05/01/2008

Édito Funcional

Por ordem de Sua Excelência O Conde informam-se os navegadores deste Condado do seguinte:

Não têm os Serviços de Admoestação e Higiene deste sítio, tempo e disposição para fazer permanente controlo dos comentários aqui gravados. Outras tarefas se nos colocam e não nos é realizável residir, como alguns aparentam, todos os dias, todas as horas, em presença do computador.
Ofereceu o Inteligentíssimo Conde este natal a todos os “anónimos dos blogues, um frasco de pimenta, um dicionário e um prontuário da língua portuguesa e um guia de boas maneiras.” Era por isso conveniente que desses itens confeccionassem uso.

A todos se alvitra ainda que os escólios sejam lestos, interessantes ou acutilantes, e mesmo que em pseudónimo, assinados. Recorda-se que a filosofia intrínseca deverá ser: “Antes de escrever descreve-te a ti mesmo”

Uma nota ainda para os que possuem como capital mote a investida a António Paiva, Pedro Marques ou Hugo Cristóvão, ou ainda, Ivo Santos, Luís Ferreira ou João Simões, ou qualquer outro ídolo, que é possível criar espaços com esse fim exclusivo, sem assim atulhar outros. Teremos todo o prazer em aqui deles fazer difusão.

Para Que Se Cumpra E Faça Cumprir, A Bem Do Condado.

Por Competência Delegada P’lo Sapientíssimo Conde,
O Grande Administrador dos Serviços.

246 comentários:

1 – 200 de 246   Mais recente›   Mais recente»
Estrôncio disse...

Agora sim, um texto curtinho e de rápida leitura. 10 pontos! :D

Anónimo disse...

Ferro Rodrigues foi mordido pelos pitbulls de Sócrates

Parece que neste PS a tolerância foi parra que já deu uvas e nem sequer os ex-líderes do partido se livram da velha máxima do Coelhone, quem se mete com o PS leva. Foi o que sucedeu a Ferro Rodrigues que mal tinha acabado de falar e já estava a levar as palmatoadas de Vitalino Canas. Alguns dirigentes deste PS são incapazes de ouvir uma crítica, chamaram a si a função de protecção canina do líder e comportam-se como pitbulls.

Anónimo disse...

p PS perderá as próximoas eleições e o PSD não terá maioria absoluta.
Será bloco central e o país recuará ainda mais.

Anónimo disse...

o PS perderá as próximoas eleições e o PSD não terá maioria absoluta.
Será bloco central e o país recuará ainda mais.

Anónimo disse...

Disparate!
O PSD ganhar com o Menezes!?
Mais depressa aqui em Tomar o PSD ganha com o Pedro Marques...

Anónimo disse...

raramente me engano e tenho poucas dúvidas

Anónimo disse...

"Sòcrates vai ganhar em 2009 as legislativas..."

Vire para lá a boca, longe vá o agoiro.
Abacadabra!
T´arrenego Satanás!
Por Toutatis, NÃO!!!!!
Basta de tanto sofrer!
Arranjem outro, mas alguém fora destes mamões.
Menezes também não!!!!!

Anónimo disse...

"Sòcrates vai ganhar em 2009 as legislativas..."

Infelizmente tudo aponta neste sentido.


AS

Anónimo disse...

Vire para lá a boca, longe vá o agoiro.
Abacadabra!
T´arrenego Satanás!
Por Toutatis, NÃO!!!!!
Basta de tanto sofrer!
Arranjem outro, mas alguém fora destes mamões.
Menezes também não!!!!!

Anónimo disse...

DOMINGO, JANEIRO 06, 2008

a gente do costume
" De uma desgraça privada o caso do BCP passou pouco a pouco a uma desgraça pública. Enquanto se tratou só da direcção do banco, de um grupo de accionistas (com direito a voto) e em geral dos depositantes, todo aquele enredo (de resto, nada edificante) não fez mais do que demonstrar a incompetência e a fraqueza do capitalismo português. Com a intervenção de Vítor Constâncio começou a suspeita de que, para lá da inanidade à vista, havia trapalhada grossa. A esperteza saloia tinha entrado na história de faca e alguidar. Caiu o segundo presidente, Filipe Pinhal, dias depois de eleito, e apareceu em cena a gente do costume: antigos ministros (das Finanças, claro), antigos secretários de Estado e antigos gestores de empresas públicas, que desde o fim do PREC se apropriaram colectivamente dos 'grandes negócios'.
Nasceram no I Governo constitucional e cresceram atá agora na maior tranquilidade. Andaram pelo 'soarismo', pelo 'cavaquismo' (que os promoveu muito), pelo 'guterrismo' (que os deixou à solta), pelo fugitivo Barroso e mesmo por Santana (que protegeram e guiaram). são do PSD, mas muito amigos do PS; ou do PS, mas muito amigos do PSD. O que não quer dizer que sejam o 'centrão'. O 'centrão' é a cozinha dos partidos para a pequena gente: para o funcionalismo, para as câmaras, para os subsídios. Com outra envergadura ( e outro apetite), este 'clube' vive de amizades particulares, de confiança mútua, de exclusividade. Rodam e voltam a rodar. Cá fora tudo muda, eles nunca mudam. Basta ver os nomes dos que se fala para o BCP e a Caixa. Não os conhecem?
Esta espécie maligna é um sintoma do famoso domínio do poder económico sobre o poder político? Não é. É a consequência natural da participação do Estado nos 'negócios'. Se o Estado saísse da PT, da EDP e da Galp e, principalmente, se vendesse a Caixa Geral de Depósitos, ficava com a autoridade e a distância para fiscalizar e regular a actividade dos privados. Como sócio ou concorrente, está metido no meio do barulho e 'politiza' inevitavelmente qualquer incidente em que lhe aconteça tocar. como no BCP. A mistura leva sempre à irresponsabilidade e à dependência. A separação presume a independência e a responsabilidade. Num país normal não concorreriam à administração do maior banco privado duas listas 'partidárias': uma 'do Governo' e uma 'da direita'. Num país normal, há coisas que simplesmente não sucedem e pessoas que simplesmente não existem."
(vasco pulido valente, jornal 'público')

Anónimo disse...

Está confirmado:

PSD aposta em Carlos Carrão, com a conivência silenciosa de Ivo Santos, que assim garante o desenvolvimento dos seus negócios que começou quando ainda era Vereador.

PS aposta em Becerra Victorino, com as desistências negociadas de Hugo Cristóvão e António Mendes, o primeiro indo para Vereador, em caso de vitória destes e o segundo para um lugar no Ministério da Saúde.

Pedro Marques mantém candidatura Independente, agora já sem Rosa Dias que no novo figurino da Lei, apenas poderia ser vogal da Assembleia Municipal.

Carlos Trincão mantém-se no Bloco e Bruno Graça afasta-se da CDU.

CDS, ao contrário do que se esperava, volta a concorrer e complica as contas na noite das Eleições.

Quanto ao resto, caro Conde, mais se verá.

Anónimo disse...

E viva o presidente Carrão.

Anónimo disse...

Carrão a presidente?
- Só se fôr ao lado de Alice.

(no País das Maravilhas...)

Quanto ao CDS - agora lê-se PP - talvez ainda tenham uma agradável surpresa. Fala-se num candidato mistério, ligado ao núcleo duro do Paulo Portas.
Pode ser que ainda tenhamos surpresas...

AS

Anónimo disse...

Terra maldita, agora inventarem essa de Ivo Santos tencionar fazer crescer os seus negócios com a ida para a Câmara.
Vocês são tão mauzinhos.

Ivo Santos será o melhor candidato
que o PSD pode apresentar.
Precisa-se de uma equipa renovada.

O Carrão já está reformado, vá gozar a reforma...

Ivo Santos a presidente, já!

Anónimo disse...

Politécnico apresenta plano estratégico
IPT DEVE RESPONDER ÀS NECESSIDADES DE FORMAÇÃO07/01/2008 -

Foi perante um auditório cheio que o economista Augusto Mateus apresentou hoje no Instituto Politécnico de Tomar o plano estratégico desta instituição para o período 2007/2013.

O ex-ministro da economia defende que o IPT deve alterar o seu modelo de organização interna, dar resposta às necessidades de formação da região, criar ligações a outros estabelecimentos de ensino nacionais e internacionais e ter um papel decisivo no desenvolvimento da região do Médio Tejo,

MIRANTE ON LINE

Anónimo disse...

CORRIGENDA:
onde se lê MIRANTE ON LINE deve ler-se TEMPLÁRIO ON LINE.

O seu a seu dono!

Anónimo disse...

Agora vamos ver o Curvelo a subir na lista... (se o Paiva deixar, claro! afinal ele continua a mexer os cordelinhos na imprensa nabantina...)

2 de Janeiro de 2008 11:46


Anónimo disse...
Olhe que não, olhe que não.

O Paiva já não manda em nada.

É história. A unica coisa que conseguiu foi mandar a Cabeleira do Mirante pra Torres Novas ememter lá a Sandra que lhe fez o trabalho de enterrar o Fidalgo.

O Paiva que se cuide. Nos proximos tempos vão tentar arrumar como ele.

2 de Janeiro de 2008 21:50

Anónimo disse...

Não será preciso muito.
O homem irá cair por si. Afinal é um flope!

Anónimo disse...

Será mesmo?
Então ele não é um (bom) produto do "centrão" ?

Anónimo disse...

«Eu também já acreditei no Pai Natal, mas quando me contaram que tinha sido preso a roubar couves nuns quintais da Rua da Fábrica deixei-me disso.
Agora só acredito no que vejo. E não vejo nada de bom para a cidade...

Afinal, quando os ratos abandonam o navio é sinal de tempestade. E da grossa... »


20 valores para esta frase que marca o fim da idade da inocência.

Anónimo disse...

A idade da inocência.
Um óptimo programa da TSF entre as 23H00 e as 00H00.
A ouvir com toda atenção!

Anónimo disse...

JOÃO VAI TRABALHAR!

Anónimo disse...

Bons conselhos de quem nada faz!
e bem prega o Frei Tomaz!

ASAE

Anónimo disse...

Ivo em alta para Presidente de Câmara

Anónimo disse...

"Durão Barroso é um activo para Portugal"


FRANCISCO ALMEIDA LEITE

Miguel Relvas, DEPUTADO
Que significado teve o almoço de domingo num hotel de Lisboa com cerca de 30 antigos colaboradores directos de José Manuel Durão Barroso?

Foi um almoço entre amigos que reencontraram um amigo que desempenha um alto cargo internacional. Temos orgulho nisso.

Claro, mas tem consciência de que o almoço pode ter outras leituras políticas?

É só nesse plano que o almoço pode ser visto. Falo por mim: eu tenho muito orgulho em que o dr. Durão Barroso tenha sido presidente do PSD, tenha sido primeiro-ministro e seja hoje presidente da Comissão Europeia (CE).

Portanto, é só orgulho...

A política portuguesa é muito conspirativa e é preciso que se diga que ainda há políticos que falam às claras e que não têm receio de admitir que tiveram um projecto comum com o dr. Durão Barroso. Mais: este almoço prova que ainda é possível na vida política portuguesa estabelecer relações de amizade, para além das relações políticas.

Durão Barroso um dia irá voltar a Portugal.

Nesse aspecto só tenho a expectativa de que o dr. Durão Barroso faça um segundo mandato como presidente da CE tão bom ou melhor do que o primeiro.

Um almoço no Dia de Reis que consegue reunir ex- -ministros, autarcas, deputados e onde diz que nunca esquece o País não deixa de ter o seu simbolismo.

Este almoço é simbólico por isto: juntou pessoas que já estiveram ou estão em vários quadrantes políticos no partido.

E não se falou do futuro?

As pessoas falaram de Portugal e no orgulho que temos de ter um português, ainda por cima um amigo, à frente da CE. Sabe, às vezes Portugal paga caro por não saber valorizar bem os seus melhores protagonistas. O dr. Durão Barroso é uma mais-valia para Portugal. Quanto ao futuro, só espero que se consolide o projecto europeu, porque desde o alargamento a 27 que passou a ser preciso um modelo de maior coesão para a UE. Julgo que contribuir para isso será o maior desafio do dr. Durão Barroso.

Durão Barroso é um bom nome para, no futuro, suceder a Cavaco Silva em Belém?

Se um dia o dr. Durão Barroso for candidato, estarei lá a apoiá- -lo. Isso é evidente. Agora digo- -lhe que, sobretudo, tenho muito orgulho nele, como também tenho por António Guterres e Jorge Sampaio ocuparem altos cargos internacionais...

Isso só pode ser ironia.

Não votava neles, mas tenho orgulho. Como também gosto de ver um cardeal português na Congregação para as Causas dos Santos. Em Portugal olhamos demasiado para os nossos passivos e não para os grandes activos que ainda temos.|

DN

Anónimo disse...

Da ética republicana à ética socratiana

Nos primeiros tempos do governo de Sócrates o conceito de “ética republicana” andava a todo o tempo na boa de dirigentes e governantes, tudo se justificava pela ética republicana. Nunca percebi muito bem o que a ética republicana tinha mais do que o meu conceito de ética, limitei-me a partir do princípio de que seria um pouco mais exigente, se diziam que era republicana por alguma coisa seria, talvez fosse reforçada pelos princípios dos velhos republicanos, ainda que esses mesmos princípios sejam hoje valores universais.

Passados dois anos deixou de se ouvir falar de ética republicana, pior ainda, já nem sequer se fala de ética, tantas são as situações que suscitariam uma gargalhada se alguém se lembrasse de voltar a usar esta bandeira esfarrapada. O caso da directora da DREN e o do inspector-geral da ASAE são exemplos disso, estes dois dirigentes da Administração Pública deveriam ter sido demitidos mas são mantidos nos lugares como se nada tivesse sucedido.

A directora da DREN perseguiu, recorreu a denúncias por telemóvel, deu entrevistas fazendo acusações e antecipando penas e nada lhe aconteceu. O inspector-geral da ASAE usa e abusa da asneira, leva a aplicação da lei ao exagero e quando se sente criticado usa o papão da EU para se justifica, viola ostensivamente a lei que lhe cabe fazer cumprir, dá entrevistas anunciado o encerramento e falência de metade dos restaurantes e mantém-se no cargo com aquele ar arrogante e vaidoso (para não dizer cagão) com que os portugueses começam a reconhecê-lo.

Defender os amigos e os que nos apoiam é uma virtude e neste ponto Sócrates até poderá ser merecedor de elogios, o apoio à directora da DREN ia sendo a sua terça-feira de Carnaval e o apoio que está a dar ao inspector-geral da ASAE vai ter custos ainda maiores pois a sua arrogância teve o condão de levar os donos dos restaurante onde quase todos os portugueses almoçam a falar mal do Governo. Só que estes senhores ocupam cargos públicos e é tendo em conta a imagem que estão a dar da Administração Pública com que Sócrates tem que se preocupar.

Se do ponto de vista pessoal de José Sócrates poderão ser merecedores de elogia, do ponto de vista do Estado e dos princípios por que este se deve reger já deveriam ter levado um pontapé no rabo. É esta a diferença entre a ética republicana (ou qualquer outra que seja adoptada para reger as relações entre o Estado e os cidadãos) e aquela que parece ser a ética socratiana, que aos poucos começa a reger a Administração Pública. Nas próximas legislativas veremos qual o prejuízo que estes "amigos" deram a Sócrates.

O Jumento

Anónimo disse...

Primeira prisão vendida a privados foi comprada por ex-sócio de Alberto Costa
Antes de se tornar prisão por escassos sete anos, o histórico convento, que possui um rico património de azulejaria do século XVIII e foi sede da Câmara de Setúbal após o terramoto de 1755, serviu de quartel militar ao longo de quase todo o século XX. Quando o Governo ali decidiu instalar uma cadeia para resolver o problema da sobrelotação das prisões, era então ministro da Justiça o socialista Vera Jardim, o edifício e os quase cinco hectares da propriedade foram reafectados por decreto ao Ministério da Justiça.
Para efeitos da compensação financeira prevista na lei nestes casos, o conjunto foi avaliado em 800.000 contos (4 milhões de euros), valor que o Ministério da Justiça pagou ao Ministério da Defesa.
No final de Maio do ano passado, semanas depois da extinção do estabelecimento prisional, o Convento de Brancanes e os terrenos envolventes foram vendidos pelo Estado à imobiliária Estamo, uma empresa de capitais exclusivamente públicos, para que esta procedesse à sua alienação. Nesse mesmo mês, ainda antes de se tornar proprietária, a Estamo requereu à Câmara de Setúbal que alterasse o Plano Director Municipal, por forma a que na antiga cadeia pudessem ser construídos 18.300 m2 de habitação e equipamentos hoteleiros ou de saúde.
O valor do negócio não foi revelado, nem a identidade dos outros concorrentes, mas a escritura de compra e venda celebrada em Novembro entre a Estamo e a adquirente, representada pelo seu administrador único, António Lamego, mostra que esta pagou 3,4 milhões de euros - um preço particularmente interessante para o caso de ali virem a ser autorizados os 18.300 m2 de construção pedidos à câmara.
Assim, o primeiro estabelecimento prisional vendido pelo Estado a privados, no âmbito do programa de alienações lançado em 2006 por Alberto Costa, foi comprado em Novembro último por uma empresa detida em 99,2 por cento pelo advogado António Lamego, um antigo sócio do ministro da Justiça. A propriedade, que em 1998 tinha custado quatro milhões de euros ao Ministério da Justiça, foi agora vendida à imobiliária Diraniproject III por 3,4 milhões.
Feitas as contas à parcela deste total que a lei destina ao ministério a quem a propriedade estava afecta, o Ministério da Justiça vai receber um total de 3,108 milhões de euros, ou seja, menos 892 mil do que pagou ao Ministério da Defesa em 1998 (dez anos depois).

Anónimo disse...

A ASAE PENDEU O CARDEAL PATRIARCA

É a notícia do dia, a ASAE decidiu inspeccionar uma missa na Sé de Lisboa para inspeccionar as condições de higiene dos recipientes onde é guardado o vinho e as hóstias usadas na celebração. Depois de sugerir ao cardeal que se assegurasse que as hóstias têm um autocolante a informar a composição e se contêm transgénicos e que o vinho deveria ser guardado em garrafas devidamente seladas, os inspectores da ASAE acabara por prender o cardeal já depois da missa, depois de terem reparado que D. José Policarpo não procedia à higienização do seu anel após cada beijo de um crente.

A ASAE decidiu encerrar a Sé até que a diocese de Lisboa apresente provas de que as hóstias e o vinho verificam as regras comunitárias de higiene e de embalagem, bem como de que da próxima vez que cardeal dê o anel beijar aos crentes procede à sua limpeza usando lenços de papel devidamente certificados, exigindo-se o recurso a lenços descartáveis semelhantes aos usados nos aviões ou nas marisqueiras desde que o sabor a limão seja conseguido com ingredientes naturais.

