA - NO SEIO DE UMA REESTRUTURAÇÃO DE TODA A ZONA DO CENTRO HISTÓRICO, NO QUE ELE ABRANJA E IMPLIQUE DOS DOIS LADOS DO RIO!!!
Só neste(s) contexto(s) será possível falar-se, com propriedade, duma revitalização eficaz do centro da cidade, sua mais que necessária inserção em PDM e em PGU!
Tudo isto já devia ter sido pensado, não ontem, mas talvez há duas ou três décadas...Enfim!...
Não penso que seja tarde, contudo urje deter a megalomania ou a pequenez com que, a espaços, temos de tristemente que conviver (da parte de quem é responsável pelos destinos desta polis...)
É claro que não estou a falar de tacticismos de ciclozinhos eleitoralistas. Tudo o que atrás simplesmente sugiro tem a ver com algo de essencialmente estratégico - o FUTURO desta polis, o FUTURO de uma comunidade que, como diria um dos 'bloguistas' deste espaço, merece sempre 'voz dissonante', nem que seja para alertar e acordar tanto adormecimento neuronal que por aí vai pululando...
E se for preciso noutras partes inspiração ir buscar, que se vá! E se necessário for buscar opinião de muitos outros, mesmo 'metecos', que se oiçam e se lhes dê oportunidade de opinar e ajudar!
Parece-me até que ´estamos mesmo precisando', como se diz do outro lado do Atlântico, a Sul...
Que a discussão venha, que a opinião traga luz a estas trevas, que o POVO também, para que possa decidir! Porque dele é o poder e a polis!!!

BEM HAJAM!!!

07 Fevereiro, 2007 22:19

Anónimo disse...

Manchete de 1ª página do Templário de 8 de Fevereiro:
Luis Graça assume candidatura à Câmara.

Estão a ver?
Já por aqui se escreveu isso mesmo.

Fazendo futurologia: 2 - Rosário, 3 - Carrão, 4 - Ivo
5- Sandra.

Anónimo disse...

Na "concorrência": 1 - Anabela, 2 - Becerra, 3-Hugo, 4 - Vera, 5 - Huguinho.

Anónimo disse...

...6 - Luisinho, 7 - Rato Mickey, 8 - Pato Donald, 9 - Super Homem e 10 - Mc Gyver

Anónimo disse...

11- Luis Ferreira (capitão de equipa e manager)

Anónimo disse...

Atão e o Carlos Silva? Vai pa massagista é?

Anónimo disse...

Luís Graça ao Poder (local!!!). Se o Paiva está em Bruxelas o Luís Graça está no Montijo. Para nós sempre é melhor ...fica mais perto.

Julieta M.

Anónimo disse...

Olha que realmente, a história continua a mesma, somos mesmo pobrezinhos!
Mas não se arranja ninguém de cá?!!

Anónimo disse...

De cá só o massagista, ou o "topa a tudo"!

Anónimo disse...

Triste terra a minha,
que se esvai em prosa fútil.
Antes fosse terra madrinha,
e fizesse algo de útil!

LF

Anónimo disse...

Esta terra te acolheu, esta terra te há-de comer.

Anónimo disse...

Triste terra a vossa,
que se vai em prosa boa.
Fosse terra e não fossa,
e te levasse p´ra Lisboa.

FL

Anónimo disse...

A dúvida do dia:
SERÁ QUE A EMPRESA QUE ELABOROU O ESTUDO QUE COLOCA O BENFICA COMO O 20.º CLUBE MAIS RICO DO MUNDO, FOI A MESMA QUE APRESENTOU TOMAR COMO A 12.ª CIDADE DO PAÍS?

Anónimo disse...

Nada de confusões entre os devaneios de Expresso e as realidades do GRANDE BENFICA.
Com coisas sérias não se brinca.
A História secular de Tomar é imensa, imortal.
O património do SLB é gigantesco.
Mas nada de comparar o incomparável.
Tomar podia ser conhecidíssima no mundo.
O SLB é conhecidíssimo no universo.
António Paiva não é Luis Filipe Vieira.

h.lobo disse...

A entrada do Ivo nestas lides,foi uma manifesta surpresa, acredito nele, nas suas capacidades, e no Paiva, um bom esidente, homem integro, honesto, capaz, empreendedor, namizador, planeador, urbanista,amigo dos empresariado, das novas tecnologias de construção, dos subterraneos, etc.
Para confirmarmos estas qualidades basta estar uns tempos fora da cidade e regressar, vemos logo as diferenças, as melhorias, os incrementos ao desenvolvimento, e o desenvolvimento em si, té temos um novo parque
"tematico" gerido pelo Ivo ...
H.Lobo

Anónimo disse...

A consultora Deloitte não se dedica às minudicências do Expresso.
Os estudos para este jornal são realizadas por empresas de outro tipo, com outras finalidades e com um estatuto infinitamente menor.
Portanto, não há comparação.
Há que "ler" as notícias.

Anónimo disse...

Oh Sr. Lobo
O lugar de Chefe de Gabinete do A. Paiva está vago.
Será que se está a candidatar?
Ou quer integrar o Gabinete de Comunicação da Câmara Municipal?
Como o Guedes desapareceu sem deixar rasto a concorrência é nula.
Aproveite!

Anónimo disse...

Diz Não!
Vota SIM!
Pela vida, pela mulher, pela liberdade, pela dignidade, pelo progresso, contra o aborto clandestino, pelo direito à saúde!
O não é o retrocesso imobilista.
O SIM é o futuro!

Anónimo disse...

E que tal Pedro Marques + Luis Graça + Rosa Dias para a Câmara.
Em 2005 esteve muito próximo ... agora, se verá.

Anónimo disse...

Pedro Marques + Luis Graça + Rosa Dias para a Câmara?

Pelo PS ou pelo... PSD?

Anónimo disse...

Por ambos!!!!

... disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
... disse...

Quem por acaso "aterrasse" em Tomar por acidente e lêsse as análises que se fazem nos blogues, tendo "um tradutor autócone" que pudesse explicar quem são os "cromos" mencionados, decerto diria que "este pessoal não está bom da cabeça".

Entre o Carlos Carrão, o Corvelo de Sousa ou esse tal de Luis Graça pelo PSD...

Do tal Luis Graça - deve ser homem importante decerto-, do Pedro Marques e Luis Marcelino pelos IpT...

Até ao tal PS que "deveria estar credibilizado com outra gente" - quiçá os que sem terem "lugar" debandaram para outros portos mais oportun(ista)os...

Há ainda aqueles que falam do Bruno Graça para Presidente ou do Governador Civil vir para Tomar...

É hilariante!
Se não fosse de Tomar e não gostasse tanto da minha terra que teimosamente a habito, quando mais de metade da minha geração há muito que a abandonou, diria que a única solução era ir-me embora... (fazendo assim a vontade a meia dúzia de oportun(ista)os afastados do poder pelas equipas onde tenho trabalhado)

Mas não.
Acho, acho, que ainda me vou divertir muito mais até à apresentação definitiva de todos os candidatos à Câmara para 2009.

Vou-me divertir a ver o Paiva a levar o PSD ao calvário, o grupo (dito) independente a inventar mais uns "patrocínios turísticos privados", com o apoio de excluídos dos Partidos (à mistura com gente impoluta e bem intencionada claro!), o BE e a CDU à procura de perceber para onde foram os seus timoneiros e o CDS/PP sem saber se há-de afirmar-se ou deixar que o PPD o extinga definitivamente.

Quanto ao PS - isso sim, então vai ser hilariante! Ou eu não me chame Luis Ferreira!

LF
(Há teimosias pelas quais vale a pena lutar: LIBERDADE!)

P.S. - Um único esclarecimento ao Ivo Santos: deves estar muito enganado em relação ao que pensas ser o meu enfoque - a Câmara de Tomar! Não fui eu que estive com o Paiva desde o início e me calei em relação a muitas coisas de que discordava... Como sabes e todos sabem já, digo o que penso SEMPRE, sem tutelas, nem tutores... É o tal preço da LIBERDADE! - QUE AGORA SABES APRECIAR.

Anónimo disse...

Escreve o Sr. Luis Ferreira:

"um tradutor autócone"

"o grupo (dito) independente a inventar mais uns "patrocínios turísticos privados", com o apoio de excluídos dos Partidos"

Duas CALINADAS do tamanho do mundo:
- uma na língua portuguesa (reveladora da falta de substracto cultural e de ignorância das palavras),
- a outra na avaliação das organizações políticas de Tomar.

Assim se vê a baixesa dum recalcado, que nunca conseguiu digerir a estrondosa derrota da sua estratégia suicida e fraccionária nas eleições autárquicas, com os resultados que todos conhecem e que tem sido mascarada com o mais desenfreado oprtunismo e com o permanente insulto à inteligência das pessoas.

E esta sua afirmação:

"Se não fosse de Tomar e não gostasse tanto da minha terra que teimosamente a habito, quando mais de metade da minha geração há muito que a abandonou, diria que a única solução era ir-me embora... (fazendo assim a vontade a meia dúzia de oportun(ista)os afastados do poder pelas equipas onde tenho trabalhado)".

"É hilariante!" .

Na verdade estas afirmações levianas revelam bem a postura moral e cívica e identificam bem o seu autor, não sendo merecedoras de mais comentários.
Apesar de tudo,
perdoai-lhe Senhor porque não sabe o que diz!

Caiano Silvestre disse...

Ao Anónimo de 10/02/07 às 10:15

Vossa Excelência não tem vocação para corrector ortográfico!
Deixa muito a desejar.

Lá diz o ditado do “argueiro nos olhos dos outros”.

Lamentavelmente, Vossa Excelência, no seu escrito tem quatro (4) erros ortográficos sendo que um (1) deles será mera gralha dactilográfica.

Quanto a "CALINADAS do tamanho do mundo" estamos mal.

Quanto ao “substrato” cultural e não sei mais o quê, nem quero comentar.

Na oportunidade sugiro a utilização (ponham nos favoritos!) do Dicionário Priberam online.

Caiano Silvestre disse...

Oh Luís Ferreira.

Perdoe-me, que sei que não precisa de advogado de defesa.

Anónimo disse...

Já pediu a alguém que lhe oferecesse uma toga.
O Sr. Luis Ferreira ainda arranja a forma de lhe pagarem os honorários de defensor oficioso.

Anónimo disse...

do Lat. substratu, estendido no chão

s. m.,
o que existe nos seres, independentemente das suas qualidades;
o que forma a parte essencial do ser;
o que serve de suporte às qualidades;
camada inferior;

Anónimo disse...