O Jumento sabe que a ASAE ainda inspeccionou a sacristia para se assegurar que D. José, um fumador incorrigível, não andou por ali a fumar um cigarro, já que não constando nas listas dos espaços fechados da lei anti-tabaco as igrejas não beneficiam dos favores dos casinos pois tanto quanto se sabe o inspector-geral da ASAE nunca lá foi apanhado a fumar uma cigarrilha."

O JUMENTO

Anónimo disse...

VAI COMEÇAR A AVALIAÇÃO DOS PROFESSORES

«O decreto que regulamenta o regime de avaliação dos educadores de infância e professores do Ensino Básico e Secundário foi ontem publicado em "Diário da República" e entra hoje em vigor. O Governo deliberou que o processo tem de arrancar já. As escolas têm no máximo até Julho (seis meses) para montarem o modelo de forma faseada. Por exemplo, terão 10 dias úteis (entre 11 e 22 de Fevereiro) para aprovarem objectivos individuais para cada um dos 150 mil docentes do sistema. A progressão dos resultados escolares dos alunos, a taxa de abandono escolar e a participação em acções de formação são parâmetros determinantes.» [Jornal de Notícias]

Anónimo disse...

Porque será que o Ivo é o preferido para Presidente da Câmara ?

Será o mais bonito?
Será do charme?
Do amor que Paiva tem por ele?
Ou será pela côr do "pastel"?
hiiii hiiii

Anónimo disse...

"Porque será que o Ivo é o preferido para Presidente da Câmara ?

Será o mais bonito?
Será do charme?
Do amor que Paiva tem por ele?
Ou será pela côr do "pastel"?
hiiii hiiii"

Mas porque é que a Graciete Honrado, pessoa de uma competência extraordinária e ainda não doutorada, não é a preferida para presidenta da câmara?

Anónimo disse...

E se fosse alguém mais novo(a) e já doutorado(a)?
Toca a pensar nisso...

Anónimo disse...

E porque é que não deixam o Ivo em paz?
Ele já afirmou que não é candidato em 2009, mas ainda assim há muita gentinha que vive atormentada com essa ideia.
Aliás isso até é compreensível. porque com tantas alternativas válidas como o mano Mendes, o Cruz da Serra e até o Amandie, não consigo entender porque vai o Ivo à frente nas sondagens??!!!
Vá-se lá perceber o povo.

PS: Nada se consegue sem trabalho e empenho e a inveja é um dos sete pecados mortais.

Anónimo disse...

"Aliás isso até é compreensível. porque com tantas alternativas válidas como o mano Mendes, o Cruz da Serra e até o Amandie, não consigo entender porque vai o Ivo à frente nas sondagens??!!!2

AMIGO A VERDADEIRA SONDAGEM É APÓS AS ELEIÇOES E VEJA O QUE ANDA A ACONTECER NAS PRIMÁRIAS DOS STATES!
PERCEBIDO OU QUER UM DESENHO?
SÓ GOSTAVA QUE ALGUÉM SE DEDICASSE AO ENSINO DE PORTUGUÊS POIS PARA ISSO É QUE O HOMEM NASCEU. SIM, SIM, O SENHOR DR. IVO SANTOS ELE É MEDÍOCRE COMO PROFESSOR E PODE TORNAR-SE NUM BOM PROFESSOR MAS A POLÍTICA É MELHOR! PORQUE SERÁ?

Anónimo disse...

Não sei em que se baseia para fazer tais afirmações sobre a carreira de docente do Dr. Ivo Santos.Mas já lhe perguntou se ele tem vontade de ser melhor professor? Com a política deste governo duvido muito que algum funcionário público tenha vontade de ser o melhor. Percebeu? Se não eu volto a explicar porque não sou grande coisa a fazer desenhos.
E essa insinuação vazia de conteúdo que "a política deve ser melhor" é um argumento que já está gasto. Por causa disso que as pessoas que realmente possuem qualidades para exercer cargos públicos se afastam

Anónimo disse...

O Dr, Ivo Santos continua a ser o centro das atenções do universo tomarense. Nada mau para quem andou tanto tempo à margem das politiquices cá do burgo.

Apenas deixo uma reflexão - será que leram a ultima edição do Mirante? Pelos vistos não. Ou então querem fazer passar a ideia de que não existiu. As frases "Não preciso do cargo de vereador para nada" e "Trabalhem" não vos dizem nada?

Quanto ao demais concordo com o comentario previo.

Anónimo disse...

Ivo, é assim mesmo, da-lhes com força, manda-os trabalhar ou entao manda-os dar uma curva.
Eles que digam mal de ti. Nao te rales. Segue o teu caminho.

Anónimo disse...

Um medíocre professor de português, um empresário que nada sabe de gestão e que tem muito que provar nesta humilde profissão nunca deveria estar na política: não se tranforma o carvão em ouro.
Quem tem profissão sólida não precisa da política a não ser que queira enriquecer rapidamente e existem casos desses cá no burgo. Será que temos cá mais um exemplo e por aqui me fico pois não dou importância (nem publicito) gentinha que não tem valor algum. Esta gente deve ser, isso sim um exemplo a não seguir, pelos mais jovens.
Trabalhem, estudem, aprendam, evoluam e não se metam na m... da política para perderem os vossos princípios.
E porque o homem já me cheira mal devo acrescentar que é feio, fala mal e escreve pior!
Ignorem o tipo pois nada se compara a Paiva, uma inteligência superior.

Anónimo disse...

Concordo. O Paiva é uma inteligência superior. Os politicos sao uma cambada de interesseiros. O Ivo é feio, veste mal, é antipático, é mediocre, foi um pessimo vereador. Acho que o Tenreiro e o Cruz deviam ir para a politica. Porque esses é que nao precisam nada da politica - tem profissao, e sao bem sucedidos. E são bonitos, falam bem, vestem muito na moda e sao simpaticos com os ricos e com os pobres. E são de Tomar coisa que o Ivo nem é.

Cumprimentos ao António Paiva, o melhor presidente de sempre.

Anónimo disse...

Este blogue é pequeno para a enormidade de asneiras que aqui se escrevem.
O Paiva é de uma inteligência superior e de uma teimosia obstinada ainda maior. Muito do que está mal em Tomar, é fruto da sua teimosia e capricho.
Penso que a maioria das pessoas que aqui escreve não lê os jornais da terra, nem conhece as personagens das novelas que fazendo. Se não vejamos:
O Cruz não precisa da política porque é bem sucedido na profissão. Qual é? Se não precisa da política, então porque escreve páginas e páginas de diarreia cerebral nos jornais? Aquilo é mesmo mau, não tem qualquer coerência, nem segue o mais pequeno dos raciocínios.
Ao Tenreiro até lhe pode correr bem a vida profissional, mas no que diz respeito à política está mais para aprendiz de mafioso. Como se costuma dizer - Dá uma no cravo e outra na ferradura.
Há outra coisa que eu não percebo, porque a confusão já é muita. O Ivo enriqueceu à conta da política ou dos negócios? Mas é rico porquê? Se até veste mal e tem um carro velho? Se é feio ou antipático isso nem sequer é discutível, porque cada um é como é. Nem todos podem ser belos como o Paiva, mas inteligentes e melhores para Tomar, podem ser de certeza.
Já agora outra questão - Quando se vai viver para outra terra perde-se a naturalidade?
Então sim, o Paiva é um grande tomarense, só que nasceu em Santo Tirso. E o Ivo não é de Tomar porque foi viver para outra terra.

PS:Já viram o último vídeo do Amandie? Aquile é que vai ser um Presidente à maneira para Tomar!
É sempre a bombear!!

Anónimo disse...

O velho ditado:"Digam mal, mas o que é preciso é que falem demim", aplica-se que nem uma luva ao Dr. Ivo Santos.
É boa esta estratégia, que curiosamente tem sido alimentada pelo Templário, que a pouco e pouco, vem retomando a imparcialidade que o "notabilizou" nos tempos do Manuel Faria.
Mas adiante, pois do Templário nada se deve esperar e do Dr. Ivo Santos nunca se viu nada, por isso estamos conversados.

Anónimo disse...

Como é que alguém se atreve a chamar aquilo de sondagem.
Para mim não passa da opinião de alguns frequentadores deste blogue que aproveitam o acesso a diferentes computadores para irem tentando fazer opinião.
Que os seus candidatos ganhem esta dita sondagem, pois as eleições quem as decide é o povo. Felizmente.
Aguardemos, pois ainda a procissão vai no adro.

Anónimo disse...

Para esclarecer algumas duvidas e perfidas mentes preocupadas que aí veem, transcreve-se com a devida vénia ao "O Mirante" a entrevista de Ivo Santos.

Um pequeno conselho. Não acham que jé é tempo de falarem do Corvelo, da Rosário, do Carrão? Mudem de assunto pá!

Ivo Santos responde às críticas pelo seu regresso à Câmara de Tomar

“Não preciso do cargo de vereador para nada”



O professor e empresário que vai regressar à política activa em Tomar, passando a exercer funções de vereador com a saída do presidente António Paiva, diz que não precisa do cargo para ganhar a vida. E mostra-se incrédulo com as posições assumidas por alguns membros do PSD local.



“Não estamos no tempo da inquisição”. É o desabafo de Ivo Santos ao descontentamento e desconfiança manifestados por alguns elementos da comissão política do PSD de Tomar em relação ao seu regresso às lides autárquicas. A saída do ainda presidente da câmara, António Paiva (PSD), para integrar a unidade de gestão do Programa Operacional Regional do Centro faz com que Ivo Santos, quinto da lista social-democrata nas últimas eleições autárquicas, passe a exercer funções de vereador.

Algo que parece não ter caído bem no seio da própria comissão política concelhia. Em entrevista a O MIRANTE, o professor e empresário afirma saber que as suas recentes declarações públicas sobre a vida política no concelho foram vistas à lupa na última reunião da comissão e aponta o dedo a dois elementos – Graça Costa e Fátima Jacinto. “Disseram que eu era um factor de instabilidade no seio do PSD, algo que me deixou completamente surpreendido e incrédulo”. Ivo Santos acredita ainda que há mais colegas de partido que não vêem com bons olhos o seu regresso. “Há pessoas que concordam com a Graça e a Fátima mas estão em silêncio por não me quererem afrontar directamente”.

O facto de ter concorrido em listas alternativas, quer para a comissão política distrital, onde apoiou o candidato derrotado João Moura, quer para a comissão política concelhia, em que integrou a lista liderada por Isabel Miliciano, também pesa nesta situação. Ivo Santos diz no entanto que assumiu todas as decisões políticas de forma consciente e que hoje voltaria a fazer o mesmo.

Há também quem, em surdina, diga que Ivo Santos se está a preparar para “dar o salto” e concorrer à presidência da câmara nas próximas eleições, funcionando este regresso como um trampolim. “Não fui eu que criei esta situação e não preciso do cargo de vereador para nada. Tenho uma vida profissional invejável e completamente preenchida”, diz, afiançando que aceitou o cargo de vereador “pelas pessoas que votaram em mim em 2005”. “É uma questão de responsabilidade política. Nunca discuti o lugar que me deram na equipa e sempre afirmei que apoiaria António Paiva, integrasse ou não a sua lista. Por isso, mesmo que a comissão política me retirasse agora a confiança política, aceitaria na mesma o cargo de vereador”.

Cargo que salienta ir assumir sem quaisquer contrapartidas financeiras, uma vez que exercerá sem tempo atribuído. “Não vou ganhar nada a não ser mais trabalho, já que em princípio vou ter alguns pelouros porque não me quero demitir das funções”. Para aqueles que hoje o acusam de se “pôr em bicos dos pés” para chegar ao poder, Ivo Santos deixa um recado – “sempre fui correcto, frontal e honrei os meus compromissos. Se há pessoas que a todo o custo querem chegar a um lugar de destaque, o único conselho que dou é que trabalhem. Porque eu não preciso da política para ganhar a vida”.

Sem papas na língua o futuro vereador diz que continuará a falar livremente e que será crítico quando o tiver de ser. Como o foi quando publicamente assumiu uma posição contra o que considera ser uma postura demasiado passiva da comissão política concelhia do seu partido, “em que não se discutem as questões e não se tem uma intervenção eficaz na política do concelho”, remetendo-se a comissão a uma função “quase decorativa”.

Ivo Santos considera que a concelhia do PSD deve ter uma postura mais interventiva e foi por isso que integrou uma lista alternativa nas últimas eleições. “Mas ninguém pode ser penalizado por ter optado por tomar um caminho que acha mais correcto”. Acrescenta que os últimos dez anos trouxeram-lhe maturidade política suficiente para ter uma atitude crítica perante tudo. E deixa um aviso aos seus colegas do executivo: “Se tiver que criticar ou votar contra uma deliberação fá-lo-ei de forma expressa e convicta”.

Anónimo disse...

O salto que esse Ivo vai dar é para dentro do rio Nabão mas fica bem alguém vir rumar contra a maré!
Se o Ivo se mantiver sempre assim parabéns a ele e à família mas eu conheci um tipo chamado Paiva que mudou 180 graus: era um terra a terra quando era professor e agora é um político hipócrita.
A jogada do Ivo é tentar ser diferente para ver se os tontos de Tomar engolem. Ele deveria ser assim era quando o Paiva o lixou e o humilhou mas teve que meter o rabo entre as pernas para a actividade empresarial correr bem: no fundo são todos uns cromos e palhaços!!!

Anónimo disse...

wue comentário mais contraditório. deve ser da hora tardia. Xanax e juizo qb recomenda-se.

Anónimo disse...

A jogada do Ivo é tentar ser diferente para ver se os tontos de Tomar engolem. Ele deveria ser assim era quando o Paiva o lixou e o humilhou mas teve que meter o rabo entre as pernas para a actividade empresarial correr bem: no fundo são todos uns cromos e palhaços

Anónimo disse...

Para além do Templário o Ivo encontrou no anónimo de ontem das 22H07 um acérrimo defensor, que se deu ao trabalho de transcrever a entrevista daquele ao Mirante.
Essa entrevista vem na sequència de uma outra que o Ivo concedeu ao Templário há já alguns meses, cujo conteúdo as eleições para a concelhia do PSD se encarregaram de desmentir.
Este Senhor Dr. Ivo anda à deriva e a procura desenfreada de protagonismo só vai revelando a sua personalidade quezilenta e o mau carácter.

Anónimo disse...

Se ao que se sabe o Dr. Ivo ainda não tomou posse e ninguém do PSD ainda falou com ele, como é que le pode dizer que vai ter pelouros.
É caso para dizer, "preunção e água benta cada um toma a que quer".

Anónimo disse...

Porque é que o Ivo não revela a forma e as razões porque saiu da Câmara enquanto Chefe de Gabinete do Paiva?
Não terá sido por ter andado a criar problemas no seio da equipa do PSD, que o Paiva se viu obrigado a correr com ele?

Anónimo disse...

Está visto que o Ivo tem mais inimigos do que amigos no PSD/Tomar.
Mas ele não desanima.
Em última análise poderá sempre concorrer pelo CDS/PP, afinal até foi lá que ele começou na política!

Anónimo disse...

E era um grande candidato se fosse pelo CDS!
Se calhar fazia engolir alguns sapos aos "amigos" do PSD.

Anónimo disse...

As coisas que por aqui se inventam. Ivo no CDS. Isso existe?Querem pôr tudo a ferro e fogo no PSD. Falem do Corvelo. É ele o próximo presidente ou já não é?

Anónimo disse...

10.1.08
Como parece que o "folhetim" está prestes a voltar, mas vale prevenir do que remediar.
A palavra chave aqui parece ser mesmo "remediar", que é o que se vem fazendo no Centro Hospitar do Médio Tejo há anos.
Até um dia...
Pássaro amigo vai dizendo por aí que é pretendido que "as águas se agitem", aproveitando boleias de outras regiões.
Como não acredito em coincidências, apenas vejo muito especulação, muita inveja, muita mentira a inundar um sector que deveria ter mais respeito e humanidade por quem sofre.
Se durante algum tempo parecia ser apenas e só o "pessoal do PC" a fazer pela vida, muito estranho é que cada vez mais sejam "os laranjinhas" a serem cada vez mais os arautos da desgraça. Mas enfim, são estilos...
posted by Luis J.S. Ferreira @

Anónimo disse...

Falar do Corvelo?
Pobre coitado...
Vamos é falar do Teixeira Pinto. Mais um reformado de luxo (quando ainda não tem 50 anos) neste país de miséria. Indemnização de 10 milhões de euros e reforma mensal de 35 mil euros. A acumular com umas aulinhas, umas palestras e mais uns trabalhinhos de consultadoria.

Já não sou cliente do BCP.
Façam o mesmo.

MM

Anónimo disse...

Já não sou cliente do BCP.
Façam o mesmo.

Cambada de ga(n)tunos é só sacar!!!!

PEPE

Anónimo disse...

Tenho é pena daquelas meninas que estavam na rua dos construtores civis a trabalhar. Quem terá sido o patife que lançou a bomba? Coitadas das raparigas. Estavam ali muitos vezes de joelhos a trabalhar e vem um gajo e pumba... lança uma bomba! São uns empatas estes gajos...

Anónimo disse...

As perversões bradam aos céus. Vão-se conhecendo as "reformas obscenas" [expressão de Bagão Félix] atribuídas a "gestores" de instituições públicas; os salários indecorosos; os privilégios e os prémios; as mordomias e as sinecuras. A soma das iniquidades causa ressentimento num país com dois milhões de pobres, elevadas taxas de desemprego, velhos a morrer nos jardins, jovens perplexos com o futuro."
(baptista-bastos, excerto da 'opinião' de hoje no dn

Anónimo disse...

Os independentes andam muito caladinhos... será que vai haver um golpe palaciano e marques vai passar para o lado de lá da trincheira? já o conhecem pois não dá ponto sem nó agora que o Toninho saiu é mais fácil negociar a sua candidatura pelo PSD já que o Ivito é um aprendiz de feiticeiro e não presta para nada.

Anónimo disse...

MENTIRA E DIREITO À VERDADE

«Em Portugal, quando se olha para as promessas incumpridas dos políticos, jogos obscuros na banca, subterfúgios à procura da localização de aeroportos, uma política de saúde que fecha maternidades e urgências e descura pobres e velhos, o caos na justiça, um leque salarial gritantemente indecoroso, previsões inverdadeiras da inflação e outras infindas manobras com corrupção activa e passiva à mistura, tem-se a sensação de que se avança em terreno minado pela mentira, com uma democracia perplexa, triste e quase impotente. Quando os portugueses têm direito à verdade.» [Diário de Notícias]

Uma reflexão oportuna do padre Anselmo Borges.

Anónimo disse...

e em tomar temos dos mais oportunistas políticos de sempre na história mundial e ainda bem que o povo é parvo e cego pois não topam há muito tantas coisas como esta da saída do toninho sem satisfações a quem o elegeu. escumalha e pronto não é toninho? o povo são peões? como mudas-te para pior? o paulinho das feiras tb disse que nunca seria ministro e odiava a política porque não estava nos seus genes ter poder na mão: tristeza como mudou esse cromo.

Anónimo disse...

nada melhor para finalizar um fim-semana do q uma actualizaçao neste blog. ficamos a conhecer bem o q se passa pela nossa terrinha, mesmo q estejamos longe.

daquilo que leio nas entrelinhas o paradigma reduz-se a isto: nos ultimos 20 anos os melhores sairam de Tomar e estao espalhados nas mais diversas areas de influencia um pouco por todo o país. o que nao quer dizer que deixámos de gostar da terra onde nascemos.

da minha geração alguns (poucos) ficaram por aí. Sei que nas seguintes a debandada foi quase total.

a actual realidade (negativa)é uma consequencia disso. pensem um pouco e vejam se tenho ou nao razao.

dos que agora se destacam apenas conheço e lembro do luis ferreira, da anabela e do ivo. ainda nao consegui perceber a dificuldade que sentem para se imporem de uma vez por todas.

fico a espera desse dia.

tentarei passar por aqui no proximo domingo.

até lá

Anónimo disse...

Se cá estivesses ou se, estando fora, te informasses melhor percebias e de que forma!!!!
Portanto, informa-te, ainda estás a tempo.
Vais perceber e pode ser-te muito útil.
Tomar merece o melhor!

Anónimo disse...

paiva foi o melhor presidente desde o 25 de abril . a cidade nunca antes teve infra-estruturas básicas que caracterizam concelhos desenvolvidos. a história vai dar-me razão. foi preciso vir alguém da áfrica do sul para transformar esta terrinha de gente má-língua.

Anónimo disse...

Quem é o ignorante que diz que a cidade nunca teve infraestruturas básicas?
Claro que tinha, só que algumas só se fazem depois de outras, ou seja, neste caso o colector separativo só se deveria fazer depois das águas e neste caso, por razões de equidade e justiça social, sómente depois de o concelho estar integralmente servido de água ao domicilio.
Já se esqueceram de quando foram construídos os depósitos para abastecimento de água na Choromela e quando foi assinado o protocolo com a EPAL.
Memória curta a de alguns!
Não acham que o Paiva com o aumento das receitas que teve e com o apoio da Pólis e das águas do Centro, sempre teria que fazer alguma coisa.

Anónimo disse...

Ignorante? Muito obrigada pela atenção mas o marques não está queimado pelo que fez por ele e não pela cidade?
Eu falo e oiço por aí tanta gente a dizer mal do marques que foi isto e aquilo (e foi) e também do paiva mas vamos ver se daqui a meio ano não têm saudades do toninho, grande empreendedor, estudioso, bruto, inteligente, narcisista mas o melhor que passou por cá em 30 anos! disto é que alguns dos independentes não gostam mas contra factos...

Anónimo disse...

O anónimo de ontem, das 18H38 reconhece o que o Pedro Marques fez pelo concelho, mas também refere que ele foi isto e aquilo, mas sem concretizar.
Seria interessante que ele concretizasse essas insinuações, pois tenho para mim que muito se disse e nada aconteceu, pois não se esqueçam do papel que em toda essa situação teve a comunicação social e em particular o Templário.
Para alguns menos atentos lembraria que o Pedro Marques processou judicialmente nessa altura o Templário e a sua Directora por difamação.
Cada um tura as ilações que quiser ou lhe convier, mas sejamos sérios, todos sabemos que ele foi perseguido pelo Templário e que quando se procuram factos e se olha para o assunto com seriedade, verificamos que não encontramos nada.
Convirá lembrar que quer as inspecções do IGAT, quer do Ministério Público, nada resultou.

Anónimo disse...

As novas vedetas da Nação

No passado Salazar buscava a discrição, os portugueses não tinham que se preocupar com coisas como a política ou a economia, o regime servia-lhes futebol e fado. Agora passa-se um pouco o mesmo ainda que neste caso são os políticos que estão a ser ultrapassados por entertainers em regime de free lance.

O fado já deu o que tinha a dar, a Amália está no Panteão Nacional, Carlos do Carmo faz espectáculos de aniversário da carreira, nos bairros populares os copos de tinto foram substituídos por shots, o cigarro fuma-se à porta do bar. O futebol vai pelo mesmo caminho, o Benfica deixou de ser o símbolo dos bons chefes de família, o Sporting treme porque não pode perder pontos com o Beira-Mar, as velhas glórias estão com bicos de papagaio ou na lista espera das cirurgias para mudar uma válvula nova no coração.

Talvez fosse o momento adequado para reflectir sobre o país que somos, sobre as causas do nosso atraso, sobre o contexto económico difícil que o país enfrenta, mas não, estamos a discutir aparelhos de extracção de fumos, penhoras fiscais, colheres de pau, doces conventuais, os dramas dos professores que chamam f.dap. ao primeiro-ministro e outras coisas de importância transcendente.

De repente o país tem novas vedetas, obscuros burocratas que aprenderam a lidar com a escassez de notícias para tantos jornais e jornalistas em busca de matéria para encher tantas páginas ímpares quanto as páginas pares que conseguem preencher com publicidade.

Os momentos mais importantes do país deixaram de ser os debates parlamentares, as comunicações do Presidente da República ou as decisões do primeiro-ministro. O país está preso pela próxima operação da ASAE, pelas próximas penhoras do fisco ou pelo próximo debate onde um director-geral da Saúde, que parece ter saído de uma banda desenhada sobre o paleolítico, nos tenta convencer de que é ele que deve cuidar da nossa saúde impondo-nos hábitos que ele entende ser os saudáveis. Dominam de tal forma a sociedade que os debates parlamentares são sobre as colheres de pau e o próprio Presidente da República saboreia o doce conventual receando que na próxima visita lhe servivam queques.

Os Eusébios e Amálias deram o lugar a novas vedetas como os Antónios Nunes e os Macedos.

O Jumento

Anónimo disse...

A CIMEIRA DE BRAGA

«Depois criou-se a ASAE, organismo para fiscalização e protecção dos cidadãos, quanto aos artigos que consomem. Uma boa iniciativa. Claro, se houver bom senso e as intervenções públicas não se tornarem excessivas. Se a ASAE for vista como um organismo persecutório, que mete medo e estimula os bufos (um velho estigma nacional desde os tempos da Inquisição), então, não. Ao serviço das "grandes superfícies" com produtos estandardizados - sem gosto e inodoros - dos insuportáveis McDonald's, para atacar o pequeno comércio personalizado, também não. Seria acabar com as produções caseiras: o pão saloio, os bons frutos e legumes de produção individual, o mel, a flor do sal, o peixe pescado à linha e consumido no dia, em pequenas tascas, os doces locais... Acabar com tudo isso seria a ASAE, imprudentemente, destruir o que faz a nossa diferença e tornar Portugal, de norte a sul, um país apetecido e amado. Pelos estrangeiros sobretudo...» [Diário de Notícias] Mário Soares

Anónimo disse...

se me disser quem foi o melhor presidente? quem foi mais forte, mais duro, mais terra a terra, mais visionário, mais inteligente, mais esperto, mais teimoso, mais poliglota? o paiva

Anónimo disse...

quem não 60 não 70!
paiva o mais poderoso, foi como o ajax com lexivina!

Anónimo disse...

No Politécnico há comércio clandestino de notas de testes e exames?

E pensava que os alunos do politécnico eram um poço de virtude e de cidadania e vai daí pumba fica-se a saber que, para além das bebedeiras de segunda a domingo, pequenos furtos em estabelecimentos comerciais da cidade, degradação moral à vista de qualquer um, ainda desenvolvem métodos de corrupção para alcançarem boas notas com o mínimo esforço. O futuro a eles pertence, claro. Mas não será melhor do que o nosso.
Também pudera, com os exemplos que lhes damos: Licenciaturas adquiridas em brindes na "Farinha Amparo", do que é que estavam à espera?

O Templário Observador»

Eu dou aulas em vários estabelecimentos de ensino superior (também universidades, claro) e a chamada "degradação" é geral pois é o próprio ministro da CTES que obriga a que os alunos sejam aprovados. Os professores do ensino superior são avaliados (também) em função do "número de aprovações relativas às suas disciplinas". Ora quem ensina o que faz: acata a ordem ou vem para a rua? Pois é... o diabo que escolha. Eu já escolhi (mas sou contra por isso vivemos numa espécie de democracia)... passo os alunos (engano-os), eu fico bem visto no ministério e ainda me pagam: melhor é impossível!!!
Pelo menos não sou corrupto nem trafico influências apenas engano umas almas ignorantes. No mestrado que frequento os professores já garantiram que não vão reprovar nonguém. é a vida mas é assim mesmo e os futuros diplomados serão o que são por culpa da sociedade.
haverá sempre como antes as elites e os peões. 1% pensam e os outros 99% executam. É PORTUGAL E A EUROPA NO SEU MELHOR. DIPLOMADOS BURROS, DESEMPREGADOS, SEM CAPACIDADE, COMANDADOS, SUBMISSOS POIS AS ESTATÍSTICAS DA OCDE E DA UE OBRIGAM A QUE TENHAMOS MAIS DIPLOMADOS.

Anónimo disse...

Mas alguém tem dúvidas que o Marques, que também é Pedro, se está a passar para o laranjal? É vê-lo conversar com o que tem o nome do antigo dono do bacalhau em Portugal, como duas velhinhas calhandreiras, à "chucha-calada", em vários locais públicos ali p'rós lados do escritório do mais bem constituído...

Mas, tal como já noutra ocasião disse, aqui se prova pela leitura de comentários precedentes, que por aqui desagua a jumentária nabantina em calúnias e gabarolices das suas "abelhas-rainhas" consoante a oportunidade e o interesse.

O Paiva uma "mente superior"? Quando comparado com quê? Só se for na Playstation!! Então uma mente superior deixa os tomarenses herdeiros de rotundas obsoletas, passadeiras ridículas e outras tantas obras de fachada de duvidoso interesse público e mais que provada hecatombe económica?
Parques subterrâneos mais que deficitários e ainda mais desnecessários, uma fonte cibernética de que nem vale a pena falar excepto para dizer que, para além do que custou em construção e posteriores manutenções, é alimentada com água da rede pública (sim!! deixem lá ouvir os vossos ahs de espanto!!!).
Um pavilhão dito gimnodesportivo mas que mais parece ter sido concebido para palco de feiras de stocks e/ou festas camarárias, um cine-teatro a que agitam o pó abrindo-lhe as portas muito, mas muito de vez em quando mas "engalanado" pela sua loja folclórica que mais parece um "souk" árabe com os restos de colecção de t-shirts e outros trapos colocados estrategicamente junto á porta.
Um Mouchão-parque destruído na sua imagem de local romântico em favor dum "desarranjo" pretensamente minimalista, bordejado a "alhos" e "cebolo", mais parecendo o futo campo de treinos do futuro campo de golf que a "sumidade" que nos preside entende vir a implantar em Tomar.

TODAS ESTAS DESCONTRUÇÕES NÃO FIZERAM MAIS QUE DESCARACTERIZAR E TORNAR A CIDADE DE TOMAR MAIS FEIA, MAIS IMPESSOAL, MAIS IGUAL A TANTAS OUTRAS ABERRAÇÕES EM QUE TRANSFORMARAM MUITAS DAS NOSSAS SECULARES TERRAS.

Uma cidade que passou dez anos nas mãos incompetentes do sr. Paiva sem que se criassem oportunidades de emprego nem se fixassem empresas industriais no concelho, situação que não cabe inteiramente ao executivo camarário resolver, mas que sempre se percebeu que esta seria a última das suas preocupações...

...e agora perfilam-se os "necrófagos" na sanha de apanhar os restos do "festim" paivista ou paivano, como queiram, acompanhados dos seus séquitos de seguidores, andrajosos mentais, desertinhos por ganhar a vida sem nada fazer, poque até aqui pouco ou nada fizeram...!!

Advogados uns, polidores de esquinas outros, restando ainda alguns a quem a sabedoria pregou a partida no desenvolvimento dos seus negócios e outras ocupações de vida, e outros a quem sabe melhor ver a vida através dum copo.
Não é mal endémico de Tomar! Isto está espalhado um pouco por todo o lado!!

Desculpem a minha prosa pouco refinada e muito próxima da oralidade...fiz de propósito, não fosse ser mal entendido ou mesmo não entendido por alguns...se calhar pelo próprio futuro pretérito timoneiro do naufragada nau tomarense!!!

É mais do mesmo, o que se perfila no horizonte, ou melhor, adoçando o discurso em linguagem desportiva equestre, a corrida não vai ser nada de jeito porque as alimárias não valem nada...por isso não vale a pena fazer apostas! Ganhe o que ganhar o resultado final será o mesmo!!!

BOA TARDE E BOM FIM DE SEMANA A TODOS


BRONC E OLÍTICO

Anónimo disse...

San Francisco - Scott McKenzie

If you're going to San Francisco
Be sure to wear some flowers in your hair
If you're going to San Francisco
You're gonna meet some gentle people there

For those who come to San Francisco
Summertime will be a love-in there
In the streets of San Francisco
Gentle people with flowers in their hair

All across the nation such a strange vibration
People in motion
There's a whole generation with a new explanation
People in motion people in motion

For those who come to San Francisco
Be sure to wear some flowers in your hair
If you come to San Francisco
Summertime will be a love-in there

If you come to San Francisco
Summertime will be a love-in there."

Anónimo disse...

«O Paiva uma "mente superior"? Quando comparado com quê? Só se for na Playstation!! Então uma mente superior deixa os tomarenses herdeiros de rotundas obsoletas, passadeiras ridículas e outras tantas obras de fachada de duvidoso interesse público e mais que provada hecatombe económica?»

Oh atrasado, o Paiva é acima da média!
Fez o que quis de Tomar e saiu sem dar satisfações! Existe alguém assim em 30 anos de vida Tomarense?
És mesmo atrasado pois só um tipo com um QI de macaco é que não vê que o Toninho foi um visionário e a maioria dos Tomarenses uns tapados! O gajo enganou-te bem não foi? Olha eu já o conhecia antes de ti e sabia que ele era de outro campeonato!

Anónimo disse...

Oh atrasado e a cibernética foi paga pela UE sabias? O que o Toninho contratualizou foi a sua manutenção e essa deixa muito a desejar não é?

Anónimo disse...

Oh atrasado já reparei que és muito antigo pá! Então achas que a malta nova está a ligar para o mouchão se está tapado ou não? Porra a malta quer é campos e instalações desportivas para fazer desporto e para a marmelada e fumar ganzas desenrascam-se pá!
O Toninho também falava com quem queria e era também muito calhandeiro sabias?
Sabes o Marques quando foi presidente cumprimentava desde a tia Maria até ao Presidente da República mas o Paiva não pois virara a cara e era um arrogante mas fez obra agora aproveita e ussa as infra-estrururas que o gajo cá deixou, atrasado! Qualidade de vida pá!

Anónimo disse...

Oh atrasado já reparei que és muito antigo pá! Então achas que a malta nova está a ligar para o mouchão se está tapado ou não? Porra a malta quer é campos e instalações desportivas para fazer desporto e para a marmelada e fumar ganzas desenrascam-se pá!
O Toninho só falava com quem queria e era também muito calhandreiro sabias?
Sabes o Marques quando foi presidente cumprimentava desde a tia Maria até ao Presidente da República mas o Paiva não pois virava a cara e era um arrogante mas fez obra. Agora aproveita e usa as infra-estrururas que o gajo cá deixou, atrasado! Qualidade de vida pá!

Anónimo disse...

Eh pá já que se fala tanto de Paiva será que é feliz? Será que se sente realizado?

O futuro o dirá!

Anónimo disse...

OH MEU SE O PAIVA É FELIZ NÃO INTERESSA PÁ.
MAIS VALE UM GAJO INFELIZ COM UMA BOA VIDA DO QUE UM GAJO FELIZ COM UMA VIDA DE M... SEMPRE A CONTAR OS CÊNTIMOS, PÁ!
ESTA É QUE É A REALIDADE, MEU BACANO!

Anónimo disse...

Mas que grande rebalbaria - é atrasado pr´á frente, atrasado p´ra trás, atrasado p´ró lado, feliz, infeliz, eu sei cá.
Devem pensar que são uns supra-sumos, uns adiantados mentais, uns iluminados.
Carago, com gajos destes o País vai rapidamente no pelotão da frente da Europa.
É só saber! e mais saber! e ainda mais saber!
Cuidado com tanta superioridade, incham, incham e podem rebentar.
Quem vos avisa .....

Anónimo disse...

Por que não te calas?!!!!!!!


Biografia não autorizada de Jaime Peñafiel, jornalista de 75 anos

«Estou péssimo. A Marta anda a trair-me!», disse o marido.
«Então dá "porrada" ao amante», sugeriu o amigo.

«Não posso. É o Rei», respondeu.

" E esta hein???"

Anónimo disse...

AS ESTATÍSTICAS DA OCDE E DA UE OBRIGAM A QUE TENHAMOS MAIS DIPLOMADOS

????? ????? ????? ?????
????? ????? ????? ?????
????? ????? ????? ?????
????? ????? ????? ?????

Quer-me parecer que os políticos portugueses de repente encontraram nas organizações internacionais a que pertencemos a causa de todos os nossos males.

Já não bastava a ASAE vir dizer-nos que "as suas vistorias mais não são do que a reposição da legalidade que a União Europeia nos obriga" (mas ao contrário do que acontece nos outros países europeus onde as tradições ainda são o que eram), agora vêm tambêm dizer-nos que o sistema de ensino passou a ser nivelado por baixo devido às obrigações internacionais.

É o chamado triunfo da mediocridade.

O Templário Observador

Anónimo disse...

Curioso (para não dizer algo mais), este escrito de Miguel Sousa Tavares no EXPRESSO, a propósito do Banco de que todos falam: BCP.

«Da Opus Dei à Maçonaria: a incrível história do BCP

Em países onde o capitalismo, as leis da concorrência e a seriedade do negócio bancário são levados a sério, a inacreditável história do BCP já teria levado a prisões e a um escândalo público de todo o tamanho. Em Portugal, como tudo vai acabar sem responsáveis e sem responsabilidades, convém recordar os principais momentos deste «case study», para que ao menos a falta de vergonha não passe impune.