Ex.mo Sr. Caiano Silvestre

Já agora agradecia que dissesse qual o significado da palavra "autócone"?
É que, consultado o dicionário que teve a gentileza de aconselhar, tal palavra não existe.
Então pode considerar-se a utilização dessa palavra como um erro ortográfico?
Ou será antes uma calinada.
Nunca foi intenção (ou pretensão de) corrigir a ortografia do Sr. L.F., mas sim criticar-lhe o uso de palavras ou expressões inexistentes (no caso) ou desadequadas.

No que se refere aos quatro (4) erros ortográficos sendo que um (1) deles será mera gralha dactilográfica, que argutamente detectou, há que humildemente dar a "mão à palmatória" .

E, como sei que o Sr. Caiano Silvestre é uma pessoa muito bem formada (e informada), agradeço que indique a hora e o local para dar uma "liçãozinha" de bom português.
Cumprimentos afectuosos.
E faça o favor de ser feliz.
Sempre!

rei lear disse...

Apresentado o Plano de Pormenor do Flecheiro e Mercado salienta-se a controvérsia em torno da Ponte do Flecheiro, as reticências ao diminuto espelho de água a formar com a implantação de um açude remodelado junto à actual ponte pedonal e as enormes interrogações da localização e da volumetria do Fórum/Centro Comercial previsto para o Mercado.
Sobre a Ponte do Flecheiro ficou esclarecido que ela resulta da vontade do Presidente da Câmara, que a assume como indiscutível e incontornável, assim uma espécie de tabú.
Compreende-se porquê (embora se não aceite).
É que um Fórum/Centro Comercial de desmesuradas dimensões (vinte mil metros quadrados em quatro pisos à superfiicie) e uma unidade hoteleira na Nun´Àlvares “exigem” uma ponte rodoviária de acesso.
E, sendo o fórum encarado como a forma de o Município receber chorudas mais valias, quanto maior fôr e melhores acessos tiver, melhor será o encaixe financeiro para os depauperados cofres da autarquia.
Mas, cumpre perguntar:
se eventualmente o fórum fosse concebido para a zona de Marmelais (agora em terrenos particulares), a prioridade das prioridades, o tabú, não passaria a ser a construção da Ponte de S. Lourenço (Ferrarias)?
E a Ponte do Flecheiro não passaria para plano tão secundário que conduziria até à sua não construção?
Sinceramente, afigura-se-nos que seria assim, nem mais!
E quanto ao edifício do Mercado Municipal a sua valia arquitectónica não é de alienar, exigindo sempre se mantenha a traça que apresenta, independentemente das soluções construtivas (ou reconstrutivas) que venham a ser encontradas.
Aliás, está prometida a elaboração de um Plano Funcional do Mercado.
É essencial a execução de Estudos de impacto de um Fórum/Centro Comercial, quer no aspecto endógeno (tipo de lojas, salas de cinema, restauração, sua amplitude, etc), quer no aspecto exógeno (a sua influência em relação ao comércio tradicional do centro histórico e zona próxima do actual Mercado) e Estudos de impacto ambiental, quer em relação ao próprio fórum (implantado no Mercado ou em Marmelais), quer de trânsito e estacionamento de viaturas (implantado no Mercado ou em Marmelais) sobre o Rio Nabão.
Este Plano de Pormenor está à discussão publica até aos primeiros dias do mês de Março e é urgente e importante que os cidadãos de Tomar o examinem e emitam as suas opiniões escritas.
Se assim não procederem não podem queixar-se depois.
Aliás, os comerciantes do Centro Histórico e da zona próxima do Mercado e Flecheiro, que primaram pela ausência na apresentação pública, devem analisar com cuidado a situação, pois arriscam-se a ter um grande centro comercial ao pé da porta, que ainda mais lhes dificultará a vida.

Há ainda muito a dizer, mas fica para próxima oportunidade.

rei lear disse...

Sobre a problemática do espelho de água foi salientada a sua manifesta insuficiência e pequenez, pois grande parte do Flecheiro deixará de desfrutar o seu Rio.
Foi aduzido que o INAG não permite a construção de um açude em S. Lourenço e que, assim, se teria de aproveitar o actual remodelando-o.
Mas é necessário alterar este estado de coisas e fazer ver aos técnicos do INAG que os interesses de Tomar e dos Tomarenses não se compadecem com os horizontes limitados e limitativos desta organização estadual.

Caiano Silvestre disse...

A todos Boas Tardes.

Caro Senhor Anónimo

Sei que o Sr. Luís Ferreira quereria ter escrito "autóctone" e que o que saiu foi "autócone". Não poderá ter sido uma mera falha dactilográfica?

E não é esse o enfoque principal do seu comentário? O de "Ai Jesus" que o homem nem sabe escrever?

Depois, ainda lhe direi que, com respeito, o informo que não dou aulas. Como Vossa Excelência é já conhecedor dos instrumentos, e faz deles bom uso, decerto já terá lobrigado das correcções ortográficas a fazer ao seu texto.

Parece-me, contudo, que a discussão será mais viva e interessante se nos deixarmos de estar a anotar todas essas minudências. Mas se Vossas Excelências insistem, porque não? Mas a fazê-lo porque não fazê-lo correctamente?


Aos restantes comentadores.

Quanto ao PPFM acho que a discussão está inquinada e é inútil. Alguém acredita que desta discussão pública haverá algum proveito? E não estão já em consulta e porventura em pré-adjudicação as obras e equipamentos?

Conceito estranho de Democracia este!

E porque não fazer uma obra menor e mandar retirar aquele painel que, ao cimo das escadarias dos Paços do Concelho, proclama “O Povo é quem mais ordena.”?

Caiano Silvestre disse...

"Já pediu a alguém que lhe oferecesse uma toga.
O Sr. Luis Ferreira ainda arranja a forma de lhe pagarem os honorários de defensor oficioso."

Não estou interessado.

Mas, na oportunidade esclareço que, pese embora a separação grande do PS, que continuo a considerar um partido de direita, o Sr. Luís Ferreira me aparece simpático.

Será porventura por assinar com o nome que os senhores seus pais lhe deram, arcando com as consequências desse facto e não se eximindo ao confronto de ideias com aqueles que, no seu direito, sistematicamente se escondem no anonimato a pretexto das mais variadas razões.

Dele sabemos da coerência ou não, dos anónimos que aqui deixam seus escritos não! Porquanto se pode escrever tudo e o seu oposto sem que tenhamos percepção de quem o faz.

E já me pareceu que houve aqui quem defendesse a tese e a sua antítese.

Anónimo disse...

Ex.mo Sr. Caiano Silvestre

Será que aceita e concorda com a afirmação do Sr. L.F.:

"o grupo (dito) independente a inventar mais uns "patrocínios turísticos privados", com o apoio de excluídos dos Partidos" ?

Fico, desde já, grato pela resposta.
Respeitosos cumprimentos.

Caiano Silvestre disse...

Caro Senhor

Das intenções políticas das afirmações que faz sabe, porventura bem, na medida em que é o responsável pela estrutura PS em Tomar, o Sr. Luís Ferreira. E saberá, melhor que eu certamente, (pobre paisano que sou!) dos "patrocínios turísticos privados" que refere. Eu, confesso, “estou a Leste”.

Mas não me eximo a afirmar-lhe que não gosto dos “Independentes” pese embora haver lá gente que reputo de muito séria, muito honesta e muito competente e que, de certeza absoluta, está lá sob a divisa “De Tomar, Por Tomar e Para Tomar”.

Mas também têm lá gentinha que Nossa Senhora da Conceição, S. Gregório, S. João Baptista, Santo António e todos os outros santos invocados em Tomar, nos valham.

E a estranheza que esse conúbio me produz faz-me reagir com uma forte repulsa.

Tenho hoje quase cinquenta anos mais jamais esquecerei o que uma dessas figuras afirmou de mim e do senhor meu pai nas escadarias da entrada do velho Liceu Nacional de Tomar. E se jamais esquecerei também jamais perdoarei.

É certo que são razões pessoais. São as minhas.

Estou certo que não respondi à sua questão, mas creia-me, não era minha intenção dar-lhe cabal resposta. Como referi o Sr. Luís Ferreira dar-lhe-á, porventura, melhor esclarecimento.

Agradeço os seus cumprimentos que retribuo, com apreço ao cordato relacionamento estabelecido.

Bem haja.

Caiano Silvestre disse...

"do Lat. substratu, estendido no chão

s. m.,
o que existe nos seres, independentemente das suas qualidades;
o que forma a parte essencial do ser;
o que serve de suporte às qualidades;
camada inferior;"

Por mero acaso sabia.

Mas se reparar, com muita atenção, é "substrato".

Certo?

Anónimo disse...

Ex.mo Sr, Caiano Silvestre;

Estou de acordo e compreendo perfeitamente que o Sr. não esqueça aquilo que lhe fizeram e ao senhor seu Pai, mas acho que devia perdoar.
A grandeza das pessoas vê-se nesses gestos e uma "bofetada de luva branca" fica sempre muito bem.
Aprecio ter afirmado que não gosta dos Independentes e sobretudo ter fundamentado essa posição.
O Sr. L.F. que siga este seu exemplo e o assuma.
Cordialmente,
BFS

Anónimo disse...

Os IpT têem,no seu conjunto,feito um trabalho de grande valor na Câmara e na Assembleia Municipal.
Mas também é nítido que Pedro Marques está a jogar em mais do que um tabuleiro e,prosaicamente,gere o seu silêncio de acordo com a sua estratégia PESSOAL.
Esse é o maior problema dos IpT e necessitam de o resolver urgentemente.
A manter-se como está será,naturalmente,o fim da esperança para muitos,como eu,que acreditaram num grupo e não num homem.

Anónimo disse...

Em qualquer terra de gente minimmamente esclarecida Pedro Mrques não voltaria a pensar sequer em poder ser candidato outra vez. E nem é por achar que exista algo menos claro ou negócios ou interesses por detrás dele. Não, é apenas porque acho que que é notório que ele já nem tem capacidade. Basta ouvi-lo falar, basta ver a postura. Postura que nunca me agradou, não sei porquê, mas para mim Pedro Marques representa o típico pato bravo.
É nisso que os tomrenses se revêm?

Anónimo disse...

Agradeço a atenção que me têm dispensado, nomeadamente na correcção ortográfica que vão realizando.

Aceito as recomendações e os esclarecimentos estão já dados por outros, que agradeço também.

Gostava mesmo era que se deixassem de "minuências" e avaliassem com capacidade crítica, o que se tem passado com "os tais" desse grupo de (ditos) independentes que - e concordando totalmente com a abordagem do Sr.caiano - não podemos confundir com alguma "gente séria" que por lá "habita".

E quanto à ideia de colocar o Fórum em Marmelais, estamos cada vez mais convictos que será a melhor solução.

Cumprimentos

Luis Ferreira

Anónimo disse...

Oh Sr. Luis Ferreira
Não tenha medo de dizer grupo de INDEPENDENTES por TOMAR.
O nome existe, é legal, não tem "lepra" e até conseguiu melhores resultados eleitorais que o PS (na Câmara globamente e nalgumas freguesias, até de maioria PS).
Se tem tanta e tanta alergia ao grupo, ao menos, por respeito a "alguma "gente séria" que por lá "habita" denomine-os correctamente por grupo de INDEPENDENTES por TOMAR.
Certamente que o Sr. não quer ser tratado por Luis Ferreira "o tal" desse grupo de (ditos) socialistas".
Estamos entendidos?!
Cordialmente,
Muito obrigado.

Anónimo disse...

Oh Sr. Caiano Silvestre

Diga lá claramente se a palavra "minuências" é uma falha dactilográfica ou ortográfica?
Será equivalente a "substracto" ou "baixesa"?

Escreve o Sr. Luis Ferreira:
"Aceito as recomendações e os esclarecimentos estão já dados por outros, que agradeço também."

Esqueceu-se de referir Caiano Silvestre, o que é injusto, dada a valia do apoio por si prestado.
Não funcionou a expressão "os amigos são para as ocasiões".

Olhe, parabéns (mútuos), ganhou o SIM e fez-se justiça às mulheres portuguesas.
Um abraço cordial.

Anónimo disse...

Caro Conde (o mesmo texto aplicou-se de igual modo ao seu confrade 'blogguer' da concorrência - o Godinho do 'TomarOnline', aqui bem perto)com adaptações, claro está!...,

O anonimato ou os pseudónimos não têm nada de especial... Cada um sabe de si!Ponto final, parágrafo!!!
Se o problema é de Língua Portuguesa,importe o 'Flip'versão xxx ou volte ao dicionário em suporte papel....
Se o problema é da verve inflamada de alguns dos bloguistas...Ups! ou de 'dedos mais leves e/ou desastrados nas teclas, qual é o problema?...
Se o LF/Virgilo/etc. andam na guerra das rosas, da laranjada, do alecrim e da manjerona ou do que quer que lhes dê na real gana, já estamos habituados...
Se não está, habitue-se também! Se 'isto' lhe dá muito trabalho e não vale a pena, feche o blog...ou entegue-o ao seu mordomo, porque não?!!!
Mas continue! Continue sempre!
É hobby na moda e às vezes,(poucas...) até dá gozo...
Mas com tantos num 'mundo virtual', é claro que às tantas dá pr´ó Carnaval.
Já vi que dá para o curioso e isso, por vezes, mata o gato...e o sarcástico também... Fica-lhe bem na nobreza das farpas...
Como não sou de cá, só venho ver as vistas, reais ou virtuais, pouco interessa..., só vejo este 'blog' como um desabafo editorial um pouco a dar para o azedo e, a páginas/comentários tantas(os) palco da 'tralha' do costume, entende, nobre Conde?...
Mas todos temos os nossos dias assim...
Mas não desista, a persistência tem os seus frutos!
Siga em frente, não se amofine e encare o 'blogger' como a vida: às vezes prega-nos partidas do arco da velha, mas não podemos dar-lhe o flanco!
'Blogue' sempre e deixe 'blogar', se assim lhe aprouver...

Hasta siempre!
('Carrero Blanco fué mas alto', diziam os anti-franquistas daqui do lado!)

Alexandre Pimenta
(Anarquista e tudo!)

Anónimo disse...

"ARRIBA FRANCO MÁS ALTO QUE CARRERO BLANCO"
era a palavra de ordem dos anti-franquistas que citou (Carrero Blanco foi "bombeado" e a sua viatura "saltou" umas boas dezenas de metros em altura).
Sr ALEXANDRE PIMENTA
As minhas saudações democráticas e a constação de que os PIMENTAS (no nariz) são os melhores.
Tem a minha solidariedade miltante.
Cumprimentos.

Anónimo disse...

Se gosta de ler perceberá a 'inspiração' de ALEXANDRE O'N. ou mesmo de Alberto PIMENTA...
Será que é necessário dizer mais?!...


AP
(Anarquista e tudo!)

Anónimo disse...

OK
Se Fôr ao Porto ouvirá falar dos Alves Pimenta (família republicana).

Anónimo disse...

Porque será que o Sr. Luis Ferreira não se refere ao que já foi aqui afirmado relativamente há hipótese Dr. Braz nas últimas eleições e a todos os contornos que rodearam esse assunto?
Porque também não confirma ou desmente a hipótese, que tem estado em cima da mesa, da candidatura do Sr. Paulo Fonseca às próximas autárquicas?
Se não fosse o caso dele rejeitar o tal Cristovão penso que já estaria tudo decidido, ou não será assim?
É espantoso como alguém que é rejeitado por 3 vezes na sua terra ainda tem a pretensão de ser candidato em Tomar ou Santarém, só porque pertence a um partido que o nomeou para G. Civil.
E já agora que fale nos negócios imobiliários que ele tem por todo o distrito, não só em Tomar e Ourém, agora também em Santarém.
Isto é uma vergonha e o Sr. Luis Ferreira quanto a tudo isto cala~se.
Que credibilidade!

Virgilo disse...

Ó Sr. AP,

Por favor,não me misture com essa criatura que dá pelo nome de LF...
É que nunca fomos,não somos,nem seremos farinha do mesmo saco...
Pode discordar de mim,tem toda a legitimidade e direito de o fazer...mas...não por essa via...
É que eu sou vertebrado e nunca vivi à custa do tachismo e/ou do servilismo...
Participo no debate sempre sob o mesmo nome,e...entendo eu...a validade das minhas opiniões não deve ser aferida por aí...
Identifico-me,assumidamente,com a Declaração de Princípios de Conduta e com o Programa Eleitoral dos IpT e,como alguém disse num post recente,com um Grupo de Trabalho e não com uma qualquer figura ou caudilho...
E ainda continuo a acreditar que os IpT,fazendo as apostas futuras nas pessoas certas,aceites e reconhecidas pela população,serão a única e real alternativa para Tomar...
O Paiva secou o PSD,os LFs e ugoCs descredibilizaram completamente o PS...o CDS/PP desapareceu...a CDU e o BE têem pessoas válidas,mas falta-lhe massa crítica eleitoral...
De facto só os IpT têem condições para congregar as pessoas mais válidas e sérias,independentemente do quadrante de proveniência,e formar equipas concorrentes a todos os órgãos autárquicos do concelho,rompendo com o Paivismo/Relvismo...
Os documentos eleitorais de 2005 são uma plataforma para a ruptura com um estilo de gestão municipal que mais de metade dos eleitores não sufragou,pese embora a maioria de mandatos PSD/Paiva resultantes da aplicação do método de Hondt...
Desenganem-se os que pensam que é cedo para começar a delinear uma estratégia...
A próxima candidatura dos IpT,se vier a acontecer,não pode ser um trabalho de dias,de poucas semanas...
É um trabalho que,particularmente nas freguesias não urbanas,já está muito atrasado...
Como vê,Sr. AP,o Virgilo não anda,nem nunca andou em guerras de alecrim e manjerona...
Pode,se quiser,continuar a pensar assim...é problema seu...
Mas,partindo de pressupostos errados,só pode chegar a conclusões erradas e fantasiosas...
Aprofunde mais a sua análise...se quer o melhor para a nossa Terra...
Aprenda a distinguir o trigo do joio...

Anónimo disse...

Caro Alexandre Pimenta
Só julgarei a sua valia quando tiver a ousadia de fazer o que os seus amigos terroristas fizeram a Carrero Blanco, a Calvo Sotello, a Primo de Riviera, entre outros, até lá continua a ser mais um "franganote emproado" que pouco sabe o que diz,
Espere que a bomba rebente debaixo de si, e que a mesma o leva prós quintos dos infernos, onde, tl como aqui, não faz falta nenhuma,
Abençoados sejam os pobres de espirito...
Longa vida para os Viriatos
Vt

Anónimo disse...

Podem consultar os resultados finais do Referendo deste Domingo, por mesa eleitoral, em PS Tomar

LF

Anónimo disse...

Não precisei de fazer qualquer agradecimento ao Sr.Caiano, pela simples razão que ela se deduz pelo texto que escrevi.

De tão literados, parece que a alguns escapa o sentido global dos "post´s"...

É também de agradecer, para esclarecimento global da blogosfera, a clareza de alinhamente - finalmente - assumido pelo VIRGILO.

Bom é saber que alguns dentro dos IpT, como Virgilo diz: "Identifico-me,assumidamente,com a Declaração de Princípios de Conduta e com o Programa Eleitoral dos IpT e,como alguém disse num post recente,com um Grupo de Trabalho e não com uma qualquer figura ou caudilho...


Esta da figura e do caudilho é linda, hilariante diria eu!(fiquei mesmo a pensar em qual seria um e o outro...)

Só pode ser mesmo alguém que não quer ver o movimento em que se encontra...

Exemplar, meu caro Watson, exemplar!

Luis Ferreira

Anónimo disse...

"De tão literados, parece que a alguns escapa o sentido global dos "post´s"..."

"LITERADOS" ? ? ?

Mais um pequeno engano dactilográfico, ou será ortográfico.

O Sr. Caiano que lhe explique!

Anónimo disse...

Podem consultar os resultados finais do Referendo deste Domingo, até ao pormenor em www.stape.pt

"InfoGabinete"

Anónimo disse...

"Esta da figura e do caudilho é linda, hilariante diria eu!(fiquei mesmo a pensar em qual seria um e o outro...)"
Assenta como uma luva no Sr. LF (também pela negativa, claro).

Anónimo disse...

Caro Conde,
Surpresa das surpresas!!! Tomar já tem extrema direita! Ou será que nunca a perdeu!
Uns tais de 'Viriatos'...
E até 'afinam' e mandam 'comunas' 'prós quintos dos infernos'... Só falta o braço armado de 'skin heads' a desancar algum pobre negro...
O seu 'blog' qualquer dia mistura desde 'etarras' a MDLPs... Não há fome que não dê em fartura... APRE!!!
Boa sorte e ature-os! Já todos demos para estes e outros peditórios!
Cumprimentos!
Xau Xau

Anónimo disse...

Como estamos quase no Carnaval umas bombitas (de mau cheiro, como é óbvio) ou uns foguetes (do tipo das flatulências do PdC) são fruta da época.
E costuma-se dizer cão que ladra não morde.

Anónimo disse...

literato

do Lat. litteratu

s. m.,
aquele que cultiva a literatura;
escritor;
homem versado em literatura ou em letras;
letrado.