1
Até ao 25 de Abril, o negócio bancário em Portugal obedecia a regras simples:
cada grande família, intimamente ligada ao regime, tinha o seu banco. Os bancos tinham um só dono ou uma só família como dono e sustentavam os demais negócios do respectivo grupo. Com o 25 de Abril e a nacionalização sumária de toda a banca, entrámos num período 'revolucionário' em que "a banca ao serviço do povo" se traduzia, aos olhos do povo, por uns camaradas mal vestidos e mal encarados que nos atendiam aos balcões como se nos estivessem a fazer um grande favor. Jardim Gonçalves veio revolucionar isso, com a criação do BCP e, mais tarde, da Nova Rede, onde as pessoas passaram a ser tratadas como clientes e recebidas por profissionais do ofício. Mas, mais: ele conseguiu criar um banco através de um MBO informal que, na prática, assentava na ideia de valorizar a competência sobre o capital. O BCP reuniu uma série de accionistas fundadores, mas quem de facto mandava eram os administradores - que não tinham capital, mas tinham «know-how». Todos os fundadores aceitaram o contrato proposto pelo "engenheiro" - à excepção de Américo Amorim, que tratou de sair, com grandes lucros, assim que achou que os gestores não respeitavam o estatuto a que se achava com direito (e dinheiro).


2
Com essa imagem, aliás merecida, de profissionalismo e competência, o BCP foi crescendo, crescendo, até se tornar o maior banco privado português, apenas atrás do único banco público, a Caixa Geral de Depósitos. E, de cada vez que crescia, era necessário um aumento de capital.
E, em cada aumento de capital, era necessário evitar que algum accionista individual ganhasse tanta dimensão que pudesse passar a interferir na gestão do banco. Para tal, o BCP começou a fazer coisas pouco recomendáveis: aos pequenos depositantes, que lhe tinham confiado as suas poupanças para gestão, o BCP tratava de lhes comprar, sem os consultar, acções do próprio banco nos aumentos de capital, deixando-os depois desamparados perante as perdas em bolsa; aos grandes depositantes e amigos dos gestores, abria-lhes créditos de milhões em «off-shores» para comprarem acções do banco, cobrindo-lhes, em caso de necessidade, os prejuízos do investimento.

Desta forma exemplar, o banco financiou o seu crescimento com o pêlo do próprio cão - aliás, com o dinheiro dos depositantes - e subtraiu ao Estado uma fortuna em lucros não declarados para impostos. Ano após ano, também o próprio BCP declarava lucros astronómicos, pelos quais pagava menos de impostos do que os porteiros do banco pagavam de IRS em percentagem.
E, enquanto isso, aqueles que lhe tinham confiado as suas pequenas ou médias poupanças viam-nas sistematicamente estagnadas ou até diminuídas e, de seis em seis meses, recebiam uma carta-circular do engenheiro a explicar que os mercados estavam muito mal.

3
Depois, e seguindo a velha profecia marxista, o BCP quis crescer ainda mais e engolir o BPI. Não conseguiu, mas, no processo, o engenheiro trucidou o sucessor que ele próprio havia escolhido, mostrando que a tímida "renovação"
anunciada não passava de uma farsa.
E descobriu-se ainda uma outra coisa extraordinária e que se diria impossível: que o BCP e o BPI tinham participações cruzadas, ao ponto de hoje o BPI deter 8% do capital do BCP e, como maior accionista individual, ter-se tornado determinante no processo de escolha da nova administração. do concorrente!

Como se fosse a coisa mais natural do mundo, o presidente do BPI dá uma conferência de imprensa a explicar quem deve integrar a nova administração do banco que o quis opar e com o qual é suposto concorrer no mercado, todos os dias...

4
Instalada entretanto a guerra interna, entra em cena o notável comendador Berardo - o homem que mais riqueza acumula e menos produz no país - protegido de Sócrates, que lhe deu um museu do Estado para ele armazenar a sua colecção de arte privada. Mas, verdade se diga, as brasas espalhadas por Berardo tiveram o mérito de revelar segredos ocultos e inconfessáveis daquela casa. E assim ficámos a saber que o filho do engenheiro fora financiado em milhões para um negócio de vão de escada, e perdoado em milhões quando o negócio inevitavelmente foi por água abaixo. E que havia também amigos do engenheiro e da administração, gente que se prestara ao esquema das «off-shores», que igualmente viam os seus créditos malparados serem perdoados e esquecidos por acto de favor pessoal.

5
E foi quando, lá do fundo do sono dos justos onde dormia tranquilo, acorda inesperadamente o governador do Banco de Portugal e resolve dizer que já
bastava: aquela gente não podia continuar a dirigir o banco, sob pena de acontecer alguma coisa de mais grave - como, por exemplo, a própria falência, a prazo.

6
Reúnem-se, então, as seguintes personalidades de eleição: o comendador Berardo, o presidente de uma empresa pública com participação no BCP e ele próprio ex-ministro de um governo PSD e da confiança pessoal de Sócrates, mais, ao que consta, alguém em representação do doutor «honoris causa» Stanley Ho - a quem tantos socialistas tanto devem e vice-versa. E, entre todos, congeminam um «take over» sobre a administração do BCP, com o «agrément» do dr. Fernando Ulrich, do BPI. E olhando para o panorama perturbante a que se tinha chegado, a juntar ao súbito despertar do dr. Vítor Constâncio, acharam todos avisado entregar o BCP ao PS. Para que não restassem dúvidas das suas boas intenções, até concordaram em que a vice-presidência fosse entregue ao sr. Armando Vara (que também usa 'dr.') - esse expoente político e bancário que o país inteiro conhece e respeita.

7
E eis como um banco, que era tão independente que fazia tremer os governos, desagua nos braços cândidos de um partido político - e logo o do Governo. E eis como um banco, que era tão cristão, tão «opus dei», tão boas famílias, acaba na esfera dessa curiosa seita do avental, a que chamam maçonaria.

8
E, revelada a trama em todo o seu esplendor, que faz o líder da oposição?
Pede em troca, para o seu partido, a Caixa Geral de Depósitos, o banco público.
Pede e vai receber, porque há 'matérias de regime' que mesmo um governo com maioria absoluta no parlamento não se atreve a pôr em causa. Um governo inteligente, em Portugal, sabe que nunca pode abocanhar o bolo todo. Sob pena de os escândalos começarem a rolar na praça pública, não pode haver durante muito tempo um pequeno exército de desempregados da Grande Família do Bloco Central.
Se alguém me tivesse contado esta história, eu não teria acreditado. Mas vemos, ouvimos e lemos. E foi tal e qual. »

Anónimo disse...

Ah, Tomar e o seu cortejo de drogados, bêbados e outros militantes da desgraça. Felizmente que a zona é boa de vinhos para alegrar...

Anónimo disse...

DIREITO DE RESPOSTA

Para o anónimo do dia 27/01/08 das 02:39 às 02:47


Cada um tem as suas ideias. Só pelo que leu concluiu o meu atraso! Porreiro.
O que acho estranho é não se ter referido à parte em que falei do emprego e de empresas(ou falta deles) em Tomar.
Se eu quiser ser tão ligeiro com Vossa Senhoria o foi, diria que esse assunto é capaz de lhe provocar urticária, talvez devido à forte alergia genética que nutre por semelhante actividade, não é?

BRONC E OLÍTICO

Anónimo disse...

APITO AZULADO

Pinto da Costa chegou a casa e gritou para a Carolina:

- Querida. Prepara-te que vais levar 4 quecas.

- Amor... (responde a Carolina)... tomastes 4 Viagras?


- Não!... Trago 4 árbitros...

Anónimo disse...

Está definitivamente esclarecido, através de consulta aos registos:

- Sócrates ainda não é Engenheiro uma vez que lhe faltam três cadeiras, a saber:

- a cadeira eléctrica

- a cadeira de rodas

- uma cadeira pelos "cornos" abaixo.

Anónimo disse...

Gorjetas de esquerda

Sócrates voltou ao discurso do governo de esquerda e insiste que nenhum governo deixou tantas marcas de esquerda como o seu, dá como exemplo o complemento social para idosos e o abono pré-natal. Convenhamos que estas despesas sociais são pequenas gotas de água, o seu custo é muito inferior ao aumento de impostos suportados pelos mais pobres. Digamos que não passam de pequenas gorjetas de esquerda.

Anónimo disse...

Parafraseando o PM Sócrates, são sinais do "folklore democrático" em que vivemos.

Anónimo disse...

Um dia, andava Cristo a passear pelo campo meditando quando encontrou um homem a chorar convulsivamente à beira do caminho.
Aproximando-se dele perguntou-lhe:
-Porque choras meu filho?
O homem respondeu:
- Sou da concelhia do PS de Tomar!
Cristo sentou-se...e chorou com ele!!!

Anónimo disse...

Um dia estava um rapazito de 6 anos a mexer num grande monte de trampa com um pau, quando um eminente deputado municipal do PS, ao vê-lo naqueles afazeres, se acerca e lhe pergunta:
- Ó miúdo, que é que estás a fazer?
O rapazito responde:
- Estou a fazer um político PS!
Indignado o deputado PS segue o seu caminho e mais à frente cruza-se com outro deputado municipal do PSD. Cumprimentam-se e o primeiro desabafa:
- Não queres lá ver?!! Encontrei ali atrás um cachopo a mexer num monte de trampa com um pau e perguntei-lhe o que era aquilo e ele disse-me que estava a fazer um político PS!!! A minha vontade era dar-lhe um tabefe...

O deputado PSD, indignado, dirige-se ao rapazito e em tom falsamente brando pergunta-lhe:
- Então meu menino, que é que estás a fazer?
O miúdo responde:
- Estou a fazer um político PS!!
-Ah, não é um PSD, pois não?
- Não!!! Para isso era preciso muito mais merda!!!

Anónimo disse...

Certo dia, uma equipa de cientistas conseguiu fazer ressuscitar D. Afonso Henriques. Passados alguns dias decidiram levá-lo a ver o país que conquistara numa viagem de helicóptero. Ao passarem por Lisboa D.Afonso Henriques perguntou:
- Ena, que grande terra esta é!! Como se chama?
- É Lisboa, majestade!
- Tchhhh!!! Tão diferente da do meu tempo.
Mais tarde passam por cima de Santarém e o rei faz a mesma pergunta.
- É Santarém, meu rei!!! Nova manifestação de espanto por parte do monarca. O mesmo se repetiu em mais uma boa dúzia de localidades.
Por fim, e intencionalmente, deixaram para último lugar a passagem pela terra fundada por Gualdim Paes.
Quando o helicóptero sobrevoava o centro da cidade, D. Afonso Henriques exclamou:
- Olha, Tomar...

Anónimo disse...

ADENDA À ANEDOTA ANTERIOR

...e ouve-se uma voz em surdina (do piloto):
- E nem Vossa Senhoria imagina as bestas que ali habitam!!!

Anónimo disse...

Estava um casalinho de namorados a "transar" no novo relvado do Mouchão, e de repente diz a moça:
- Oh Carlos, tira os óculos que me estás a aleijar!!!
Passado alguns segundos diz:
- Oh Carlos, põe os óculos! Não vês que estás a lamber a relva???!!!

Anónimo disse...

Conta-se que num dia de Inverno especialmente frio, o pai de um eminente político da praça entrou numa casa de meninas da Pedro Dias e disse à "madame":
- Olhe, eu quero uma rapariga que não seja esquisita e esteja disposta a tudo!
A "madame", boa profissional e sempre com uma resposta pronta a sair, disse:
- Concerteza, monsieur, tenho aquela ali loira, chama-se Rosália, e é totalmente desinibida!!
Combinaram o preço e foi quando o cliente disse que queria ir para o telhado da casa com a rapariga. E assim foi!
Estavam no bem bom quando de repente, escorregam no gelo das telhas e, agarrados um ao outro, estatelam-se no meio da rua morrendo de imediato! Passado um bocado passa um bêbedo andrajoso, familiar dum notório candidato rosa aos Paços do Concelho, que ao reparar nos dois corpos no chão bate á porta do bordel. Aparece a "madame" que, olhando de alto a baixo o bêbedo andrajoso, diz asperamente:
- Vá-se embora! Aqui não se dá esmola a ninguém!!
O bêbedo responde:
- Desculpe minha senhora, eu não venho pedir esmola...é só para dizer que o reclame caiu!!!

Anónimo disse...

ANÚNCIO NUMA PISTA DE CARRINHOS DE CHOQUE DA FEIRA DE SANTA IRIA


Oferece-se 10 horas de aprendizagem de condução para políticos apressados

Anónimo disse...

Estava um padre, que por acaso gostava muito de ver o altar com muitas flores, pronto para iniciar a missa dominical, quando de repente repara que faltava a custódia no altar.
Vira-se para o sacristão e pergunta:
- Oh sacristão, onde é que está a custódia?
- Oh sr. Padre, então a Custódia está ali na segunda fila!!!
- Não é dessa que estou a falar! É daquela onde se põe o Senhor!!
- Ah, desculpe sr. padre, pensei que estava a falar daquela onde o senhor se põe!!!

Anónimo disse...

(Vinicius de Moraes)
Composição: Tom Jobim, Vinícius de Moraes
Vai minha tristeza
E diz a ela que sem ela não pode ser
Diz-lhe numa prece
Que ela regresse
Porque eu não posso mais sofrer
Chega de saudade
A realidade é que sem ela
Não há paz não há beleza
É só tristeza e a melancolia
Que não sai de mim
Não sai de mim
Não sai
Mas, se ela voltar
Se ela voltar que coisa linda!
Que coisa louca!
Pois há menos peixinhos a nadar no mar
Do que os beijinhos
Que eu darei na sua boca
Dentro dos meus braços, os abraços
Hão de ser milhões de abraços
Apertado assim, colado assim, calado assim,
Abraços e beijinhos e carinhos sem ter fim
Que é pra acabar com esse negócio
De você viver sem mim
Não quero mais esse negócio
De você longe de mim
Vamos deixar esse negócio
De você viver sem mim

Anónimo disse...

Estavam dois canibais à esquina da igreja de S. João em amena cavaqueira quando passa uma rapariga a quem faltavam vários bocados, nos braços, nas pernas, etc.
Um dos canibais diz para o outro:
- É pá não contes a ninguém, mas eu ando a comer aquela gaja!!!

Anónimo disse...

CAVACO SUGERE A SÓCRATES QUE APOIE AS PEQUENAS EMPRESAS
«Num claro recado ao Governo de José Sócrates, Cavaco Silva salientou que Portugal “não se afirma na cena internacional nem se desenvolve se ficar à espera que as pequenas empresas desapareçam”. “É com elas que temos que recuperar um lugar de relevo na Europa Comunitária”, alertou o Chefe de Estado em Tondela, durante a cerimónia de inauguração de mais uma unidade de produção da empresa farmacêutica Labesfal, do grupo Fresenius Kabi.» [Correio da Manhã]

A sugestão faz sentido, parece que em Portugal só há BCPs, PTs e Sonaes.

Anónimo disse...

Pensamento do dia


Aquele que ao longo do dia

É activo como uma abelha,

Forte como um touro,

Trabalha que nem um cavalo

E que ao fim da tarde se sente cansado que nem um cão,

deveria consultar um veterinário

Porque é bem possível que seja burro.

Anónimo disse...

A CIMEIRA DE BRAGA

«Depois criou-se a ASAE, organismo para fiscalização e protecção dos cidadãos, quanto aos artigos que consomem. Uma boa iniciativa. Claro, se houver bom senso e as intervenções públicas não se tornarem excessivas. Se a ASAE for vista como um organismo persecutório, que mete medo e estimula os bufos (um velho estigma nacional desde os tempos da Inquisição), então, não. Ao serviço das "grandes superfícies" com produtos estandardizados - sem gosto e inodoros - dos insuportáveis McDonald's, para atacar o pequeno comércio personalizado, também não. Seria acabar com as produções caseiras: o pão saloio, os bons frutos e legumes de produção individual, o mel, a flor do sal, o peixe pescado à linha e consumido no dia, em pequenas tascas, os doces locais... Acabar com tudo isso seria a ASAE, imprudentemente, destruir o que faz a nossa diferença e tornar Portugal, de norte a sul, um país apetecido e amado. Pelos estrangeiros sobretudo...» [Diário de Notícias] Mário Soares

Anónimo disse...

"ESTE COMENTÁRIO TEM MUITA PIADA.
SERÁ QUE OS TOMARENSES CONTINUAM A SER TÃO CEGOS, QUE AINDA AINDA NÃO PERCEBERAM QUE O QUE ESTA GENTE QUER É TACHO!?
PORQUE DEPOIS DE TEREM O TACHO ASSEGURADO ELES PURA E SIMPLESMENTE BORRIFAM-SE NOS TOMARENSES.
GOSTARIA QUE ME RESPONDESSEM O QUE FIZERAM ELES QUANDO LÁ ESTIVERAM(NÃO SEI SE SABEM MAS ESTES TIPOS JÁ LÁ ESTIVERAM E BASTANTE TEMPO, E NADA DE JEITO FIZERAM)!?"

Cara senhora a única pessoa com a mesma capacidade de domínio dos dossiers e da "máquina" da Câmara Municipal é o Pedro Marques. Não existe mais ninguém tão inteligente, resistente, educado, pragmático e sabedor das matérias autárquicas! O Rosa Dias é outro senhor! Estes dois senhores aguentam e têm capacidade para pelo menos tentar uma inversão da curva exponencial de endividamento da câmara e ainda mitigar a destruição crónica do tecido social tomarense nos últimos dez anos.
O facto de não lhes terem atribuido pelouros tem haver com a estratégia excelente do PSD!!! Eles tapam os medíocres Carrão, Ivo e Rosário e já agora o novo Presidente.
Marques nada fez?
Bolas que temos aqui ignorantes ou quê?
Faça-se mas é passar aquilo que é o trabalho destes dois excelentes vereadores que gostam verdadeiramente de Tomar e não fogem e deixe-se de tretas. Faça o seu trabalho e vai ver que o seu Ivo não passará de candidato a candidato!
Está quase a chegar o tempo para os homens e mulheres dizerem se vão à luta ou não.
Eu lá estarei em 2009 ao serviço da comunidade tomarense e sempre independente.

Anónimo disse...

Para o anónimo das 23:oo.

Com tãos rasgados elogios aos "senhores" P.Marques e R.Dias, o melhor é começar desde já a preparar-lhe um altar numa das capelas laterais de Santa Maria. Ainal é lá que estão os santos. E os senhores.

Quanto a não fugirem, lembro-lhe que estude a história recente de Tomar, pois o A.Paiva não é caso isolado. E também ninguém poderá garantir que daqui a alguns anos ele também não queira regressar.