Anónimo disse...

letrado

do Lat. litteratu

adj. e s. m.,
versado em letras;
literato;
erudito;
jurisconsulto

Anónimo disse...

Obviamente Literato ou Letrado.
(mas entenderam a ideia ou não?)
Isso aqui nos blogs é que interessa.
LF

Anónimo disse...

Claro o português (língua portuguesa) que se lixe!
Serão os ensinamentos da Maria Menistra, do Walter ESE e do Jorge Pedreiro?!
E siga a marinha.
Vai lá vai!

Anónimo disse...

Vá lá não seja mauzinho.
Há-de reparar que até não escrevo muito mal, sem as pressas aqui dos blogues.

Eu sei que o desejo de dizer mal é muito, mas veja, até me está a ajudar a dizer tanto mal de mim, que é precisamente o que não pretende...

Focalize-se no esssencial. Por exemplo neste momento, qual a sua posição sobre a nossa proposta de colocar o Fórum Tomar em marmelais, garantindo a sobrevivência do nosso Mercado (requalificado, obviamente)?

Vá lá, faça um esforçozito e dê o seu contributo. Vai ver que não custa nada e no final até se vai sentir aliviado, por não ter tido a necessidade de dizer mal de ninguém!

LF

(Devem estar para aí umas gralhas, mas não se preocupem, que o "corrector oficial" volta, ai se volta!)

rsrs

Anónimo disse...

Oh camarada deixe-se de lamúrias e de falsa humildade.
Devia agradecer este trabalho de correcção de asneiras, que na Escola não teve.
Sobre o fórum em Marmelais, que refere, já aqui se escreveu e já outros escreveram há dois anos (peça a documentação no TomarPolis).
A ideia é magnífica e "deita abaixo" a "argumentária" da Ponte Flecheiro e destruição do Mercado.
Aproveite, faça cópia, cole os vários argumentos e terá um texto substancial, que deverá enviar ao TomarPolis.

"(Devem estar para aí umas gralhas, mas não se preocupem, que o "corrector oficial" volta, ai se volta!)"
Chamar gralhas às asneiras que lhe apontaram é como chamar abóbora a um pepino.
Cuide-se e antes de escrever palavras "caras" certifique-se que estão adequadas.
Olhe que uma vírgula, um ponto final, um ponte de interrogação pode ser da maior importância.
E o "corrector oficial" até acaba por ser seu amigo.
Em vez de "caneladas" deve é evitar que ele tenha de vir aqui corrigir.
O homem até é bonzinho e quer-lhe muito melhor que o Sr. quer a ele.
Portanto, mais uma vez, está equivacuado (digo, equivocado!)

Anónimo disse...

Muito sinceramente que não entendo porque é que ainda dão troco a um hipócrita como é o SR Luis Ferreira.
Anda há tantos anos na politica e pergumtamo-nos: o que é que ele já fez por Tomar?
Arranja uns tachos para ele e para os amigos, trata de afastar os mais capazes do PS, pois não quer que alguém lhe possa tirar o falso protagonismo que ele pensa ter e em última anális, de uma forma ardilosa tenta denegrir a imagem de quem lhe possa fazer frente.
Sobre ele o que é que sabemos?
O que fez ele enquanto empresário?
Nesses tempos de empresário também esteve no Governo Civil e é necessário saber-se até que ponto envolveu essa sua actividade com as funções que exerceu no G. Civil.
Acho que deve responder com sinceridade e depois demitir-se do PS, sob pena de terem que lhe chamar mentiroso. Vamos lá sr. Luis Ferreira conte-nos a sua história. Aguardemos então, ou será que terão que ser outros a contá-la?
Por certo estará tudo correcto, mas como não sabemos, estamos curiosos, mas sabe os boatos correm e não deixe que eles lhe interrompam a sua ascensão política, pois o buraco é muito fundo e o Sr. ainda vai a meio caminho.
Boa viagem, falta pouco pra bater no fundo.

Anónimo disse...

Por jacarandá - Lx.
Após trinta e poucos anos de democracia, temos ainda que 'aguentar com estes 'morgados', como diria a saudosa Natália Correia... Por certo que o tal de secretário da Educação (como é que ele se chama afinal?) deve julgar-se no Afeganistão dos taliban... Então as faltas das professoras por maternidade também contam para avaliação em concurso curricular??? Mas será que o homem anda bem? Pois não parece! Se não tem coragem para se ir embora pelo seu pé dele... Por favor!! Demitam-no! Urgentemente!!! Safa!!!

in 'Público Online'
a propósito do sec.Estado Pedreira

12 Fevereiro, 2007 21:39


Anonymous said...
O Secretário Pedreira no seu melhor...
Por Anónimo, Lx.
Depois de ontem termos libertado as mulheres portuguesas da canga prisional por aborto clandestino e de termos ganho uma réstea de esperança com esse sinal, hoje de volta ao real deparamo-nos com mais um coveiro do SNS ( já não nos bastava o respectivo ministério...) Agora temos o ' inenarrável' Sec.Estado da Educação Pedreira, com mais um ataque de bílis, a por em causa a maternidade das Professoras portuguesas... Não é que o empedernido até quer avaliar a assiduidade de professoras ou professores tendo em conta as faltas por maternidade/paternidade ou doença? Será que não era de enviá-lo, a ele sim de baixa? Psiquiátrica de preferência? Num país com natalidade quase zero é este o apoio e defesa da família ou da saúde? É que nem no privado se discrimina a maternidade ou a doença em termos de avaliação...(a não ser que o patrão seja daqueles dinossauros machistas, infelizmente ainda pululantes e uivantes...). Será que o Secretário Pedreira os gosta de secundar e acha que as mulheres devem ficar em casa? Ou ... Bom , em país civilizado, tal arrogância só tinha um caminho - a demissão imediata e compulsiva! Senhor Primeiro-Ministro, óbviamente demita o sr. Secretário de Estado da Educação, Jorge Pedreira! (É que já nem se lhe desculpa um dia mau!!! Nunca devia era ter sido, sequer, convidado a exercer cargo governamental !)

In: 'Público Online'

Comentário: É o Pedreira e o LF...

DÊEM-LHES PALHA...

12 Fevereiro, 2007 21:43

Anónimo disse...

TAnta azia que ataca neste blog.
Haja pachorra!!!!
São imbecis como estes que aqui encontram um sítio escondido para lhes vejam o vómito mas não a cara que me levam a crer que a democracia se calhar era melhor à moda do Salazar. Nessa altura pelo menos, estes broncos, se é que viveram nessa altura, andavam calados, o que é um ponto muito a favor de qualquer regime.
Bom, pelo menos enquanto andam aqui entretidos, não fazem disparates lá fora.

Anónimo disse...

Pensamento LuisFerreiroziano de alta perfomance e gabarito.
São requícios do passado de mentalidade Mocidade Portuguesa.
Heil!

Anónimo disse...

Corrigenda:
requícios - resquícios

Anónimo disse...

Vá lá, vá lá...

Então não conseguem melhor que isso?

Ando a ficar muito desiludido com o "Clube de fãs".

Assim não dá!
Então dá-se uma pessoa ao trabalho de tentar contribuir com uns "pensamentos", com "umas ideias", com umas "achegas" e só conseguem zurzir umas quantas atoardas (falsas) sobre a minha vida?

Então vá lá...
Argumentem melhor.
Digam por exemplo quais as frustações que têm em relação ao PS.
É porque ele não pactua com o "status quo"? É porque ele "não se vende"? É?

Ou queriam-nos "meninos de coro", era?

pois... azarito!

E se não nos acham assim tão relevantes, tão importantes porque passam a vida a falar de nós e em especial de mim que sou apenas mais um dos 37 Deputados Municipais e, ainda por cima, na oposição?

Vá lá, vá lá. "Estiquem-se mais um pouco", que estão quase lá!

rsrs

LF

Anónimo disse...

Ao corrector

Gostei especialmente no seu texto do "ponte de exclamação".

Vê que até é fácil errar?

rsrs

LF

Caiano Silvestre disse...

Estava a ver que era o único que tinha reparado.

;-)

Anónimo disse...

"Então dá-se uma pessoa ao trabalho de tentar contribuir com uns "pensamentos", com "umas ideias", com umas "achegas" e só conseguem zurzir umas quantas atoardas (falsas) sobre a minha vida?"

"Pensamentos Políticos" de Mau Tsé Ferreira

"Achegas" de Vladimir Ilich Ferreira

"Umas Ideias" de Luis Aristóteles Ferreira

"Ponte de exclamação" de Anónimo Corrector

"Reparação" de Caiano Silvestre

Caiano Silvestre disse...

Quanta profundidade, Caro Anónimo!

Estou estupefacto com o brilhantismo do seu raciocínio, com a luz que irradia do seu escrito e com a beleza da sua escrita.

Ecce Homo.

Anónimo disse...

Gracias.

Anónimo disse...

Vamos lá Sr. L.F., a sua empresa esteve instalada na Rua de S. João e ao que se sabe teve graves problemas financeiros, ao ponto de haver gente que passou a fronteira para fugir não sabemos a quê. Por isso diga-nos lá como é que financiava a empresa e como é que muitas das vezes arranjou dinheiro para pagar a renda?
Quer dizer ou quer que conte mais.
Se o Sr. se vende ou se deixa comprar não sei, mas que o Sr. não presta é uma verdade. Deixe-se de armar em sério, pois não o é e não passa de um opotunista.

Anónimo disse...

Meu caro, meu caro...

Já tive oportunidade de respeonder a essa sua insinuação anteriormente.

Que eu saiba a empresa não ficou a dever nada a ninguém. E muito menos alguém se teve de ausentar para o estrangeiro.

E já lhe disse que posso ir a qualquer loja, restaurante ou empresa de Tomar, que tenho crédito, porque sou gente séria.

Poderá o sr. dizer o mesmo?
Sabemos bem que não.
E por falar em dever, não será o Sr. que me deve a mim?
Se calhar é isso que o preocupa.
Olhe: Use um espelho. Ai está o seu pior inimigo!

Cumprimentos

LF

Anónimo disse...

Se for o caso de me dever alguma coisa, considere a dívida saldada.

O simples facto de continuar a atacar-me com falsas insinuações, aumenta a minha credibilidade.

Não precisando de tal facto, porém acho que deve continuar, porque assim me aumenta a possibilidade de a minha voz ser mais ouvida.

Recorda-se, estou certo, daqueles panfletos anónimos a "denegrir a imagem de António Paiva" nos dias antes das últimas eleições.

Quem os fez, que deduzo serem da mesma índole que o Sr., apenas o benificiou, procurando atacar a sua honorabilidade.

Sabe: o crime não compensa e o ódio é uma forma de amor.

Obrigado pelo seu afecto.

rsrs

LF

Anónimo disse...

Sr. Luis Ferreira

Dou-lhe um conselho amigo.

Deixe de dar troco aos Srs Jorge Cosme e Fernando Oliveira dos Independentes, que procuram desacreditá-lo.

Sei que não me vai ligar nenhuma, mas de qualquer forma acho que deveria "pô-los na ordem", como gosta de dizer que conseguiu fazer no PS de Tomar, provando que eles lhe são indiferentes.

Faça o que tem a fazer: colabore para que o seu PS consiga arranjar uma equipa para substituir a de António Paiva.

Não sou do seu partido, mas respeito a sua persistência. Não lhes dê mais troco, que são uns empresários falidos e ganhe as eleições que eles calam-se.

Anónimo disse...

"Achei curioso que procurassem saber qual a minha posição sobre tal tema, eu que até quando frequentava os "grupos de jovens católicos do 111" em Tomar já defendia o direito das mulheres a disporem do seu corpo, para escândalo de alguns dos "monitores da fé", isto no início dos anos 80."

Não lhes dê mais troco e ganhe as eleições que eles calam-se.

FERNANDO OLIVEIRA disse...

FERNANDO OLIVEIRA said...
Ao Senhor Anónimo das 21,04 de 13/02/2207:

Quero dizer-lhe que não lhe admito que repita as afirmações caluniosas que faz,a meu respeito,no referido post.

Por duas razões:

1ª - Quando tive que enfrentar as insinuações ou calúnias do Sr. Luis Ferreira ou de qualquer outro comentador,fi-lo como agora,assinado com o meu nome.

2ª - Quanto aos problemas que ocorreram na empresa de que fui fundador e gerente,na minha ausência por doença,aconselho-o a ler os jornais locais da altura,a ouvir a opinião dos trabalhadores e a ler a introdução de um artigo que,recentemente,publiquei no jornal "O TEMPLÁRIO",a propósito da Ponte do Flecheiro.

Trabalho há 32 anos,desenvolvo actividade cívica e política há 39 anos e desafio-o,sem saber quem é,a dizer e PROVAR onde é que a minha postura se afastou dos valores que defendo e sempre defendi.

Dediquei os 10 anos mais pujantes da minha juventude à luta por interesses colectivos,se receber nada em troca,quer no plano material,quer em qualquer outro.
Sempre estive na política para SERVIR e não para me servir.O carreirismo nunca foi o meu percurso.

Fundei uma empresa,criei e mantive cerca de 30 postos de trabalho durante 17 anos.
Trabalhei que nem um escravo durante esses anos,ajudei a criar riqueza,paguei centenas de milhares de euros de impostos (se calhar para o ajudar a sustentar a si e a outros que comem do Orçamento do do Estado),segui sempre um estilo de gestão humanista (não sei se sabe o que é),e não é um Anónimo qualquer,ao serviço de parasitas sociais e políticos,que tem estofo ou moral,ou razão,para me vir tentar morder nas canelas.

Até porque aos cães,"tirei-lhe
sempre a carne da boca".

Fernando Oliveira

14 Fevereiro, 2007 00:44

... disse...

Permitam-me que informe a blogosfera que o PS promove no próximo Sábado, pelas 16H30, no Salão da Junta de Freguesia de Sta Maria dos Olivais, um Debate Público sobre o Plano de Pormenor do Flecheiro e Marmelais.

Mais informações poderão ser encontradas em Sítio do PS de Tomar

É mais uma oportunidade para a CIDADANIA se estender, especialmente porque a apresentação pública promovida pela CM foi realizada num dia de semana às três da tarde.

As sugestões poderão ser oficializadas na Casa Vieira Guimarães, até ao próximo dia 2 de Março.

LF

Anónimo disse...

Oh, Sr. L.F.,
Ainda não percebeu que em Tomar, embora e por enquanto à boca pequena, muita gente já fala desse seu tempo como empresário.
Quanto à forma como o Sr. muitas vezes pagava a renda, não me diga que não sabe ou que precisa que lhe façam um desenho, porque se persistir na mentira, pode estar certo que a denúncia com factos e testemunhas acabará pública.
Por agora fico-me por aqui.

Anónimo disse...

Sr Fernando Oliveira,
Não entenda como uma qualquer crítica, mas como dúvida genuína.
Não percebi essa expressão "aos cães,"tirei-lhe
sempre a carne da boca".

fernando oliveira disse...

Sempre que um cão,por maioria de razão se for raivoso ou tinhoso,se chega a mim para me morder,eu afasto a perna(carne).
Aos parasitas viro-lhe as costas e desprezo-os.
Está eslarecida a sua genuína dúvida?
Por mim,dou por encerrada esta segunda tentativa de assassinato de carácter.

Fernando Oliveira

Virgilo disse...

Sr. Fernando Oliveira,

Fogo à peça...
Porrada nessa matilha de parasitas...que é o que eles são...
Nunca perca a força que lhe conhecemos...

Anónimo disse...

'Assembleisses' à nabantina...

A 'tralha' continua...
A 'saga' hospitalar também...
Só faltam os do costume prá foto do costume...
Em Valença cortaram a estrada e a fronteira...
Nós por cá... pedimos esmola ao Sr. Ministro...
Deve ser do Carnaval - os cabeçudos do costume...
Com a dor de cotovelo do costume...
Será que não se pode... por toda esta camarilha, mesmo todos; a andar?...
Se calhar...

Anónimo disse...

Corrigenda: onde se lê: 'mesmo todos;' deve ler-se: 'MESMO TODOS,'!
Sr. Conde, mesmo se nos brasis, carnavalando, envie 'corrector ortográfico', S.F.F.
Muito obrigado!

Anónimo disse...

"Deve ser do Carnaval - os cabeçudos do costume...
Com a dor de cotovelo do costume...
Será que não se pode... por toda esta camarilha, mesmo todos; a andar?...
Se calhar..."

este anónimo está a declamar para si próprio vindo directamento do cortejo, mas não tirou a máscara.
Se tivesse a coragem de a tirar teríamos uma grande surpreza, assim uma espécie de magazine da Voluntários da República e limítrofes.LF
rsrs - rsrs - rsrs - rsrs - rsrs - rsrs - rsrs

Anónimo disse...

E se o ministro der a "esmola" vai aplaudir!?
E se não der vai cortar e estrada?! Qual!? Quais!?
E leva os cabeçudos?
Realmente é só goela.
Papaias!
E a dor de cotovelo do costume..

Anónimo disse...

Referendo Sobre a Ponte do Flecheiro

NOTA À IMPRENSA
POR UM REFERENDO LOCAL SOBRE A PONTE DO FLECHEIRO

Bloco de Esquerda apoia sugestão dos Independentes por Tomar

O Programa Eleitoral com que o Bloco de Esquerda se apresentou às Eleições Municipais de 2005 – e que continua a servir de orientação à acção política do BE na Assembleia Municipal – dedica o seu capítulo IV à defesa daquilo a que denominámos “zona entre-pontes”. Aí, refere-se:
“A importância da intervenção prevista para a zona do Flecheiro, no âmbito do Programa Polis, bem como as decisões erradas que o actual Executivo assumiu sem ter em
conta a expressiva opinião contrária dos cidadãos, recomendam os seguintes enfoques:
1 - A denominada “zona entre pontes” – iniciada na Ponte Velha e prevista até à projectada Ponte do Flecheiro – deverá alargar-se em ambas as margens até à Ponte Pedonal, com o abandono da “Ponte do Flecheiro”.
2 - A “zona verde equipada” a iniciar-se atrás do “Centro de Interpretação Ambiental”, abrangendo toda a frente do “Espaço de Bares e Restaurantes” (como preconizou a Comissão de Defesa e Protecção do Nabão e suas Margens, cujas conclusões devem ser respeitadas!), contemplará (e na zona idêntica da margem esquerda) um equipamento fluvial infra-estruturado de desfrute do espelho de água originado pelo “Açude Remodelado”.
3 - Tal implica abandonar-se, de uma vez por todas, a “projectada Ponte do Flecheiro”, pois não faz sentido interromper uma zona eminentemente pedonal com uma ponte rodoviária de volumetria idêntica à Ponte Nova, a qual iria atrair trânsito para a “área central da cidade” e lançá-lo na zona da Igreja de Santa Maria do Olival/Cemitério e na zona escolar, com os consabidos inconvenientes que se teima em não querer considerar.
4 - A actual Ponte Pedonal necessita de intervenção, melhorando-a e preparando-a para uma utilização rodoviária muitíssimo limitada, em circunstâncias excepcionais e de emergência e só por veículos ligeiros dos Bombeiros ou dos órgãos policiais.
5 - A solução terá de passar pela “ponte-açude de S. Lourenço/Ferrarias” que, naturalmente, vai captar o trânsito de sul e irá atrair o trânsito urbano da zona da Várzea Grande/Estação/”Zona Industrial” e, quiçá, o provindo da Levada e da R. Cândido Madureira, criando uma mais rápida entrada a sul na projectada via de Cintura para melhor distribuir e descentrar o tráfego, com benefício geral.”
Presentemente, encontramo-nos em pleno período de debate público sobre o Plano de Pormenor do Flecheiro. Todavia, pasme-se!, a Ponte do Flecheiro está fora deste debate pois foi já aprovada pela Maioria e o processo de expropriações começou, entretanto. Mais: a abertura das propostas para a sua construção acontecerá ainda durante o período de debate, isto é: estamos em debate ou em simulacro?
Sobre o Mercado Municipal e o Fórum, o capítulo III do nosso Programa consagra:
“Construir um novo, moderno e funcional edifício que sirva as populações durante toda a semana em condições de higiene e eficácia, melhore as condições de exploração comercial e promova a requalificação das margens do Nabão naquela zona. Os desenvolvimentos entretanto verificados no âmbito do Programa Polis e do projecto para a zona do mercado, incluindo um “Forum”, aconselham que:
a) o futuro Mercado Municipal deverá manter a matriz arquitectónica do edifício actual e permanecer como estruturante do Forum, com respeito pelos actuais concessionários, cujos direitos terão de ser devidamente acautelados;
b) deverá realizar-se um estudo de avaliação do impacto de um complexo comercial nesse Forum para detectar as necessidades dos consumidores e as suas potencialidades, permitindo projectar e definir com o maior rigor possível a sua implantação efectiva (área, ramos de comércio, número de lojas, espaços de lazer, estacionamentos), podendo vir a equacionar-se, até, a sua construção evolutiva.”
Passados que são, praticamente, dois anos sobre a redacção daquele documento, o Bloco constata, entre outras questões:
- a solução para defesa da área da Igreja de Santa Maria está bem conseguida;
- porém, a conjugação potencial de tráfego resultante da eventual Ponte do Flecheiro, da estrada de Marmelais redireccionada e do afluxo de tráfego provocado pelo Fórum e novo estacionamento subterrâneo (subaquático?) constrangirá o futuro cruzamento junto à Rua Manoel de Matos / edifício da PT, já de si uma zona condicionada pela existência de ruas de larguras reduzidas;
- o futuro Mercado Municipal, apesar de se manter naquela zona, ficará ainda mais menorizado do que as actuais e insatisfatórias instalações;
- nada indica que se mantenha, ou salvaguarde, a traça do actual Mercado;
- não houve quaisquer estudos sobre os efeitos do Fórum / Centro Comercial no comércio local nem foram, como defendemos, estudadas as necessidades dos consumidores;
- a construção do Fórum virá reforçar a barreira visual sobre o rio e o Castelo já iniciada com a construção do Centro de Emprego;
- nada garante o sucesso comercial do Fórum, o que pode redundar na existência, a prazo, de um monstro urbanístico sem sentido;
- o conjunto Ponte do Flecheiro-Forum-Mercado Novo-Centro de Emprego criará uma barreira arquitectónica numa zona que se pretende libertar em favor da Natureza, em contraste absoluto com a filosofia que está a ser seguida a montante da Ponte Nova.
O Bloco de Esquerda continua a considerar que a prioridade é a construção da Ponte de S. Lourenço e que a solução para o Mercado Municipal deveria passar pela construção de um novo equipamento no mesmo local, maior e mais operacional, mantendo elementos arquitectónicos do actual no futuro Mercado.
Ora, por tudo o que se acaba de expor, o Bloco considera absolutamente pertinente a sugestão de referendo local avançada na última sessão da Assembleia Municipal pela voz do Deputado Municipal Fernando Oliveira.
Tomar, 18 de Fevereiro de 2007
O Núcleo de Tomar do Bloco de Esquerda
Carlos Trincão