Quanto ao facto de ir à luta. Tudo bem. Até aplaudo de pé. Mas desde que se conheça o inimigo, a estratégia para o combater, as armas e a tragetória dos projécteis. É que já estou farto de ver pretensos Generais a darem tiros nos pés.

Anónimo disse...

"Para o anónimo das 23:oo.

Com tãos rasgados elogios aos "senhores" P.Marques e R.Dias, o melhor é começar desde já a preparar-lhe um altar numa das capelas laterais de Santa Maria. Ainal é lá que estão os santos. E os senhores.

Quanto a não fugirem, lembro-lhe que estude a história recente de Tomar, pois o A.Paiva não é caso isolado. E também ninguém poderá garantir que daqui a alguns anos ele também não queira regressar.

Quanto ao facto de ir à luta. Tudo bem. Até aplaudo de pé. Mas desde que se conheça o inimigo, a estratégia para o combater, as armas e a tragetória dos projécteis. É que já estou farto de ver pretensos Generais a darem tiros nos pés."

Oh assombração sei mais num edo que vossa senhoria no corpo todo e quanto a estes senhores prepare-se pra novas deles.
Aqui não há inimigos oh Gordo.
Aqui há gente que quer servir Tomar e não servir-se OH GORDO!

Anónimo disse...

"Para o anónimo das 23:oo.

Com tãos rasgados elogios aos "senhores" P.Marques e R.Dias, o melhor é começar desde já a preparar-lhe um altar numa das capelas laterais de Santa Maria. Ainal é lá que estão os santos. E os senhores.

Quanto a não fugirem, lembro-lhe que estude a história recente de Tomar, pois o A.Paiva não é caso isolado. E também ninguém poderá garantir que daqui a alguns anos ele também não queira regressar.

Quanto ao facto de ir à luta. Tudo bem. Até aplaudo de pé. Mas desde que se conheça o inimigo, a estratégia para o combater, as armas e a tragetória dos projécteis. É que já estou farto de ver pretensos Generais a darem tiros nos pés."

Oh assombração sei mais num dedo que vossa senhoria no corpo todo e quanto a estes senhores prepare-se pra novas deles.
Aqui não há inimigos oh Gordo.
Aqui há gente que quer servir Tomar e não servir-se OH GORDO!

Anónimo disse...

Senhor olhe lá por acaso se não existissem políticos acha que seria seguro sair à rua?
Era uma anarquia pá!
Olhe lá sabe se me der alguém com mais capacidade que Marques diga pois não conheço.
O IVO é burro, o Carrão idem, o novo presidente um tonto e etc.
O eleitorado só pode votar rosa dias e marques e em mais alguns pois a coisa tá preta e ficará pior.
Adorava era que os jornais dessem mais atenção ao bom trabalho dos meus dois vereadores pois é aqui também que se vê o partidarismo. Jornais controlados!
E não lhe comento o Marques e o seu passado pois é incomentável.
E vá dar lições ao visinho do lado pois a minha categoria, inteligência, sabedoria e maturidade manda-o tomar banho no rio Nabão, pá!
mais uma vez o ivo é burro! E não ouviu o bastonário da ordem dos advogados. Como é poss+ível estar a tempo parcial na câmara e serempresário. Investigue-se o indvíduo e os fundos que vai usar para a campanha deste aprendiz de político.
Ontem ouvi o pacheco pereira dizer que quem vive do ordenado de político nunca enriquesse! Será verdade? Vamos lá dissertar sobre isto senão O BURRO ataca :-)

Anónimo disse...

desculpem os erros ortográficos mas é preciso ter algum humor pois a cidade anda com as passas secas.
é verdade, onde parará esse ignóbel O BURRO?

Anónimo disse...

O BURRO foi para angola.

Está à espera de um tacho em coimbra, ou de um lugarzito na câmara dai estar em periudo de nojo.

Começa agora a aparecer, finalmente, a verdadeira faceta do iluminado que estava a frente da câmara, é ler o Mirante ou conhecer o que o Presidente da Junta de St. Maria disse, fora o que já verbalizam finalmente nas costas do individu-o, realmente, são mesquinhos.

Finalmente a pretalhada dos funcionários da Autarquia, ficaram livres do racista, viva a alforria.

O prepotente que tudo sabia, tudo fazia, e que a ver bem nada sabia e fazia tudo mal, que vá sem pena nem retorno.

Das obras feitas, e desfeitas vezes sem conta, orientadas por um suposto eng. civil, ou já vinham dos executivos anteriores, onde o iluminado apenas fez umas alterações de fachada para dizer que eram obra dele, ou foram inventadas nos seus mandatos, e essas sem nexo, sem alma, e descaracterizantes do que era Tomar.

Só mais uma coizinha para reflectirem, aqueles que o apelidaram de melhor presidente, darão que notas aos presidentes das câmaras do Entroncamento, T. Novas ou Ourém??
Nos últimos 10 anos chegaram-se a níveis de Tomar, partindo de muito longe em termos de desenvolvimento e sendo meras localidades de referência, tendo inclusivie, ultrapassado em alguns aspectos (Ex. Mercados Municipais onde o nosso foi chumbado pela ASAE) o município.

Anónimo disse...

O Rosa Dias é como o Carlos Lopes. É um bom "corredor de fundo" mas falta-lhe ponta final!!


...transposto para a política quer dizer que não tem carisma, mais parecendo o logístico que não quer que falte nada aos "meninos".

Anónimo disse...

Pois caro senhor mas para isso tem o Marques que o ajuda. Aliás a sua parceria só prova que os cartões dos partidos nada valem pois os dois são diferentes, não vendem a alma ao diabo e aos partidos e chegam a consensos ou estou a concluir mal, sua aberração!

Anónimo disse...

Não vendem a alma ao diabo, mas têm vendido o corpinho ao Templário.
Vai-se a ver o Templário foi comprado pelo Região de Tomar e andamos todos enganados a pensar que o Gaio está acima destas lutas partidárias...
Mas até faz algum sentido. A Isabel Miliciano ganha na proporção da subida dos Independentes.
Afinal, é tudo política, minha gente.

Anónimo disse...

"A Isabel Miliciano ganha na proporção da subida dos Independentes."

Lendo o jornal todas as semanas não se vê nada disso.
No entanto, o sr. comentador lá terá as suas razões.
Explique lá melhor o seu raciocínio p´ró povo poder entender.
Grato.

Anónimo disse...

Era uma vez um senhor chamado Vasconcelos...*

A história podia começar assim, como qualquer história de encantar
crianças, se é que às crianças de hoje ainda se contam histórias de encantamento e final feliz.

Mas era uma vez um senhor chamado Jorge Vasconcelos, que era presidente de uma coisa chamada ERSE, ou seja, Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos, organismo que praticamente ninguém conhece e, dos que conhecem,
poucos devem saber para o que serve. Mas o que sabemos é que o senhor Vasconcelos pediu a demissão do seu cargo porque, segundo consta, queria que os aumentos da electricidade ainda fossem maiores.

Ora, quando alguém se demite do seu emprego, fá-lo por sua conta e risco, não lhe sendo devidos, pela entidade empregadora, quaisquer reparos, subsídios ou outros quaisquer benefícios. Porém, com o senhor Vasconcelos não foi assim. Na verdade, ele vai para casa com 12 mil euros por mês - ou seja, 2.400 contos - durante o máximo de dois anos, até encontrar um novo
emprego.

Aqui, quem me ouve ou lê pergunta, ligeiramente confuso ou perplexo: «Mas você não disse que o senhor Vasconcelos se despediu?». E eu respondo: «Pois disse. Ele demitiu-se, isto é, despediu-se por vontade própria!». E você volta a questionar-me: «Então, porque fica o homem a receber os tais 2.400 contos por mês, durante dois anos? Qual é, neste país, o trabalhador que se despede e fica a receber seja o que for?».

Se fizermos esta pergunta ao ministério da Economia, ele responderá, como já respondeu, que «o regime aplicado aos membros do conselho de administração
da ERSE foi aprovado pela própria ERSE». E que, «de acordo com artigo 28 dos Estatutos da ERSE, os membros do conselho de administração estão sujeitos ao estatuto do gestor público em tudo o que não resultar desses estatutos».

Ou seja: sempre que os estatutos da ERSE foram mais vantajosos para os seus gestores, o estatuto de gestor público não se aplica.

Dizendo ainda melhor: o senhor Vasconcelos (que era presidente da ERSE desde a sua fundação) e os seus amigos do conselho de administração, apesar de terem o estatuto de gestores públicos, criaram um esquema ainda mais vantajoso para si próprios, como seja, por exemplo, ficarem com um ordenado milionário quando resolverem demitir-se dos seus cargos. Com a bênção avalizadora, é claro, dos nossos excelsos governantes.

Trata-se, obviamente, de um escândalo, de uma imoralidade sem limites, de uma afronta a milhões de portugueses que sobrevivem com ordenados baixíssimos e subsídios de desemprego miseráveis. Trata-se, em suma, de um desenfreado, abusivo e desavergonhado abocanhar do erário público.

Mas voltemos à nossa história. O senhor Vasconcelos recebia 18 mil euros mensais, mais subsídio de férias, subsídio de Natal e ajudas de custo. 18 mil euros seriam mais de 3.600 contos, ou seja, mais de 120 contos por dia, sem incluir os subsídios de férias e Natal e ajudas de custo.

Aqui, uma pergunta se impõe: Afinal, o que é - e para que serve - a ERSE?

A missão da ERSE consiste em fazer cumprir as disposições legislativas para o sector energético. E pergunta você, que não é trouxa: «Mas para fazer
cumprir a lei não bastam os governos, os tribunais, a polícia, etc.?».

Parece que não. A coisa funciona assim: após receber uma reclamação, a ERSE intervém através da mediação e da tentativa de conciliação das partes envolvidas. Antes, o consumidor tem de reclamar junto do prestador de serviço. Ou seja, a ERSE não serve para nada. Ou serve apenas para gastar somas astronómicas com os seus administradores.

Aliás, antes da questão dos aumentos da electricidade, quem é que sabia que existia uma coisa chamada ERSE?

Até quando o povo português, cumprindo o seu papel de pachorrento bovino,
aguentará tão pesada canga?
E tão descarado gozo?
Politicas à parte estou em crer que perante esta e outras , só falta mesmo um Carrasco capaz de os enforcar.

Anónimo disse...

Pois é.
Então o burro sou eu!?
Ladrões!

Anónimo disse...

POR ESTE COMENTÁRIO SE VÊ COMO AS PESSOAS ANDAM CEGAS.
EM TOMAR QUEM FOR HONESTO E REALISTA NÃO CONSEGUE VER O QUE FEZ O PEDRO MARQUES ENQUANTO LÁ ESTEVE ENTRE 89 E 97.
EU GOSTAVA QUE AS PESSOAS QUE O APOIAM MENCIONASSEM O QUE ELE FEZ PELO CONCELHO!

-POIS EM ESTRADAS FOI O PAIVA QUE AS ARRANJOU PRATICAMENTE TODAS
-EM ESCOLAS É O QUE ESTÁ A FAZER NOVOS CENTROS ESCOLARES
-A PISCINA TB
-O PAVILHÃO TB
E MAIS HAVERIA
QUER QUEIRAM QUER NÃO A REALIDADE É QUE O QUE ESTÁ FEITO NA SUA GRANDE MAIORIA FOI FEITO NA ERA DO PAIVA(EMBORA NUNS CASOS BEM, NOUTROS MAL, MAS ISTO É A LEI DA VIDA, NINGUEM É PERFEITO E TODOS COMETEMOS ERROS NA VIDA).

QUANTO AO VOSSO PADRINHO(PEDRO MARQUES) FEZ A BIBLIOTECA, ARRANJOU O EDIFICIO DOS PAÇOS DO CONCELHO E DE RESTO NADA....2

oh seu maroto então o marques nada fez?
Olhe lá o que foi feito pelo paiva foi-o com as receitas próprias da câmara?
eheheh!
O senhor para comprar casas e carros tem dinheiro próprio oriundo do euromilhões é?
Tem que se endividar, sabe!
tem que recolher a dinheiro alheio e foi justamente o que o senhor paiva fez. o santana na figueira também e o menezes em gaia!
e quem vai pagar essas obras mal-feitas e mal-projectas? o senhor e todos nós!
é quem pagará os juros dos empréstimos através da sobre-facturação da água?
O senhor e nós!
sabe porque os tugas estão quase todos com a corda na garganta?
porque fizeram irracionalmente aquilo que o paiva acha que fez racionalmente em tomar: ter infra-estruturas ou bens duradouros à custa do esforço dos outros. E a manutenção? lembre-se da cibernética e do piso vergonhoso na rotunda alves redol. Pois pq o toninho já foi e só a mulher dele ainda cá está!
EM RESUMO há 10 ANOS O DINHEIRO ERA ESCASSO E POR ISSO CARÍSSIMO LOGO RACIONALMENTE NINGUÉM SE ENDIVIDA E SE NÃO SE PODE TER EM CASA REMEDEIA-SE com o que há!
MAS O SENHOR PARECE QUE AINDA NÃO PERCEBEU ;-)
E FIQUE A SABER UMA COISA OS AMIGOS DO MARQUES QUE O RODEIAM NÃO SÃO PARVOS E ANDAM DE OLHOS ABERTOS. E SE PENSA QUE ELES ESTÃO INEBRIADOS COM O PODER E A PALAVRA SANTA DE MARQUES E ROSA DIAS ENTÃO DESENGANE-SE!
NÃO HÁ OUTRA SOLUÇÃO: MARQUES PARA PRESIDENTE E JÁ. mas é uma questão de tempo.

Anónimo disse...

Esta frase:
"FIQUE A SABER UMA COISA OS AMIGOS DO MARQUES QUE O RODEIAM NÃO SÃO PARVOS E ANDAM DE OLHOS ABERTOS. E SE PENSA QUE ELES ESTÃO INEBRIADOS COM O PODER E A PALAVRA SANTA DE MARQUES E ROSA DIAS ENTÃO DESENGANE-SE!"
Logo seguida desta:
"NÃO HÁ OUTRA SOLUÇÃO: MARQUES PARA PRESIDENTE E JÁ. mas é uma questão de tempo." é a falta de coerência total, pois a segunda prova o contrário da primeira.
Não só o regresso de MArques ao poder seria um imenso retrocesso, e absolutamente errado para o concelho, como isso não vai acontecer, porque ao contrário dos seus acólitos, os tomarenses sim, não estão cegos, nem iludidos com qualquer coisa que lhes pudesse advir da vitória de Marques.

Paiva e Marques são farinha do mesmo saco, mas entre os dois ainda assim se preferia o segundo que sempre era um upgrade.
Agora que Paiva se foi embora, os tomarenses não serão parvos ao ponto de voltar a Marques, que para além de tudo o que se sabe, está velho e cansado e isso vê-se a milhas. O Rosa Dias mostra mais vitalidade que ele!

Não sei quem poderá sero ideal, e nem sei se o Vitorino pelo PS, ou o Carrão pelo PSD podem ser solução, mas voltar ao passado é que não, Tomar precisa de melhor.

LIG

Anónimo disse...

"Paiva e Marques são farinha do mesmo saco, mas entre os dois ainda assim se preferia o segundo que sempre era um upgrade."

oh amigo já viu o que escreveu? Quer dizer marques um upgrade do paiva? Vá aprender informática seu ignorante!

olhe lá sabe quem não ganha eleições? o meu amigo, pá!

o senhor é burro mesmo!
mas alguém volta ao passado?
andamos todos a evoluir, pá.

e sabe que o que me falta em incoerência tem o senhor a salpicos: sabedoria!!!

se o senhor for coerente verifica quem nem carrão, nem ivo nem os xonés do ps dominam os dossiers como pedro marques!
os bombeiros e os jardineiros estão com o marques e presidentes de junta já passaram para cá!
Um abraço para o ignorante e burro!

Sabe a nova lei das dinanças locais? O que diz o artigo 15?
Vá brincar ao carnaval seu ignorante.

Anónimo disse...

"finanças2 e não "dinanças": é carnaval e nada parce mal, ignorante

Anónimo disse...

Procura-se o António Nunes

A última vez que foi visto estava tranquilamente a fumar uma cigarrilha no salão do Casino Estoril, uma local e a uma hora em que seria pouco provável que por ali passasse umas das brigada ranger da ASAE, mais preocupadas com a Ginginha do Rossio ou com a Feira do Relógio locais mais perigosos para a saúde dos clientes e dos empregados.
Não sabemos como o António anda vestido nem os locais por onde poderá andar mas como se sabe do seu gosto por filmes de comandos é provável que ande vestido de rambo. Sabe-se também que o António tinha por ambição aparecer mais vezes na comunicação social do que a Lili Caneças pelo que se considera possível que ande a rondar alguma estação de televisão.

Os familiares, amigos, admiradores e simpatizantes estão preocupados com o repentino e estranho desaparecimento, ele que nos fazia companhia diária nas aberturas do telejornal, era mesmo um estímulo para o zapping, se não estava na um ligávamos para a três e se também não estivesse no canal de Balsemão era certo e sabido que o encontraríamos.

Depois de termos perdido o lince da Serra da Malcata e enquanto ainda não foi reintroduzido o lince ibérico na serra do Algarve, seria uma perda irreparável se também perdêssemos António Nunes, um verdadeiro lince das mercearias.

Se alguém se cruzar com o inspector-geral da ASAE que lhe diga que volte, que ocupe o seu lugar na comunicação social, que sem ele podemos ser envenenado pelo CO2 dos cigarros se ainda tivermos morrido devido a algum germe fatal. O pior já passou, a remodelação fez e Manuel Pinho manteve-se a boiar, Sócrates até já falou bem dele e não foi para o demitir depois como sucedeu a Correia de Campos.

O Jumento

Anónimo disse...

O "Cidade de Tomar" tem como notícia de cartaz: criança de onze anos em tribunal!
mas a entrevista do marques não era mais importante, porra!
está a ver-se que quer este jornal quer o templári vão apoira carrão e ivo , respectivamente.
mas esta história só se conta melhor mais para a frente.
cambada de incompetentes!!!!!

Anónimo disse...

O Pedro Marques que se foda!

Anónimo disse...

MALCRIADÃO.
LAPAROTO!
GROSSEIROTE!

Anónimo disse...

Há aí um desinformado que disse que o Pedro Marques tinha dívidas da campanha.
Tenha juízo pois as contas da campanha estão liquidadas na íntegra.

Anónimo disse...

Há aí um desinformado que disse que o Pedro Marques tinha dívidas da campanha.
Tenha juízo pois as contas da campanha estão liquidadas na íntegra.

Anónimo disse...

o mal do pedro marques é q é gordo como um porco e ficava mal na capa do ct. percebe simõesinho? tempo a mais sem fazer nenhum é q tu tens!