posted by tomaronline @ 1:12 AM
Anonymous said...
Referendo?
Apoiado!
É uma decisão demasiado importante para deixar aos eleitos, que tão mal nos tem representado!

19 Fevereiro, 2007 12:12


Anonymous said...
APOIADO!!!
Sem papas na língua!
Dêem a voz e a decisão ao povo!
Tudo o resto são 'papaias' de maus pagadores!

19 Fevereiro, 2007 12:29

Shane disse...

Não é costume, mas até não fazia mal nenhum referendar-se a questão!
Aliás em toda a Europa é comum fazerem-se referendos sobre decisões importantes mesmo a nível local...
Infelizmente não estamos por cá habituados a tal, o que é pena!
Também infelizmente temos que continuar a assistir aos malabarismos dos nossos eleitos, que, regra geral, não têm fundamentação técnica, ou simplesmente não passam de fogo fátuo mediático...
Muito se tem dito e desdito sobre a proposta apresentada... Mas opinião informada e tecnica e atempadamente formulada escasseia...
Relembro que se deveria igualmente ver o enquadramento de tudo isto com o Centro Histórico, como alguém já sugeriu...
Mas as poucas vozes que remam contra a maré do 'politicamente correcto' são cada vez menos. Várias opiniões e trabalho esforçado poderiam atalhar...
Será que quem é pago para nos representar será capaz disso?
Bem vindo quem queira trabalhar por bem! Bem haja quem, desinteressadamente, possa dar contributo para a solução possível, que é sempre a inimiga da 'tal' que muitos procuram tornar na 'verdade'!...

Shane disse...

Nota importante:

Até não sou de cá, nem cá vivo... No entanto, interesso-me por Tomar, que visito com alguma regularidade, ao vivo e também virtualmente, via Net e blogs.
Por isso, o interesse é desinteressado e mera e humildemente avançado via pseudónimo.
A decisão terá sempre que ser vossa!
Tomar é de todos vós!
Nunca a desmereçam!

Anónimo disse...

Tomar é de Portugal e dos Portugueses.
Quem não for de cá, nem cá viver, tem o direito (e o dever) de criticar, apontar caminhos, dar sugestões, reclamar, exigir, etc.
Tomar, tal qual Portugal, constrói-se com o contributo de TODOS (sem excepção).
Quem assina com shane (e quem vier por bem) é bem vindo! E conta!

Anónimo disse...

Do site PS de Tomar

Domingo, Fevereiro 18, 2007
PS propõe Referendo Local


PS irá propor Referendo Local sobre a questão Mercado Municipal/Centro Comercial

No decurso do debate público promovido pelo PS no passado sábado sobre o Plano de Pormenor do Mercado/Flecheiro, o Presidente Hugo Cristóvão anunciou que o partido irá propor em sede própria, a realização de um Referendo Local sobre a polémica questão da destruição do Mercado Municipal para construção de um Centro Comercial, propondo o PS em alternativa a manutenção e renovação do Mercado, apontado a construção do Centro Comercial para a zona de Marmelais.

Gab.Imprensa do PS de Tomar

Anónimo disse...

Está talvez na altura de estas propostas de referendo não passarem só do papel. Já escrevi no Tomaronline que não devemos deixar na mão dos eleitos, decisões desta importância, porque senão o que nos resta depois é dizer mal, porque o mal já está feito.
Senhores da oposição: se não conseguirem convencer o Presidente Paiva a não enveredar pela destruição de património e respectiva construção de mamarracho, então é vosso dever arranjar maneira de que o propalado referendo seja convocado. Por mim até podem cometer alguma ilegalidade para o conseguir (tipo sequestrar vereadores que sejam a favor do "Fórum" por altura da votação). Mas, por favor mais mamarrachos não!!!

Anónimo disse...

POR UM REFERENDO LOCAL SOBRE A PONTE DO FLECHEIRO
Bloco de Esquerda apoia sugestão dos Independentes por Tomar

Anónimo disse...

Srs. da oposição ao Presidente da Câmara: deixem-se de divisões e entendam-se para impedir o fim do comércio em Tomar, com a construção do Fórum no actual Mercado.

Há muitos como eu no PSD que também querem outra solução.
Estamos dispostos a ajudar mas não dividam o que pode ser um objectivo de todos.

Um militante do PSD

Anónimo disse...

Paralelamente ao esforço das organizações políticas é FUNDAMENTAL que os cidadãos de Tomar se mobilizem e façam sentir:
- a sua discordância com o fórum-centro comercial sobre o "cadáver" do Mercado,
- a sua discordância com a Ponte do Flecheiro,
- a sua concordância com a prioritária ponte do Padrão (Ferrarias) e a construção de um açude com a ponte em cima para dotar todo o Flecheiro de um espelho de água condigno,
- a sua exigência da renovação, revitalização (ampliação até) do Mercado, mantendo a traça que está na nossa memória.
"Isto" tem de ser "feito" por escrito, individualmente, entregue (ATÉ 2 DE MARÇO) no POLIS (Casa Vieira Guimarães - Corredoura) podedo aproveitar um impresso que aí deve ser pedido.
Se houver MUITOS cidadãos a manifestar-se assim por escrito o Engº vai ter de mudar de atitude e Tomar será salva.
Em vez de lamentos actuemos com impressos escritos!


E ainda para, noutras vias, manifestarem:
- a sua exigência de "recontrução" do tanque bimbernético, aproveitando (noutro local) os mecanismos de água e luz, aterrando-o, colocando um relvado com um grande e bonito tabuleiro no centro e os símblos de Tomar;
- a sua exigência para que acabem os "assassinatos " às seculares calçadas do Centro Histórico e à "requalificação" que tem vindo a destroçá-lo;
- a sua exigência à reabertura do Parque de Campismo para dar apoio à Festa dos Tabuleiros;
- a sua exigência de reconstrução do Convento de Santa Iria e edifício do ex-Colégio Feminino, de cuidado com a Mata dos 7 Montes;
- a exigência de limpeza do Rio Nabão, da cidade cheia de lixo;
- a exigência do regresso à Cidade Jardim; etc. etc. etc.

Anónimo disse...

Os Comerciantes do Centro Histórico e das zonas limítrofes do Mercado Municipal não devem ficar calados e devem evitar a destruição do Mercado e a construção do mega fórum/centro comercial no lugar dele.
Se ficarem calados e nada fizerem têm a curto prazo a falência como prémio.
Estão à espera de quê?
De um milagre?
Avancem.
Ontem já era tarde!

Anónimo disse...

Extraído do Tomaronline:


Os IpT anunciaram na sessão da Assembleia Municipal passada 6ª feira - 16/02/2007 - a intenção de propôr a relização de um referendo local sobre os projectos mais polémicos do Plano de Pormenor do Flecheiro.
Entretanto,o deputado municipal Carlos Trincão,do Bloco de Esquerda,veio,aqui,no Tomaronline,manifestar o seu apoio a essa iniciativa.
Os IpT fizeram então publicar,também aqui,a sua Proposta de Deliberação para a realização do referendo local.Mais adiantaram,dizendo que estavam abertos a novos apoios que tornam-se a sua Proposta numa iniciativa conjunta de toda a oposição,contra o atentado preparado pelo obstinado António Paiva e seus súbditos.
É com surpresa e perplexidade que,hoje - 20/02/2007 - vemos o PS aparecer em público,aqui,no Tomaronline,a anunciar uma iniciativa semelhante.
Deixamos à consideração dos Tomarenses em geral e dos socialistas,em particular,a apreciação e qualificação desta atitude divisionista da direcção local do PS.
Saliente-se ainda que Hugo Cristóvão,presidente da concelhia do PS estava a assistir à AM no momento em que os IpT anunciaram a sua intenção.
Atitudes desta natureza só podem alegrar António Paiva e prejudicar a eficácia polítca de uma iniciativa que já estava lançada e aberta a congregar apoios.
Apesar de tudo, apelamos ao bom senso dos dirigentes locais do PS no sentido de recuarem na sua tentativa de se apropriar da iniciativa de outros e de se juntarem aos IpT e ao BE.
Apelamos ainda à CDU para que se junte a esta iniciativa, em defesa dos interesses de Tomar.
O caminho é o da unidade e nunca o da divisão.
Se insistirem no divisionismo,pagarão o preço político inerente,agora e na hora da verdade.
POR TOMAR. TOMAR MERECE!

Fernando Oliveira

Anónimo disse...

Senhores das organizações políticas

Deixem-se de empurrar uns para os outros e façam mas é distrubuir pela população os impressos de que falam por aí para colocar as nossas opiniões.

Muito em especial em defesa do nosso mercado.

João Santos
Comerciante

Anónimo disse...