Anónimo disse...

e ja agora poe um filtro no teu PC porque um dia apago-te o disco. fica o aviso.

Anónimo disse...

escusas de sair tao depressa. ja copiei o q queria.

Anónimo disse...

"o mal do pedro marques é q é gordo como um porco e ficava mal na capa do ct. percebe simõesinho? tempo a mais sem fazer nenhum é q tu tens!"

o sócio militante da SAPET,
tu anónimo deves ser uma estampa, um metrosexual de primeira!
com assinatura na primeira página do Playgirl!!!!
eh! eh! eh! eh!
a propósito, já te viste ao espelho todo nú?
o macaco adrião é uma figura esbelta ao pé de ti!!!!
olha, vai-te catar, que o teu mal são os piolhos, as pulgas e as lêndias nas crinas!!!!
que te atormentam o cérebro (se o tens, obviamente),

Anónimo disse...

Telmo, o símbolo do trabalhador português

Quem olha para Telmo Correia não vê nele o grande trabalhador que é, com ar franzino, cara que engana quanto à inteligência que esconde e pouca actividade muscular, não nos deixa a impressão de ser capaz de arregaçar as mangas e fazer numa noite o que muitos ministros fazem durante todo o mandato.

Mas não é assim, na noite anterior à sua saída do cargo de ministro Telmo Correia assinou 300 despachos, isso mesmo, para não haver dúvidas quanto aos algarismos acrescento por extenso: trezentos despachos! a um minuto cada um terão dado cinco horas de trabalho, a dois minutos já teria sido impossível assinar tanta papelada pois o ministro já seria outro. Rápido, eficaz e inteligente.

Telmo Correia é o símbolo da capacidade de trabalho dos portugueses!

Anónimo disse...

CRISE, QUAL CRISE?
«Nas últimas semanas muito se tem falado de crise, principalmente da crise que afecta o sector imobiliário. Contudo, há prédios de luxo que não são afectados por estas dificuldades. Estoril Sol Residence, Convento dos Inglesinhos e Edifício do Campo Pequeno são três luxuosos empreendimentos entre Cascais e Lisboa onde um apartamento pode custar até quatro milhões de euros e que estão praticamente vendidos.» [Correio da Manhã]

Não admira, as crises em Portugal são superadas enriquecendo os mais ricos.

OS RICOS È QUE PAGAM A CRISE.
TADINHOS.

Anónimo disse...

ó pedro vai fazer cocó... que merda já fizeste demais em Tomar.

Anónimo disse...

MALCRIADÃO.
LAPAROTO!
GROSSEIROTE

Anónimo disse...

2o mal do pedro marques é q é gordo como um porco e ficava mal na capa do ct. percebe simõesinho? tempo a mais sem fazer nenhum é q tu tens!"

Pois mas o cristovão é gordo e só anda nos 30, não é?
o pedro marques é um homem que não gosta de homens, certo? e o cristovão é um homem que gosta de... (vamos lá, qual é a palavra que falta, eu ajudo começa por "H").

Anónimo disse...

O Pedro Marques já teve na Presidência e roubou quanto quis.
Perguntem ao Rosa Dias que ele sabe muitas histórias desse tempo.
Era preciso que os tomarenses fossem todos burros para repetirem a graça...

Anónimo disse...

BASTONÁRIO NÃO QUER DEPUTADOS-ADVOGADOS

«O bastonário da Ordem dos Advogados, Marinho Pinto, desafia a Assembleia da República a tomar a iniciativa de legislar no sentido de impedir que os advogados possam acumular o exercício da profissão com o mandato de deputados. "Devia ser a Comissão de Ética a tomar a iniciativa. Se formos nós a apresentar uma proposta, nada garante que alguém a leve avante", disse o bastonário, ontem, ao DN. Uma proposta dessas implicaria a mudança no Estatuto da Ordem dos Advogados, o que só pode acontecer com uma lei da Assembleia da República. O bastonário espera que o Parlamento avance embora admita, ao mesmo tempo, que "na altura própria" terá de discutir com os deputados alterações no estatuto, decorrentes, por exemplo, do Processo de Bolonha (formação de advogados).» [Diário de Notícias]

Bastaria o exemplo do deputado António Preto para se perceber que o bastonário da Ordem dos Advogados tem razão.

Anónimo disse...

Só não quero um pedófilo na presidencia da câmara quero um homem.
viva marques e marinho pinto.

Anónimo disse...

o cristovão é parecido fisicamente, claro, com paulo pedroso.
adivinhem em quê?

Anónimo disse...

amândie apresentou-se de fatinho, gravata laranja, charuto exibido na mão direita (parecia o Presidente de Vila Nova da Rabona, dos Fedorento),
um verdadeiro cromo,
só falta uma atalaiense de gema para lhe tirar a virgindade,
ainda por cima fartou-se de espalhar "cartazes" da sua candidatura feitos a traço de esferográfica e com umas palavras de ordem de estalo,
sim senhor, continuamos a ter um (fraco) jardineiro a tentar tocar rabecão,
ainda chega a secrteário-geral da SAPET
é carnaval até na política!!!!

Anónimo disse...

ouvi dizer que o cristovão era ummhomossexual e gostava de meninos?
porra não acredito.
o tipo tem até ar de padre1
mas os padres comem criancinhas!
mas axo que vai ser homem para assumir a candidatura à câmara contar os independentes pois eses vão ganhar as eleições.

Anónimo disse...

POLÍTICOS NÃO GOSTAM QUE SE SAIBA QUANTO GANHAM
«Várias dezenas de titulares de cargos políticos solicitaram nos últimos anos ao Tribunal Constitucional que o conteúdo das suas declarações de rendimentos fossem ocultadas da opinião pública. Confrontado com esta situação pelo CM, o Tribunal Constitucional limitou-se a dizer que “os casos que foram pedidos nesse sentido foram todos indeferidos”.» [Correio da Manhã]

PUDERA..........

Anónimo disse...

"Se sinto a revolta..."
Garcia Leandro ( 05/02/2008 )

O modo como se tem desenvolvido a vida das grandes empresas, nomeadamente da banca e dos seguros, envolvendo BCP e Banco de Portugal, incluindo as remunerações dos seus administradores e respectivas mordomias, transformou-se num escândalo nacional, criando a repulsa generalizada.
É consensual que o país precisa de grandes reformas e tal esforço deve ser reconhecido a este Governo (mesmo com os erros e exageros que têm acontecido).
Alguém tinha de o fazer e este Governo arregaçou as mangas para algo que já deveria ter ocorrido há muito tempo. Mas não tocou nestes grandes beneficiários que envergonham a democracia, com a agravante de se pedirem sacrifícios à generalidade da população que já vive com muitas dificuldades.
O excesso de benefícios daqueles administradores já levou a que o próprio Presidente da República tivesse sentido a obrigação de intervir publicamente.
Mas tudo continua na mesma; a promiscuidade entre o poder político e o económico é um facto e feito com total despudor.
Uma recente sondagem Gallup a nível mundial, e também em Portugal, mostra a falta de confiança que existe nos responsáveis políticos deste regime.
Tenho 47 anos de serviço ao Estado, nas mais diferentes funções de grande responsabilidade, sei como se pode governar com sentido de serviço público, sem qualquer vantagem pessoal, e sei qual é a minha pensão de aposentação publicada em D.R.
Se sinto a revolta crescente daqueles que comigo contactam, eu próprio começo a sentir que a minha capacidade de resistência psicológica a tanta desvergonha, mantendo sempre uma posição institucional e de confiança no sistema que a III República instaurou, vai enfraquecendo todos os dias.
Já fui convidado para encabeçar um movimento de indignação contra este estado de coisas e tenho resistido.
Mas a explosão social está a chegar. Vão ocorrer movimentos de cidadãos que já não podem aguentar mais o que se passa.
É óbvio que não será pela acção militar que tal acontecerá, não só porque não resolveria o problema mas também porque o enquadramento da UE não o aceitaria; não haverá mais cardeais e generais para resolver este tipo de questões. Isso é um passado enterrado. Tem de ser o próprio sistema político e social a tomar as medidas correctivas para diminuir os crescentes focos de indignação e revolta.
Os sintomas são iguais aos que aconteceram no final da Monarquia e da I República, sendo bom que os responsáveis não olhem para o lado, já que, quando as grandes explosões sociais acontecem, ninguém sabe como acabam. E as más experiências de Portugal devem ser uma vacina para evitar erros semelhantes na actualidade.
É espantosa a reacção ofendida dos responsáveis políticos quando alguém denuncia a corrupção, sendo evidente que a falta de vergonha deve ser provada; e se olhassem para dentro dos partidos e começassem a fazer a separação entre o trigo e o joio? Seria um bom princípio!
Corrija-se o que está errado, as mordomias e as injustiças, e a tranquilidade voltará, porque o povo compreende os sacrifícios se forem distribuídos por todos.

Anónimo disse...

AS ÁRDUAS TAREFAS DE TELMO CORREIA

«Telmo Correia é um orador de frase redonda e um pouco convulsiva. Ocasionalmente, na SIC Notícias, dou pela sua loquacidade barroca, reveladora de um conhecimento antiquado do povo, que só lhe calha bem por ser quem é, e por representar aquilo que representa. No meu modesto entender, está errado de alto a baixo. No entanto, serei sempre o primeiro a defender a liberdade da sua voz. Adianto: aplaudo, com enternecida emoção, o esforço raro, acaso selvático, do diligente Telmo, pela ingente tarefa a que se consagrou. É obra!, assinar 300 despachos, com aquela rapidez, em tão escasso tempo. O ministro Telmo Correia estava de malas aviadas, mas não desejava deixar a meio projectos poderosos e fundamentais que, sem a sua assinatura, seriam irremediáveis. Além do mais, um leitor rápido, demonstrativo de como se deve mergulhar no trabalho com o altivo vigor que a pátria exige e a História consagra. Estou a ver este nobre e impecável português, saindo do ministério, arquejante e trôpego, porém no alvoroço feliz de quem cumpriu um dever imperativo.» [Diário de Notícias] Por Baptista Bastos.

Anónimo disse...

Isto vai bonito de comentários no burreiral de Tomar. Transcendam-se e tentem fazer boa figura, cambada de lapaduços!!!

Anónimo disse...

Isto vai bonito de comentários no burreiral de Tomar. Transcendam-se e tentem fazer boa figura, cambada de lapaduços!!!

Estás a ver-te ao espelho oh laparoto!

Anónimo disse...

Vinte campos de golfe no Ribatejo

O golfe pode, a curto prazo, vir a tornar-se a grande atracção turística do Ribatejo, região que tem tido no turismo aventura, nos cavalos e na gastronomia os produtos que mais atraem turistas, essencialmente nacionais. Carlos Abreu, presidente da Região de Turismo do Ribatejo (RTR), disse que a integração desta zona numa “mega-região com oferta muito mais diversificada” vai obrigar a que o Ribatejo surja como complemento a Lisboa e à Costa do Estoril.


“O distrito de Santarém pode ser o local privilegiado para a expansão do turismo em toda esta região, nomeadamente nos campos de golfe, de que o Estoril está já saturado e que aqui têm ainda terrenos a bom preço para se instalarem”, disse. A curto prazo, toda esta região terá “mais de 20 campos de golfe a funcionar”, sobretudo na área entre Azambuja e Rio Maior, agora libertada das condicionantes que estavam colocadas pela possibilidade do novo aeroporto de Lisboa ser construído na Ota.


Com o novo aeroporto a ser implantado nos concelhos de Benavente e Montijo, a região torna-se ainda mais apetecida para receber o turismo vocacionado para o golfe, que gosta de “fazer rotação por pelo menos três campos”, disse. Na área actualmente abrangida pela RTR existem quatro campos de golfe, três dos quais no concelho de Benavente e outro no de Rio Maior, estando mais previstos, afirmou.


Já o presidente da Região de Turismo dos Templários (RTT), Jorge Neves, que há seis anos lidera esta estrutura, defende que Tomar deve continuar a apostar no turismo “patrimonial” e lutar para que este se afirme. “Quando a região passar a ser dirigida por Lisboa, ficará pouco espaço de manobra para as outras cidades. Vai ser necessária uma luta constante para afirmação”, disse Jorge Neves à agência Lusa.


Declarando-se perfeitamente consciente da “mais valia” que representa o património da região abrangida pela RTT, Jorge Neves disse acreditar que a estratégia de criação de um percurso “patrimonial”, ligando Alcobaça, Batalha e Tomar se irá manter, apesar de passarem a integrar estruturas diferentes.
.....
Além de cinco concelhos do distrito de Santarém, a RTT integra ainda Vila de Rei, Sertã e Oleiros, do distrito de Castelo Branco. Jorge Neves afirmou que o número de dormidas na região estabilizou desde 2005, ano em que teve um crescimento de dois dígitos, rondando as 120.000 dormidas, essencialmente em Tomar. Contudo, disse, tem-se vindo a registar um crescimento no turismo em espaço rural.

MIRANTE on Line

Anónimo disse...

"Claro que já não me revejo neste PS"
08.02.2008, São José Almeida
Manuel Alegre reúne-se amanhã com os militantes socialistas que se
envolveram na sua candidatura. Para tentar perceber para onde vai o PS

Manuel Alegre não desiste de tentar dinamizar o PS e de procurar formas de ser socialista hoje. Rejeita receitas únicas e uma visão que transforma os políticos em gestores da sociedade. Mas recusa também a criação de partidos como solução para a crise de comunicação com a sociedade que assola o PS. E não aceita ser erguido ao papel de "Santa da Ladeira".

Anónimo disse...

ÚBLICO - Manuel Alegre, o que se passa com o PS?
Manuel Alegre - Com o PS passa-se muito pouca coisa. Com o PS e com a nossa democracia. Porventura leu o artigo do general Garcia Leandro. É muito preocupante que um general, que exerceu aquelas funções no Estado e com aquele sentido de responsabilidade, tenha dito o que disse e que tenha sido porta-voz das preocupações de muitos portugueses. Ou seja, que isto é um sistema bloqueado, que os partidos políticos têm que se reformular, sob pena de poder haver uma explosão social. E que, se não houvesse União Europeia, estavam reunidas as condições para um golpe de estado. Mas ele teve o cuidado de sublinhar que isso não se passa em democracia. Eu acho realmente que as coisas estão muito bloqueadas, por toda a Europa, mas aqui particularmente.
E, no PS, qual é o problema?
O que é o PS? O que é o socialismo, hoje? Depois da queda do Muro de Berlim, veio o capitalismo globalizado, que mudou a sua própria natureza. O ministro de Bill Clinton, Bob Reich, disse recentemente que antigamente respeitava o capitalismo americano porque era eficaz, produzia riqueza, estava alicerçado em valores, mas agora é uma imoralidade, não cria justiça, destrói os serviços públicos. E até acrescentou: que liquida impiedosamente o cidadão que há em cada um de nós. Há um recuo geral da esquerda. Em Maastricht, ou pelo menos num momento em que os partidos socialistas estavam no poder em toda a Europa, podiam ter criado soluções alternativas para o Estado Social. Optaram pela via gestionária, gerir aquilo que está. Portanto, criou-se uma situação de alternância sem alternativa. O que é hoje o PS? Ainda há socialismo no PS? Ainda se fala de socialismo? Ainda se fala de soluções alternativas? Ou, como dizia o general, as pessoas hoje estão nos partidos mais para resolverem os seus problemas pessoais do que por ideologia?
Esse discurso dá a entender que este já não é o seu PS ou que já não se revê neste PS.
Claro que já não me revejo neste PS. O que não quer dizer que este PS não tenha socialistas ou que entre aqueles que votam e apoiam o PS não haja muitos socialistas. Mas num partido político há vários níveis, o das estruturas dirigentes, o das estruturas intermédias, as bases e ainda há os votantes. Aquilo que eu chamei de nomenclatura, bem, hoje é uma coisa impenetrável.
O aparelho partidário?
Sim, aquilo a que se pode chamar o aparelho partidário, que são as estruturas, os que estão à frente da direcção nacional, das direcções intermédias, das federações, nas autarquias. Isso é um muro perfeitamente impenetrável. O PS ainda se move por alguma ideologia? Qual é a diferença hoje entre as políticas de um Governo conservador e as políticas gestionárias? Haverá diferenças de estilo. E aqui, neste Governo, houve uma mudança importante nas questões dos costumes. Fez a interrupção voluntária da gravidez, a paridade, a procriação medicamente assistida. Foram coisas significativas que, em outros momentos, o PS não tinha feito. Mas, nas políticas sociais, a ideia que se cria é esta: é necessário fazer reformas para garantir a sustentabilidade da Segurança Social e do Serviço Nacional de Saúde. Mas estamos a fazer reformas ou estamos a fazer contra-reformas? Eu sei que as pessoas vivem mais tempo, há uma diminuição demográfica, há um peso migratório. As condições mudaram. Mudaram também as condições do processo produtivo. Mudaram as condições sociais. Sei que é preciso fazer reformas. Mas o que me pergunto é qual o sentido das reformas? Será que não há alternativas? Penso que o papel dos socialistas é criar soluções alternativas. É fazer as reformas no sentido de garantir a viabilidade e de reforçar os serviços públicos, não de os esvaziar, como é hoje a receita única.
Essa procura faz-se criando uma nova força política ou faz-se dentro do PS?
As alternativas que apareceram foi através de movimentos de cidadãos, quer a minha candidatura à Presidência da República, quer depois as eleições intercalares à Câmara de Lisboa, com os resultados que são conhecidos. Mas os partidos existem e têm de existir. Só que é muito difícil mudar um partido por dentro. Portanto, como fazer? Eu não tenho uma solução milagreira no bolso. De facto, eu tive aqueles votos todos nas presidenciais. As pessoas estão muito desesperadas, há muita gente que se me dirige. Eu fico, por vezes, numa situação incómoda, porque eu não sou uma Santa da Ladeira, nem nenhum santo milagreiro. Sou uma pessoa que se bate por convicções. Sou contra as soluções providenciais em política. Mas isto é muito difícil. Por um lado, a grande dificuldade de mudar um partido por dentro. Por outro lado, sei que as pessoas desconfiam hoje dos partidos e a tendência é mais para movimentos de cidadãos. Mas há muita gente ligada ao PS que é gente boa, quer nas suas bases, quer nos seus dirigentes, quer nos seus votantes. Penso que é preciso criar aqui um mecanismo de debate e uma corrente de opinião de socialistas, que debata, para dentro e para fora, e que ponha as coisas a mexer, para dentro e para fora. Para quebrar uma muralha de betão armado.
Como é que isso se organiza?
É uma corrente de militantes socialistas. Por isso, eu convoquei [para amanhã] uma reunião de militantes. Mas não é só para disputar eleições concelho a concelho, secretariado a secretariado. É para tomar posições públicas e para discutir o que é essencial, que é o saber o que é ser socialista. Tem sentido ser socialista? Pode haver alternativas socialistas? Passou o tempo da utopia socialista, em que acreditávamos que era possível criar outra sociedade através da colectivização dos meios de produção, da abolição da exploração do homem pelo homem, etc. Mas ficou o Estado social. Portanto, como garantir o Estado social? Como garantir uma democracia em que direitos políticos e direitos sociais sejam inseparáveis? Discutir isso e criar um movimento de opinião que arraste as pessoas e que modifique esta situação. Vimo-lo recentemente: a opinião de algumas pessoas ou os movimentos de cidadãos têm força. Estas coisas são um processo, não é algo que se faça por decreto.
Disse que, às vezes, está numa posição incómoda. Ainda se sente representante do mais de milhão de votos que recebeu?
Houve 1.130.000 pessoas que votaram em mim. Mas, como em qualquer eleição, os votos diluem-
-se depois da eleição. Não ando com aqueles votos à trela. Isso cria uma responsabilidade. Por ter tido os votos, por ter feito a campanha que fiz e por que há muita gente que continua ligada a mim, muitos se me dirigem. Agora, esse milhão de votos não é uma coisa estruturada. As pessoas votaram para uma finalidade.
Como vê o desafio que lhe foi lançado por Medeiros Ferreira, na Visão, de que seja o próximo candidato do PS às Presidenciais de 2010?
O Medeiros Ferreira é especialista em lançar candidaturas de outros. Por que é que ele não lança, finalmente, a sua própria candidatura?
Ao fim de dois anos, como vê o desempenho do mandato de Presidente por Cavaco Silva?
É uma presidência com um estilo e uma visão próprios. Em questões de costumes, com uma posição conservadora. Nas questões sociais, com mais sensibilidade do que, por vezes, o próprio Governo ou sectores do Governo. Tem feito uma presidência que garante a governabilidade. Sem conflitos excessivos. Prudente. Também chamando a atenção para algumas questões, como a corrupção e a justiça mais recentemente. No estilo do actual Presidente, é uma presidência globalmente positiva. Mas numa situação como que estamos a viver, de crise e de bloqueio, quando um general como Garcia Leandro vem dizer o que diz, o Presidente tem de estar muito atento e tem de ter várias maneiras de intervir, no sentido de abrir janelas para as pessoas respirarem e voltarem a ter esperança. Esse é também o papel do Presidente: motivar, dar esperança, dar confiança e ter intervenções que possam desbloquear aquilo que parece irremediavelmente bloqueado.

Anónimo disse...

O risco de uma Maria da Fonte
08.02.2008

Alegre esclarece que criticou políticas e não pessoas. E insiste que não se deve destruir o Serviço Nacional de Saúde, nem fechar cursos nas universidades, só para obedecer a uma lógica de mercado.
Sente-se responsável pelo facto de Correia de Campos ter sido demitido?


Não. Eu fiz as críticas que fiz à política, não à pessoa. Disse a minha opinião, que ele não tinha condições de continuar, mas nunca pedi a substituição. E não nomeei ninguém. A nova ministra esteve na minha comissão de honra, mas eram mais de 500 pessoas. Critiquei uma política que, no meu entender, é incompreensível, com medidas desgarradas, não explicadas, e que produziram as consequências que toda a gente sabe. Disse-o ao próprio ministro. Mas a verdade é que houve movimentos de cidadãos em protesto por todo o lado. E essas coisas quebram o consenso sobre a própria democracia. Levam as pessoas a descrer das instituições. Temos o país que temos. No interior, já quase não existe nada e, quando se fecham serviços públicos em certas zonas onde já não há nada, fica menos que nada e as pessoas sentem-se desamparadas, abandonadas pelo Estado democrático e revoltam-se contra ele ou contra o Governo. As reformas têm de ser feitas de forma que as pessoas percebam e só se pode fechar quando há uma solução alternativa. Não foi para isto que se fez o 25 de Abril, a democracia e o Serviço Nacional de Saúde, para as pessoas andarem na rua à espera de uma Maria da Fonte qualquer ou de um salvador qualquer, seja ele quem for.
A remodelação foi suficiente? O que acha da política de educação?
Estive numa reunião, em Gaia, onde estavam muitos professores e fiquei muito impressionado com a maneira como os professores se sentem humilhados, desapossados da sua dignidade. Não se faz uma reforma nas escolhas contra os professores e sem os professores ou humilhando os professores ou deixando os professores de fora da gestão ou fora das soluções, ou regressando ao papel de director, que ainda por cima pode ser alguém de fora da escola. Para já não falar do ensino superior. Fizeram coisas que põem em causa aquilo por que nos batemos nos anos 60, a autonomia, a gestão democrática.
Como vê a possibilidade, derivada de Bolonha, de cursos de menos de 20 alunos fecharem? Até que ponto isso pode prejudicar a investigação e o saber em Portugal?
Há casos e casos. Mas não se pode submeter o ensino à lei do mercado, a critérios puramente mercantilistas. E há algo em Bolonha que tem essa lógica. A lógica de submeter o ensino e as escolhas que são feitas à rentabilidade e à lógica de mercado. Pode haver um curso de 20 alunos de Física Quântica, por exemplo, que seja necessário. O Grego pode não ter 20 alunos, mas é importante. É preciso saber as raízes da língua. Vi a notícia de que se ia fechar a Faculdade de Letras. Isso é terrível. As Humanidades são fundamentais. Seria um crime. Primeiro que tudo, a língua. É preciso uma cultura clássica. Mesmo para a Ciência. Essa visão unilateral do ensino só voltado para a Matemática, para o Inglês, para o mercado e para a emp

Anónimo disse...

A indiferença

Primeiro levaram os comunistas,
Mas eu não me importei
Porque não era nada comigo.

Em seguida levaram alguns operários,
Mas a mim não me afectou
Porque eu não sou operário.

Depois prenderam os sindicalistas,
Mas eu não me incomodei
Porque nunca fui sindicalista.

Logo a seguir chegou a vez
De alguns padres, mas como
Nunca fui religioso, também não liguei.

Agora levaram-me a mim
E quando percebi,
Já era tarde.

Bertolt Brecht

Anónimo disse...

Nas próximas legislativas voto no LNEC!

Se as decisões políticas envolvendo os maiores investimentos públicos assentam nos preâmbulos dos relatórios do LNEC, sem sequer os lermos, faz todo o sentido votarmos no LNEC deixando a este questões menores com a escolha do primeiro-ministro. Mas como vivemos e democracia não faria sentido votarmos num laboratório único, a CIP poderia candidatar-se propondo o seu grupo de estudos e as próprias universidades poderiam apresentar as suas candidaturas. Teríamos a certeza de que o próximo governo actuaria de forma científica, não havendo o rico de alguém confundir o Tejo com o Estreito de Gibraltar, vendo camelos onde seria de esperar que pastassem vacas leiteiras.

Depois de eleito o LNEC procederia à avaliação curricular dos candidatos a governantes que poderiam ser contratados por concurso ou por nomeação directa do presidente do LNEC. Teríamos a certeza de que os doutores eram mesmo doutores e os engenheiros eram engenheiros para depois não andarmos a perder tempo com avaliações curriculares ou de carácter dos governantes. Da mesma forma que ninguém conhece os especialistas que elaboram os estudos do LNEC também não teríamos necessidade de saber quem era o primeiro-ministro ou os ministros, o que não seria novidade, ninguém sabe quem são os secretários de Estado, dois terços dos ministros raramente aparecem e o primeiro-ministro vai aparecendo e desaparecendo mis ou menos ao ritmo da Lua.

O Presidente da República é o exemplo da sapiência nesta matéria, enquanto foi jovem e primeiro-ministro decidiu tudo sozinho e nem para remodelar a sua vivenda Mariani recorreu ao LNEC, agora que chegou à idade da sabedoria confia cegamente no LNEC, decisão adoptada com base num estudo do LNEC tem mais força que os direitos constitucionais. Com o LNE a governar Cavaco Silva poderia dedicar-se tranquilamente aos seus roteiros e ainda lhe sobrava tempo para fazer uns carapaus alimados.

O país viveria tranquilo, os Litérios deixariam de mobilizar reuniões, o bastonário da Ordem dos advogados seria um homem feliz e mais elegante, a procuradora Maria José usaria menos rímel em busca de uma beleza utópica, Santana Lopes poderia voltar a andar por aí, Menezes regressaria à pediatria e Sócrates poderia voltar aos projectos pois com a vaga de portugueses que fogem para o estrangeiro não lhe faltariam projectos para assinar."
O JUMENTO

Anónimo disse...

Admiro o sr. lic. em engª José Sousa

É verdade.... Admiro o sr. engenheiro, licenciado em engenharia, engenheiro técnico ou agente técnico de engenharia José Pinto Sousa mais os seus denodados esforços para desburocratizar e simplificar estas tretas das burocracias nacionais, velhas de mais de 860 anos.

Ainda ontem tive oportunidade de rever um pouco desse original e curioso filme de Joel Schumacher (com Colin Farrell ) que é "Cabine telefónica" (Phone Booth). E não é que a personagem interpretada por Kiefer Sutherland (que, tanto quanto me lembro, só aparece, físicamente, uns escassos segundos no final do filme, se bem que em 80% do filme se ouça a voz dele, em off, ao telefone...), para ser identificada, em português, teria de ser algo como "o sacana do psicopata que é interlocutor do "herói", o gajo que está ao telefone, no outro extremo da linha...", enquanto que, em inglês, fica perfeitamente definido e identificado como "the caller".

Já viram a diferença? Como é fácil em inglês e tão complicado em português?

Adicionalmente, sendo Portugal o 2º país mais antigo da civilização ocidental, ninguém, como nós, tem tantos anos de burocracia, de nós ensarilhados, para desatar....

É um trabalho homérico. Desatar tantos e tão górdios nós de burocracias e burocratas, acumulados ao longo de quase 9 séculos... e com estruturas tão enredadas, tão complexas, tão rebarbativas.... é dose para leão.... (e, ao que parece, o sr. torce pelas águias...pois... já se tinha visto a sua queda para o vermelho ..... desmaiado..., muito desmaiado (assim tipo "rosinha"...) ).

É por estas e por outras que admiro o sr. lic. em eng. José P Sousa. Também admiro -porventura ainda mais, se é que tal é possível- o sr. Nelo Damião. E não é que (deve ser por nos estarmos a aproximar do dia 14 de Fevereiro...) sinto mais a falta deste?

O que eu e o nosso amigo zé do telhado nos temos divertido, ao despique, a fazer a corte às empregadas das caixas do Pingo Doce e do Continente..... Tudo mercê dos ensinamentos do Nelo mais do seu irmão Quim. Que parelha de pândegos. Mas bons professores..... E com ideias muito originais .... E ideias que funcionam....

Olha, que engraçado.... "ideias que funcionam" seria também um bom nome para outro programa do género das "Novas Oportunidades" ou da "Porta 65". Ná... afinal.... talvez não... é que parece que a porta 65 está muito emperrada nos gonzos... não abre.

Postado por pierre de sacplein

Anónimo disse...

Teria sido na Escola de Carregueiros?

A professora pergunta aos alunos:
- Se estiverem cinco passarinhos num ramo de uma árvore e tu atiras num
deles. Quantos ficam?
- Nenhum! - Responde o João - Todos fogem com o barulho do tiro.
A professora fica surpreendida com a resposta:
- Não era essa a resposta que eu esperava, mas gostei do teu raciocínio!
- Posso fazer-lhe uma pergunta, senhora professora? - Pergunta o menino.
- Podes, João.
- Três mulheres estão sentadas no muro da capela a comer gelados.
Uma está a lamber, outra está a chupar e a terceira está a mordiscar.
Qual delas é a casada?
A professora fica vermelha, mas responde, timidamente:
- A que está a chupar...
- Não senhora! A casada é a que tem aliança no dedo, mas eu gostei do seu raciocínio...

Anónimo disse...

hi hi hi hi hi hi hi hi

Anónimo disse...

Gosto muinto dos voços comentarios todos mas acho que deviam esforssarsse para iscreverem cem erros...

Anónimo disse...

Uma vez, há muitos, muitos anos, um homem de idade já avançada regressou à sua aldeia natal (seria Carregueiros?) após uma longa vida passada a viajar e a viver de expedientes quase sempre desonestos.
No segundo dia foi logo de manhã à igreja e pediu ao padre, homem de 60's e muitos, para se confessar.
O padre perguntou-lhe porquê tanta pressa e ele respondeu que a sua vida tinha sido tão cheia de pecados que ansiava por se penitenciar. Foram para o confessionário e o padre ouviu o rol de pecados durante quase 2 horas. No fim disse embasbacado:
- Ó homem, há mais de 40 anos que sou padre e nunca ouvi nada assim, tanto pecado e de que qualidade!!!
- Pois é sr. padre, percebe agora a razão da minha urgência? E agora, que penitência me dá?
- Olha meu filho, vais rezar 200 avés-marias e 400 padres-nossos, e uma vez que muitos dos teus pecados foram motivados pelo dinheiro, vais dar uma nota de 500 escudos (estávamos nos anos 50) à primeira pessoa com quem te cruzares à saída da igreja!!
E assim foi. O homem rezou, rezou durante horas, e quando finalmente saiu da igreja de nota em riste, viu passar uma "chica muy guapa" e dirigindo-se-lhe disse:
- Olhe menina, aqui estão 500 escudos para si!
- Oh...olhe que o mínimo que eu levo é 1 conto e quinhentos!!
- Mas ali...o sr. padre...disse...
- Mas o sr. padre é um cliente antigo!!!

Anónimo disse...

Um militar em serviço na Guiné em meados dos anos 60, passou 6 meses no mato. Quando ao fim desse tempo regressou ao quartel, passou por um alferes na parada e perguntou-lhe:
- Desculpe, meu alferes, será que me pode dar uma informação?
- Diga lá!
- Não há aqui mulheres para um gajo poder distrair-se? Sabe, é que eu e os meus colegas acabámos de regressar do mato! Estivemos lá 6 meses, t'á a ver como é, não é?
- Ó homem, aqui dentro da unidade não há mulheres. Havia e ser o bom e o bonito!!
- É pá, então como é que um homem que já não vê saias à meses se desenrasca?
O alferes reflectiu e por fim disse:
- Olha, há aí um chinês...se você não for esquisito!!
- Porra, disse o soldado, mas pensando segunda vez disse:
- Bom, que se lixe, em tempo de guerra não se limpam armas! Vamos a isso!!!
Dis o alferes:
- Okay, vou tratar disso, mas este assunto fica entre nós os cinco!
- Nós os cinco?!!! Quais cinco?
- Então, são precisos mais dois para agarrar o chinês!!!

Anónimo disse...

Ena, tanta alimária à boa vida e a querer continuar a não fazer nada.
Arranjem um emprego, cambada de madraços, vadios, parasitas da sociedade! Querem ir para a política que é o que melhor sabem fazer: NADA!

Anónimo disse...

E tu, madraço-mor, a controlar!
Não é!
Vai também trabalhar que tens bom corpo.

Anónimo disse...

Bandidos, velhacos, inúteis, vão arranjar trabalho para ver o que custa ganhar a vida sem ser a despejar porcaria pela boca fora!
Vadios, ao menos façam alguma coisa sem ser vir para aqui atirar-se aos outros sem razão nenhuma.
Estropícios, tenham vergonha!!!!

Anónimo disse...

Tem razão o anónimo anterior! Esse pessoal que vem aqui escrever anormalidades havia era de se preocupar com outras coisas.
E pena não estar cá o "Batata". Esse sim é que os chamava pelo nome certo.

Anónimo disse...

Um dia estavam 3 pintores de construção civil a pintar um prédio no 6º andar num andarme suspenso. Dois eram brancos e o terceiro era preto. Em dada altura diz o preto:
- Xi pô, tou à rasca prá cagá!
Um dos colegas diz-lhe:
- Então vai à casa de banho!!
Diz o preto:
- Tenho medo do patrão vai vê quê não tou cá...mi dispede!!!
Os colegas lá o convenceram que não havia problema e o preto saiu do andaime e foi à casa de banho. Estava o preto "à cagá" quando um cabo do andaime se partiu e despenhou-se na rua com os dois pintores que morreram imediatamente.
Durante o velório apareceu o dono da empresa que disse solenemente:
- Para remediar esta desgraça o melhor que posso vou dar a cada viúva 1 vivenda, 1 carro e 2.000 euros por mês para as desesas. Também vou pagar os estudos dos filhos até acabarem a universidade mais 750 euros por mês como dinheiro de bolso enquanto andarem a estudar.
Ao ouvir isto a mulher do preto deu-lhe um grande safanão e disse:
- E tu à cagá, né???!!!!!

Anónimo disse...

«Ou será que estamos a ser controlados pela maçonaria, que impede Tomar de se desenvolver mais que os concelhos vizinhos?»

Na mouche!
- A moçonaria de Abrantes tem muito peso, e o pior é que já não é a única da região a deitar cartas. Paiva apercebeu-se a tempo e zarpou.
Tomar ficou com as pedras. os "pedreiros-livros" e os "homens da avental" fugiram para longe.

Anónimo disse...

O conspirador anterior deveria estar a referir-se ao "moços" socialistas de Abrantes quando escreveu «A moçonaria de Abrantes tem muito peso».

Mas nós percebemos onde ele quis chegar.

O jardinheiro infiel

Anónimo disse...

Coitadinhos dos obstipados mentais que poluem o ar de Tomar. Mais valia estarem a dormir que a fazer asneiras como se vê. Atrranjem ocupação, cambada de madraços, filhos da boa vida, enteados da preguiça congénita.

OCUPEM-SE!!!!!!!!!!!

Anónimo disse...

Nunca interrompa quando alguém fala!


O Joãzinho achou tão excitante o que tinha visto que não se conteve e correu para casa contar à mãe.

- Mãe, mãe, eu estava no pátio da escola, quando vi o carro do pai ir para o bosque com a tia Lídia.
Fui atrás para ver e o pai estava a dar um grande beijo na tia Lídia .... depois ele ajudou-a a tirar a blusa, depois a tia Lídia ajudou o pai a tirar as calças e depois a tia Lídia...

Nesse ponto, a Mãe interrompeu-o e disse:

- Joãozinho, essa é uma história tão interessante que vais guardá-la para a contar à hora do jantar!... Quero ver a cara do pai, quando lhe contares tudo isso, à noite.

Ao jantar, a mãe pediu ao Joãozinho para contar a história.