ATENÇÃO:

Os impressos estão à disposição no r/c da Casa Vieira Guimarães (início da Corredoura) e deverão ser prrenchidos individualmente e entregues até ao dia DOIS DE MARÇO.
Mas é necessário que os cidadãos expressem a sua opinião sobre a Ponte do Flecheiro, a construção do "fórum"/centro comercial sobre as ruínas do Mercado, a ponte do Padrão, a necessidade de um espelho de água até ao Padrão (e não até à actual ponte pedonal), etc.

Hugo Cristóvão disse...

Caro Fernando Oliveira,
e aos demais,

Devo dizer que estranho e me diz pouco esta questão da paternidade do referendo local. (embora não duvide da sua, certamente muita, pertinência política)
Estranhei de facto quando, talvez há duas horas atrás, uma jornalista me telefona a indagar sobre o assunto, isto depois de outros telefonemas pessoais ao longo do dia.

Dou como disse, pouca importância ao assunto, mas depois de ser informado e de verificar que, tanto pessoalmente como o partido que represento aqui somos referidos, entendo dever dizer o seguinte:

Sobre o referendo local à construção da ponte do flecheiro, já em 2004 o PS levantou a ideia, (o que é fácil confirmar para quem tem andado pela política ou minimamente atento), e só não a levou mais à frente por diversas razões de ordem política que não entendo serem agora relevantes, nem carecerem de pertinente discussão neste fórum.
Segundo, já em 2006, e em especial nas últimas semanas do corrente ano o PS voltou, desta vez apenas em discussões internas e com conversas casuais com personalidades exteriores ao partido, a reflectir sobre a hipótese do referendo à ponte, sendo que nas últimas semanas essa ideia se colocava por oposição ao referendo ao mercado.
Lembro que o referendo para poder ser viável só pode conter uma questão.
A decisão recaiu na segunda hipótese de referendo, e as razões dessa decisão reservo-me a discuti-las pessoalmente com os líderes dos outros partidos e grupos, o que espero venha a ocorrer breve, se assim forem desse entendimento.

O facto de só termos anunciado essa ideia no passado sábado, dia em que agendáramos um debate público, tem a ver com o facto de, ao contrário do PSD na autarquia, não “adjudicarmos decisões” antes de ouvirmos opiniões.

Caro Fernando Oliveira, apesar de, de qualquer forma, não o ter ouvido defender nenhum referendo, mas apenas invocar tenuemente essa hipótese na Assembleia Municipal; e apesar de tudo o que antes referi, e de poder ser eu a acusá-lo de querer "assumir os filhos dos outros"; se está tão obstinado a ser o “Professor Marcelo” do referendo em Tomar, por mim, que seja.

Reafirmo no entanto, e isso é que julgo importante, a disponibilidade, permanente, pessoal e do PS, para discutir tudo o que, duma forma séria e profícua seja a bem de Tomar e dos Tomarenses.


E à margem, aproveito para duas notas finais:
Primeiro, se fizer o favor, não nos acuse de divisionistas, porque a inteligência facilmente demonstra quem o é.
Segundo, era tempo de vocês que tanto gostam de se denominar de independentes, parassem de tentar interferir nas questões internas do PS.
O PS não é nenhum grupo personalizado e a prazo, é uma instituição com história e com regras. Entre outras coisas, continuar sub-repticiamente a tentar colocar em causa os órgãos legitimamente eleitos com cerca de 70% dos militantes eleitores não só é de uma inconsequência extraordinária, como mais uma vez não é abonatório de inteligência, ou do apregoado desprendimento, rigor, e verdade.

Ao dispor, cumprimenta
Hugo Cristóvão
Presidente do PS Tomar

fernando oliveira disse...

Sr. Hugo Cristóvão,

O seu post está perfeitamente condizente com a sua conhecida postura política e,por isso,não me merece qualquer comentário.
Os cidadãos em geral e os socialistas,em particular,é que terão de interpretar e concluir sobre os factos.
A posição de abertura dos IpT mantem-se.
Porque,para nós,é uma questão de princípio,integrante do Código de Conduta com que nos apresentámos ao eleitorado.


Fernando Oliveira (sem foto)

Anónimo disse...

Sr. Oliveira não perca o seu latim com estes chulecos... mentirosos...e semi-analfabetos

Anónimo disse...

Shopping no mercado: PS, IpT e BE querem referendo
http://o-templario.blogspot.com/

Anónimo disse...

Parecem cachopos à bulha por causa de um brinquedo! ehehehehe

Hugo Cristóvão disse...

Ó sr. Oliveira,

Então não quer desenvolver mais, não tem argumentos?
Não sei se fico feliz por me conhecer assim tão bem mas, não quer desdobrar melhor essa sua teoria da tão "conhecida postura política"?
Ou vai recorrer-se dos anónimos e dos heterónimos para o fazer?
Quem é que há dias falava de insinuações?

Ó senhor Oliveira, fica-lhe tão mal...
Sabe, as palavras têm significados, tantos como delas conhecimento e habilidade de uso tem quem as emprega, e entre muitas outras variáveis possíveis, implica na sua validade muito daquilo que é a prática de quem as aplica.
Não se pode apregoar uma coisa hoje, e fazer outra amanhã. Corre-se o risco de parecer incoerente, e se em Política o que parece é…

Já que se valem sempre tanto da idade e da experiência, deveria saber que não há donos da Verdade, nem titulares exclusivos da Sabedoria.
Vem sempre alguém depois de nós, o que conta é o deixamos e ainda que muito, será sempre pouco.
Por muito que doa.

Assina, e com foto
O “chuleco... mentiroso...e semi-analfabeto”,
Hugo Cristóvão

Anónimo disse...

Cristo põe-te ao nível, tem juízo.
Olha, aproveita bem o emprego que não dura sempre.
E deixa-te desse paleio bafiento e recorrente de moralidade duvidosa.
Cresce e aparece rapaz.
Estás ainda em boa idade de aprender alguma coisa com quem sabe mais do que tu, meu menino.

Anónimo disse...

Não costumo escrever aqui neste blog, mas sinceramente se este sr fernando oliveira é o administrador daquela empresa que faliu, a tomarplac, o que é que ele anda a fazer na política atrás do outro que já esteve na câmara e que... bem sabem do que falo.

o nosso concelho não tem melhor que isto? políticos requentados e sequiosos de colocarem a mão na massa.

tenham dó. dêem espaço aos novos ou então peçam o presidente paiva para continuar.

Santos Leite
tomarense

fernando oliveira disse...

Sr.Hugo Cristóvão,seu amigo Santos Leite e quejandos,

Não me ofende quem quer,só quem eu deixo e dou confiança para isso.
O que não é,de todo,o vosso caso.
Eu não sou parceiro para chafurdar com aqueles que são especialistas de "POLÍTICA SUJA".

Passem muito bem.


Fernando Oliveira

Anónimo disse...

lá diz o ditado antigo: "NUNCA SE DEVE LUTAR COM UM PORCO. NÓS FICAMOS SUJOS E O PORCO FICA NA MESMA"

Anónimo disse...

Quejandos – igual, semelhante, assemelhado

Oportunista – adesionista, adesista

Falido – insolvível, pobre

Comunista - marxista

Anónimo disse...

PLANO PARA SALVAR PORTUGAL DA CRISE



Passo 1:
Trocamos a Madeira pela Galiza, mas os espanhóis têm que levar o Alberto
João.

Passo 2:
Os galegos são boa onda, não dão chatices e ainda ficamos com o dinheiro
gerado pela Zara (é só a 3ª maior empresa de vestuário). A indústria
têxtil portuguesa é revitalizada. A Espanha fica encurralada pelos Bascos
e Alberto João.

Passo 3:
Desesperados, os espanhóis tentam devolver a Madeira (e Alberto João). A
malta não aceita.

Passo 4:
Oferecem também o País Basco. A malta mantêm-se firme e não aceita.

Passo 5:
A Catalunha aproveita a confusão para pedir a independência. Cada vez mais
desesperados, os espanhóis oferecem-nos: a Madeira, o País Basco e a
Catalunha. A contrapartida é termos que ficar com o Alberto João e os
Etarras. A malta arma-se em difícil mas aceita.

Passo 6:
Dá-se a indepêndencia ao País Basco, a contrapartida é eles ficarem com o
Alberto João. A malta da Eta pensa que pode bem com ele e aceita sem
hesitar. Sem o Alberto João a Madeira torna-se um paraíso. A Catalunha não
causa problemas (no fundo, no fundo são mansos).

Passo 7:
Afinal a Eta não aguenta com o Alberto João, que entretanto assume o
poder. O País Basco pede para se tornar território português. A malta
aceita (apesar de estar lá o Alberto João).

Passo 8:
No País Basco não há carnaval. O Alberto João emigra para o Brasil...

Passo 9:
O Governo brasileiro pede para voltar a ser território português. A malta
aceita e manda o Alberto João para a Madeira.

Passo 10:
Com os jogadores brasileiros mais os portugueses (e apesar do Alberto
João), Portugal torna-se campeão do mundo de futebol!
Alberto João enfraquecido pelos festejos do carnaval na Madeira e Brasil,
não aguenta a emoção, e morre na miséria, esquecido de todos.

Passo 11:
Os espanhóis, desmoralizados, e económica e territorialmente
enfraquecidos, não oferecem resistência quando mandamos os poucos que
restam para as Canárias.

Passo 12:
Unificamos finalmente a Península Ibérica sob a bandeira portuguesa.

Passo 13:
A dimensão extraordinária adquirida por um país que une a Península e o
Brasil, torna-nos verdadeiros senhores do Atlântico, de uma costa à outra
e de norte a sul.
Colocamos portagens no mar, principalmente para os barcos americanos,
que são sujeitos a uma pesada sobretaxa por termos de trocar os dólares
em euros, constituindo assim um verdadeiro bloqueio naval que os leva à
asfixia.

Passo 14:
Eles querem-nos aterrorizar com o Bin Laden, mas a malta ameaça
enviar-lhes o Alberto João (que eles não sabem que já morreu).
Perante tal prova de força, os americanos capitulam e nós tornamo-nos na
primeira potência mundial.

Virgilo disse...

Sr. Fernando Oliveira,

Desprezo aos chulos boys e aos pidescos...
Os gajos,quando eram pequeninos,beberam o chá com um garfo...
E agora chulam à colher...
Deixe-os espojar...
É da natureza dos asnos...

Hugo Cristóvão disse...

Afinal a força e validade dos argumentos está à vista.

À opinião e à crítica, responde o insulto.

BRAVO.

Anónimo disse...

O Cristo é o tal que nunca por aqui aparecia e que tinha o mais desprezo por este blogue.
Afinal está cá sempre e com uma táctica girassa ataca, enfia a garra, provoca e depois vem muito santamente tentar dar liçoes de moral e dizer-se virgem ofendida.
Tão novinho e já cheio de malícia, é da boa escola, sim senhor.
Um verdadeiro sa cristo.

Anónimo disse...

Escrevia aqui o jovem Hugo Cristóvão em Novembro:
"De facto, por mais que tente, não consigo simplesmente ignorar-vos."

Dizia Pimenta Machado:
"O que hoje é verdade amanhã é mentira".

Conclusão:
Mais depressa se apanha um mentiroso do que um coxo!

Anónimo disse...

Com uma certa petulância, com enfado e status superior diz o doutor Hugo:
"De facto, por mais que tente, não consigo simplesmente ignorar-vos."
Mas, a verdade é que lê os posts, acaba por aqui vir parar e responde com desenvolta prosápia.
E usa argumentos de peso, na linha da actual cartilha do secretário-geral Sócrates - muitas palavaras, clichés, frases feitas e chavões e muito pouca substância.
É esta a escola da esquerda moderna que se instalou no poder com a maioria absoluta que conseguiram com ardis (e com as santanadas).
É o que temos, produto da generosidade dos que fizeram o 25 de Abril, que está cada vez mais engavetado.
É triste, mas é verdade, não há que esconder.
Há que lutar contra este estado de coisas, sob pena de amanhã nem termos País.

Anónimo disse...

Este blogue é de facto um prato cheio.
Passar por aqui de vez em quando quase que nos aliviaria o stress, se não fosse tão triste e revelador de algumas pessoas importantes que por aí andam, e que nem percebem o ridículo do que escrevem. Ou percebem, mas escondem-se.

Hugo invejo-te a paciência e a tenacidade e acabo por me sentir identificado e até, orgulhoso não bem a palavra mas não me lembro de outra, por seres da minha geração.
Mas acredita, eu não dava para esse peditório.

Ah, gente má que há nesta terra!

Pedro Silva

Anónimo disse...

Com amigos destes quem precisa de inimigos?
Dá-lhe graxa que ele dá-te tacho!

Anónimo disse...

Olha, o cão pastor do Marques também vem aqui morder os ossos.

Pouco trabalho no presídio é?

Anónimo disse...

"A certa altura, talvez na última dúzia de anos, surgiu em Coimbra uma geração de jovens políticos, frequentando os espaços partidários de um imaginário bloco central qu, de inegável capacidade intelectual, sonharam enriquecer depressa e à pressa. Foi-lhes dado, seguramente de boa fé, algum espaço de manobra e foi um desclabro. Gastaram mal rios de dinheiro do erário público, aqueles que por ali passaram. Estabeleceram cumplicidades e compadrios que encheram os bolsos dos amigos." Editorial de Linho Vinhal no "Campeão das Províncias"

Dá que pensar.
E com algumas adaptações "encaixa" por estes lados.

Anónimo disse...

Só se for à geração de jovens parasitários do PREC, que aproveitaram até ao tutano o orçamento de estado, fossem ou não funcionários deste (os sindicatos também contam para este carnaval), com subsídios à mistura para reconversões fraudulentas, e que hoje vivem de reformas mais ou menos douradas.

Para esses não é necessário adaptar, é mesmo assim.

Anónimo disse...

Este anónimo é um dos da geração de jovens parasitários do PREC e sabe muito bem do que fala.
Ainda bem para nos ajudar a comprrender melhor com os "comilões da corrente".

Anónimo disse...

Concordo com o Pedro, concordo com o Hugo.
Deviam existir leis que obrigassem os políticos ou com ganâncias de, a visitar regularmente a junta médica. Porque há aí alguns que deviam ter ordem de clausura, pelo menos verbal, tal é a demência do que escrevem.

Como é que o Paiva não há-de ser iluminado? Em terra de tais imbecilidades!
Tomar assim não terá grande volta, e eu sou dos parto sem grande convicção de voltar.

JTS

Anónimo disse...

Estás convencido que só vocês (ditos) jovens é que têm a mente são e o corpo são.
Estás enganado, porque há muitos novos velhos e muitos velhos bem novos.
Quando é que vocês se convencem que a construção do mundo se faz com novos e velhos, é intergeracional.
É muito importante a "universidade da vida", que falta a muitos que têm o "canudo" e se julgam os reis da sabedoria.
O caminho faz-se caminhando, com TODOS.

Caiano Silvestre disse...

Eu concordo.

Anónimo disse...

Templario

Anónimo disse...

urgências.ponto da situação

Anónimo disse...

psd.acusa.rodrigues

Anónimo disse...

Desemprego a subir


Eugénio
Rosa

Um dos argumentos que este governo mais tem utilizado na sua campanha de propaganda para convencer os portugueses de que se estava a verificar a retoma económica era precisamente que o desemprego estava a diminuir de uma forma continuada.

Mas o INE acabou de publicar os dados do desemprego referentes ao quarto trimestre de 2006 que mostram que aquela afirmação do governo não tem qualquer sustentabilidade real.

A política económica centrada na obsessão do défice está a determinar não só o aumento do desemprego, mas também a destruição líquida de emprego. Assim, de acordo com os dados do INE, o número oficial de desempregados atingiu, no fim de 2006, 458.600 portugueses, o que corresponde a uma taxa oficial de desemprego de 8,2 por cento. Quando o governo de Sócrates tomou posse, o número oficial de desempregados era de 389.700 e a taxa oficial era de 7,1 por cento.

No entanto, se somarmos ao número oficial de desempregados todos aqueles que estão no desemprego, mas que não são incluídos nesse número e constam também das estatísticas divulgadas pelo INE (os chamados "inactivos disponíveis" e o "subemprego visível"), no quarto trimestre de 2006, o número total de desempregados, a que chamamos desemprego corrigido, já atingia 612.300 portugueses, o que correspondia a uma taxa de desemprego corrigida de 10,9 por cento.

Por outro lado, verificou-se no quarto trimestre de 2006 uma destruição líquida de emprego, pois o número de empregos (postos de trabalho) no nosso País diminuiu, entre o terceiro trimestre de 2006 e o quarto trimestre de 2006, de 5.187.300 para 5.142.800, ou seja, menos 44.500 de postos de trabalho. Outro aspecto importante é a variação do emprego por qualificações. Entre o quarto trimestre de 2004 e o quarto trimestre de 2006, o número de trabalhadores empregados com "qualificação e escolaridade elevada" diminuiu em 18.600, sendo a redução muito significativa no grupo de "quadros superiores da Administração Pública e empresas", cuja diminuição atingiu 62.000 postos de trabalho.

Enquanto se verificou esta redução neste grupo, o emprego no grupo "qualificação e escolaridade média" aumentou em 20.400 e o emprego no grupo "qualificação de banda estreita e de baixa escolaridade" cresceu em 14.500. A variação do emprego por qualificações revela que o modelo de crescimento baseado em baixas qualificações e baixa escolaridade está-se a perpetuar. Finalmente, o desemprego de longa duração (12 meses e mais), associado a uma exclusão social crescente, continuou a aumentar no quarto trimestre de 2006, atingindo já 235.200, o que correspondia a 51,6 por cento do desemprego oficial total.

Anónimo disse...

Ministro da Saúde assinou protocolos com municípios
Serviços de urgência “ao pé da porta” seriam irresponsabilidade
24.02.2007 - 20h36 Lusa


O ministro da Saúde, Correia de Campos, disse hoje que seria irresponsável propor um modelo de especialidade e urgências ao pé da porta de cada um.

Correia de Campos falava em Lisboa na cerimónia de assinatura de protocolos com os municípios de Espinho (PS), Montijo (PS), Fafe (PS), Cantanhede (PSD), Santo Tirso (PS) e Macedo de Cavaleiros (PSD) com vista à reestruturação da rede de urgências.

“Um modelo de especialidade e urgências ao pé da porta de cada um, simplesmente não existe. Propô-lo seria irresponsável, perpetuá-lo será hipotecar o futuro”, considerou o ministro, salientando que “nada mudar, seria uma covardia que os cidadãos não tolerariam, quando se apercebessem da dimensão do logro”.

Os protocolos hoje celebrados, segundo o ministro, permitem resolver, a contento de todos, um conjunto de problemas na reorganização da rede das urgências.

Protocolos com outros municípios em vista

“A estes protocolos outros se irão seguir muito em breve, por iniciativa dos municípios e do Ministério da Saúde”, disse.

Na sua intervenção, o titular da pasta da saúde louvou a presença dos seis municípios na assinatura dos protocolos, considerando que o acordo foi fruto de “um lento e importante labor negocial”, passível de aperfeiçoamento.

Relativamente a outros municípios, o governante garantiu que continuará disponível para aceitar peculiaridades “desde que com um modelo coerente, articulado e respeitador dos valores e da cultura local”.

Segundo o ministro, a solução agregadora de unidades hospitalares em centros não é uma originalidade nacional, sendo usada em todos os países como forma de concentrar recursos, ganhar qualidade, melhorar o serviço e prestar cuidados iguais a necessidades iguais.

“Quase nunca o que é mais próximo é melhor”

“Ninguém nos perdoaria se, consciente ou levianamente, para fugirmos à impopularidade de curto prazo, tolerássemos a mais cínica das desigualdades: a desigualdade da qualidade, sob a capa da aparente proximidade”, disse.

Na opinião do governante, em Saúde, “quase nunca o que é mais próximo é melhor”.

“O melhor é quase sempre o mais seguro, o mais definitivo, ainda que mais distante. É neste último atributo que se concentram muitos dos meios que agora vamos mobilizar”, disse.

A distância, frisou Correia de Campos, não é impedimento de qualidade e pode ser vencida com mais facilidade que a qualidade improvisada pelo que está prevista a continuação do investimento em transportes adequados para os doentes.

Reforço dos meios de transporte de doentes

“VMER (viatura médica de emergência e reanimação), ambulâncias regulares e até helicópteros estão hoje na agenda desta importante reforma”, disse.

“Queremos dar a todos cuidados com alta qualidade. Venceremos as distâncias entre montes e vales para o conseguirmos, com os mais modernos e seguros meios de transporte. Colocaremos mais 400 mil portugueses a menos de meia hora de uma sólida e qualificada urgência, básica ou médico-cirúrgica”, frisou.

O objectivo, adiantou, é substituir o modelo “hospital de miniatura” pelo modelo de hospital de proximidade, com respostas ajustadas aos problemas dominantes da população que servem.

Anónimo disse...

Ó Oliveira deita o teclado pró lixo porque quanto mais escreves mais te enterras.(só não vou dizer onde porque isso é óbvio.)