- Eu estava a brincar no pátio da escola quando vi o carro do pai ir para o bosque com a tia Lídia. Corri para ver. Ele estava a dar um grande beijo à tia Lídia. Ajudou-a a tirar a blusa e a tia Lidia ajudou o pai a tirar as calças e depois a tia Lídia e o pai começaram a fazer as mesmas coisas que a mãe e o tio Jacinto fazem, quando o pai não está em casa!

A mãe desmaiou!

Moral da história: às vezes, é preciso ouvir toda a história antes de a interrompermos....

Anónimo disse...

Há uns anos atrás, numa aula de um dos anónimos deste blogue, a professora informou:
-Meus senhores, na próxima aula haverá exame, e não aceito desculpas, quem não o fizer reprova.

Logo o anónimo, como é costume armado em esperto mas pouco chegado à inteligência vociferou:
- Ó professora, então e se a razão for extensa fadiga sexual?

A professora, segura de si e não perdendo a compostura respondeu:
- Não é problema, se não puder usar a mão direita pode usar a esquerda, e se tiver dificuldade em sentar-se, pode fazer o exame em pé.


De um vosso amigo.

Anónimo disse...

CARTA EDUCATIVA DO CONCELHO DE TOMAR

DECLARAÇÃO DE VOTO

Os Vereadores Independentes por Tomar, sem pretenderem pôr em causa o interesse e a necessidade deste “instrumento de planeamento e ordenamento prospectivo de edifícios e equipamentos educativos a localizar no Concelho de acordo com as ofertas de educação e formação que seja necessário satisfazer, tendo em vista a melhor utilização dos recursos educativos, no quadro do desenvolvimento demográfico e socio-económico do Município”, entenderam que a sua complexidade e as implicações futuras impunham que se tivesse procedido ao envolvimento de toda a comunidade educativa.

Para tal efeito apresentaram a seguinte P R O P O S T A

“A Carta Educativa do Concelho de Tomar em apreciação reveste-se de uma importância estratégica, com implicações directas no progresso e no desenvolvimento socio-económico do Concelho e das suas freguesias.
Ora, da análise da sua eventual implementação, verificamos que existem situações que poderão levar ao esvaziamento e à desertificação de grandes zonas do Concelho, as quais são contrárias ao seu desenvolvimento integrado e solidário.
Tendo em conta o exposto e, como este documento não teve a participação directa de entidades que, em nosso entender, deveriam ter sido obrigatoriamente ouvidas, nomeadamente, as Assembleias de Freguesia, as Associações de Pais, os Conselhos Executivos de Escolas, é dever dos Vereadores Independentes por Tomar
P r o p o r
que o Executivo delibere tomar conhecimento da proposta de Carta Educativa do Concelho de Tomar e que, antes de sobre ela deliberar, proceda ao envolvimento de todas as entidades que fazem parte do processo educativo, da forma seguinte:
a) Distribua, de imediato, cópias deste documento a todos os Conselhos Executivos, Presidentes de Assembleia e de Junta de Freguesia e aos Presidentes de Associação de Pais de cada Escola do Concelho, Escola Profissional, Centro de Formação Profissional, Instituto Politécnico, Escolas Artísticas e de Música, permitindo, assim, possibilitar a sua directa participação, com o objectivo de valorizar este documento estratégico;
b) Organize um debate público no Auditório da Biblioteca Municipal, para o qual convide, desde já, todas as entidades atrás indicadas, bem como a Comissão de Acompanhamento do PDM na Assembleia Municipal, o Conselho Municipal de Educação, a realizar num sábado (para viabilizar a participação de todos), onde a equipa técnica deverá apresentar a proposta de Carta Educativa.”


Lamentavelmente, a maioria PSD decidiu reprovar esta proposta, impossibilitando assim que outros contributos pudessem valorizar este estratégico documento, eventualmente com propostas e sugestões que permitissem corrigir as perspectivas e opções, as quais conduzem à desertificação de algumas freguesias e ao seu estrangulamento socio-económico.

Os Vereadores Independentes por Tomar, tendo em vista a sustentabilidade do processo educativo do Concelho entendem que algumas das propostas e de opções tomadas representam uma ameaça, essencialmente pelo seguinte:

- a inexistência de Centros Escolares nas freguesias de Além da Ribeira, Alviobeira, Beselga, Junceira, Olalhas, Pedreira e Sabacheira é susceptível de provocar uma diminuição qualitativa da oferta de ensino e pôr em causa o princípio da proximidade do aluno à escola, obrigando-o a efectuar uma deslocação exagerada em percurso e em tempo;
- a alteração da rede escolar proposta não se apresenta fundamentada do ponto de vista geográfico e socio-económico para as opções tomadas, o que não permite a sua compreensão;
- a actual proposta de implementação dos Centros Escolares e a distribuição dos alunos pelos agrupamentos, que deveriam visar, não só a optimização de recursos, mas também a diminuição de assimetrias e a procura da igualdade de oportunidades para toda a população do Concelho, pode levar a que não se atinjam tais desideratos, tendo em conta a referida falta de fundamentação, colocando-se sérias dúvidas à sua localização e à real dimensão de algumas das unidades educativas;


É importante que as decisões que agora se tomem sejam as que melhor servem os interesses de TODO o Concelho, pelo que decisões pouco reflectidas e pouco participadas, tal como a actual maioria pretende, não contribuirão por certo para a qualidade do ensino e para a eficiência do processo educativo.

Face ao exposto, não resta aos Vereadores Independentes por Tomar neste momento outra alternativa, que não seja votar contra.

Tomar, 19 de Fevereiro de 2008

OS VEREADORES INDEPENDENTES por TOMAR;
Pedro Alexandre Ramos Marques
António Rosa Dias

Anónimo disse...

Um dia estavam um benfiquista e um sportinguista a ouvir o relato no rádio do carro na Cerrada dos Cães.
De reprente o corpo do sportiguista começou a descer e desapareceu.
Como se chama este fenómeno?












BROCHEDO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!1

Anónimo disse...

Isto vai bonito, vai!! Agora até já andam a inventar "maçons" em Tomar? À falta de melhor porque não? E eu a pensar que em Tomar só havia bêbados e desocupados...

Anónimo disse...

Não são maçons, são moçons (boys)!

Anónimo disse...

DITADO DO DIA:

O AMOR É COMO O FÓSFORO.
SÓ ARDE ENQUANTO HÁ PAU.

Anónimo disse...

Maçons?
- Porque não.
Aliás, não foi também por um acordo de aventais que o Paiva foi para Coimbra.
Não sejam ingénuos. Eles andam aí.

Anónimo disse...

Certo dia um homem entrou para a carruagem do comboio na ~estação de Tomar e sentou-se em frente duma rapariga muito bem vestida e perfumada. Passado algum tempo começou a aperceber-se do perfume dela e, fechando os olhos, aspirou profundamente o ar revelando um ar de grande satisfação. Ao ver isto, a rapariga disse:
- Gosta, não gosta? É Chanel...7 contos e quinhentos o frasquinho de 50 ml!!
Ele ouviu e calou. Passados alguns minutos largou uma prolongada bufa. Ela ao aperceber-se do cheiro franziu o nariz e mostrou desagrado. Ao ver isto ele disse:
- Olhe, é feijão catarino...125 "milréis" o litro!!!

Anónimo disse...

Eu diria mais: ela anda aí!!!

Anónimo disse...

AS SETE MARAVILHAS DE TOMAR:

A ROTUNDA CIBERNÉTICA
O NOVO MOUCHÃO PARQUE
O NOVO PRESIDENTE DA CÂMARA
A ENTRADA DE TOMAR PELO LADO DO ENTRONCAMENTO
A ENTRADA DE TOMAR PELO LADO DAS ALGARVIAS
A ESCADARIA DA SRA DA PIEDADE
A FILHA DA MINHA VIZINHA DO ÚLTIMO ANDAR

Anónimo disse...

AS SETE PORCARIAS DE TOMAR (NÃO NECESSARIAMENTE POR ORDEM DE IMPORTÂNCIA)

O SR. DO PS DE TOMAR BARBADO E MAL VESTIDO
O SR. DO PSD DE TOMAR ADVOGADO E MAL SUCEDIDO
A SRA DA CÂMARA DE TOMAR LOIRA E MAL F...
O SR. DA BATINA DE TOMAR VELHO E MAL DISPOSTO
O SR. DA ADEGA DE TOMAR LERDO E DE MAU GOSTO
O SR. DA FARDA DE TOMAR INCULTO E CAPCIOSO
A SRA DO EMPREGO DE TOMAR GORDA E MENOPÁUSICA

Anónimo disse...

E OS SETE ÓSCARES DE TOMAR VÃO PARA:

1 - Proprietária do restaurante/pizzaria "Bella Italia" pela coragem em "deslocalizar" para a zona morta da Corredoura/Praça da República. Será uma verdadeira pedrada no charco no marasmo daquela zona. Boa sorte.

2 - Proprietário da única livraria digna desse nome situada na Praça da República pela coragem que demonstrou ao abdicar duma vida na capital para vir estabelecer-se numa pequena urbe interior. Boas leituras e boas vendas.

3 - Hipermercado Modelo por transportar Tomar para a era tecnológica. Ena! Já temos uma escada rolante no quintal do Gualdim. Que nunca lhes falte energia eléctrica.

4 - Ivo Santos, por nunca ter cumprido o que em tempos prometeu: uma espécie de praça Sonny no lugar do extinto Cine-Esplanada. Se o tivesse feito para que serviria? Para trazer cá quem? Tony Carreira, o Carreira Júnior? Fernando Correia Marques? Emanuel? Qualquer outro pimba, enquanto aqui bem perto (T.Novas) vieram Gustavo Santaolalla, Kusturica, Wim Mertens, Rodrigo Leão?
Está melhor assim...

5 - De novo o hipermercado Modelo pela perfeita técnica de vendas que exibe, por via da sua novel loja Worten, onde entre outros se vendem monos que já deram 3 ou 4 voltas a Portugal. A intensidade luminosa e a sensação de "open space" dada pelas paredes de vidro, atrai gente como m... atrai moscas!!!

6 - Corpo da Polícia de Segurança Pública de Tomar, pelo afã com que persegue e autua a esmo os automobilistas confrontados com cada vez menos espaços de estacionamento e assim empurrados para a transgressão. Com veneráveis excepções, convem frizar, como por exemplo a zona da Diamecon (não vá o sr. doutor ficar chateado.

7 - A Empresa Platex que consegue sobreviver imune às inúmeras atrocidades ambientais que comete sobre o rio Nabão, perante o marasmo das entidades competentes para intervir no assunto.

Anónimo disse...

PEQUENAS/GRANDES SUGESTÕES:

1 disco: "HEY EUGENE" - dos Pink Martini

1 DVD : "THE ELEPHANT MAN" - Ópera de Laurent Petitgirard

1 Perfume para a amada : "FEMINITE DU BOIS" - da Shiseido

1 livro: "MILA 18" - de Leon Uris

1 passeio: Monsanto e Penha Garcia

1 filme : "EYES WIDE SHUT" - de Stanley Kubrik


...e deixem-se de pensar em politiquices de pacotilha que só dão ainda mais cabo do que resta da mioleira...

Anónimo disse...

G'anda balhadoquice!

Tomar é uma terra séria. Composta por gente séria. Políticos honestos. Funcionários e operários que trabalham arduamente para sustentar famílias exemplares.

O que é querem insinuar?

Anónimo disse...

Ora! Eu quando era pequenito também vi o filme "Alice no País das Maravilhas". Era aquilo a que agora se chama "realidade virtual"...é o caso!!!

Anónimo disse...

seriedade? Ho ho! Muita!

Anónimo disse...

Os erros de Sócrates

Passados três anos desde que Sócrates conquistou a maioria absoluta nas legislativas de 20 de Fevereiro de 2004 onde errou Sócrates?

Na Educação

Centrou a reforma do ensino nos professores fazendo passar a ideia de que estes profissionais são a causa de todos os males o que acabou por levar muitos deles a uma posição de marginalização em relação às mudanças implementadas.

Na Administração Pública

Neste sector a montanha pariu um rato, a reestruturação dos serviços foi uma farsa, os métodos de gestão foram inalterados e as medidas visando a redução do número de funcionários apenas serviram para lançar o pânico e a desmotivação generalizada dos funcionários.

No Défice

O combate ao défice público foi conseguido à custa do aumento dos impostos que penalizaram os mais pobres, o sucesso na cobrança de dívidas serviu para pagar as dívidas vendidas ao City Bank. Apesar da tão propagandeada modernização da máquina fiscal nada se fez neste domínio, a modernização lançada por Sousa Franco acabou por ser travada por este governo, que pouco fez neste domínio, para além de seguir critérios duvidosos na escolha dos dirigentes da máquina fiscal, para alegria de grupos de interesses manhosos associados ao lumpen do PSD fiscal.

Na Economia

Sócrates não tem um projecto para a economia portuguesa, o seu ministro das Finanças cuida do défice e o da Economia propagandeia as vantagens de trabalhadores baratos e submissos. A política económica de Sócrates pouco mais é do que défice e Plano tecnológico, o primeiro com impacto financeiro nas contas do Estado e o segundo mais virado para a publicidade.

Na Saúde

Permitiu que a reforma morresse na praia cedendo às manifestações de um autarca chamado Litério e ao medo das iniciativas políticas de Manuel Alegre.

Nas Obras Públicas

Ao mesmo tempo que prosseguiu com o discurso da independência em relação aos grupos de interesses Sócrates permitiu que todas as grandes decisões sejam condicionadas pela CIP. Entretanto ministro vai dizendo uns disparates para divertir o povo.

Na gestão Imagem

Muito cuidadoso na gestão da sua imagem Sócrates permitiu que personalidades cinzentas se tenham transformado no Jet Set do seu poder graças ao recurso à comunicação social ao uso e abuso do poder. Exemplos disso foram a actuação da directora da DREN e os excessos propagandísticos do inspector-geral da ASAE. Uma boa parte da má imagem de Sócrates resulta de gente que se comporta como pitbulls, alguns vindos directamente do canil PSD para o apoio a personagens secundárias do PS.

Na Agricultura

A preocupação do ministro da Agricultura tem estado tão centrada na reforma do ministério que há muito que deveria ter sido despromovido para subsecretário de Estado do secretário de Estado da Administração Pública entregando a política agrícola ao cuidado da REPER, em Bruxelas, já que o pouco que se vai fazendo são as negociações no âmbito da Comissão.

No convívio com o seu Passado Pessoal

Sócrates não foi suficientemente humilde para assumir que teve que se “desenrascar” para ter o canudo e para ganhar a vida, algo que pode suceder a qualquer cidadão. O seu currículo académico e profissional sugere uma pessoa mais humilde e menos arrogante, daí que estas questões tenham ganho dimensão, não bate a bota com a perdigota."

O JUMENTO!

Anónimo disse...

Ó burro porque é que nos estás sempre a chatear com teorias de La Palise, coisas que toda a gente sabe, porque as sofre na carne?
Deixa-te de discursos, vira o disc e deixa andar os ursos. Escreve sobre coisas alegres, por exemplo, das notícias das capas das revistas cor-de-rosa...

Anónimo disse...

Da geração cor-de-rosa.

Vivam as rosas,
Os socialistas e o Sócrates.
Viva a imprensa cor-de-rosa:
as revistas de cordel
e os jornais de papel rosa.
Viva o jet-set e o BCP.
Viva o Benfica e a sua nova camisola.
Viva a Pantera que também já foi rosa.
E viva o Rosa Dias que antes de o ser já o era.

Anónimo disse...

AS SETE PARTIDAS DE TOMAR

1 - A partida da Polícia Judiciária fez de Tomar uma cidade mais exposta à marginalidade, é do sendo comum. Mas afinal queremos ou não que esta terra seja a terra das oportunidades...para todos, é claro!!!

2 - A partida da GNR apanhou alguns de surpresa (não contabilizemos aqui a falsa surpresa do ex-presidente Paiva), reavivando em alguns sentimentos de insegurança. Mas agora pergunto eu: notou-se a falta desta força policial?

3 - A partida do MAP roubou à cidade mais alguns postos de trabalho, não terá roubado cidadãos. Afinal só as contas da estatística é que se ressentiram. Incómodos haverá para quem pretender obter licenças que só neste serviço eram concedidas. Mas afinal viver numa terra pacata, pacatinha, tem os seus custos, não é verdade?

4 - A partida do balcão do cicadão roubou a alguns a possibilidade de obter documentos a baixo preço e de forma rápida, sem custos em termos de perdas de tempo nem ausências ao trabalho. No que respeita a este último, dirão os especialistas na arte da dialéctica, trabalho é coisa em vias de extinção neste concelho, pelo que o mal revela-se de menor gravidade.

5 - A partida da estação de caminhos de ferro para uma viagem em frente de 300 mts só lembra ao diabo. Susbtituir um edifício como o actual, que embora do ponto de vista arquitectónico não seja de relevância, mas que representa uma determinada época da história dos caminhos de ferro portugueses, por um barracão de lata e zinco ondulados, é de facto partir para uma "bué de pior"...

6 - A partida sistemática para longe, bem longe de Tomar, dos formados pelo IPT, que ests estabelecimento de ensino vai, por enquanto, creditando à sociedade. É confrangedor, aterrador, e sobretudo revelador do imobilismo estrutural desta "cidade". A situação já vem de longe e não tem fim à vista.

7 - A (falsa) partida do nunca por demais celebrado eng. António Paiva, homem que sensibilizou Tomar ao ponto de cá deixar uma pleiade de sebastianistas. Homem/deus direi eu, porque vai estar em Coimbra no exercício de novas funções, e por isso lhe desejo, com toda a sinceridade, as maiores felicidades, mas também, e ao mesmo tempo, na Câmara Municipal de Tomar, ou vá alguém ousar tomar medidas que não lhe agradem a ver se a "massita" que ele vai gerir para a região cá cai! Nem um centavo, perdão, um cêntimo que são dois escudos.
A única coisa que eu desejaria era que o sr. António Paiva esquecesse Tomar. Isso sim seria uma verdadeira partida de Tomar. Mas...é bom demais para ser verdade, penso eu...de que!!!

Anónimo disse...

Então e a partida do Noite e Sol? Vê-se que não é de cá. Se visse a quantidade de orfãos qwue deixou.

Anónimo disse...

e a partida das árvores e vegetação do Mouchão;
a partida do Parque de Campismo;
a partida (rápida) das árvores junto à Igreja de Santa Maria e junto à Casa dos Cubos;
a partida do Padre Borga para mais a sul do Ribatejo;
a partida das calçadas ancestrais em seixos rolados do Centro Histórico;
a partida da Gráfica de Tomar, do Albano Barreira - canal 7 e doutras;
enfim ... nunca mais se chega ao fim do rol das partidas ... sem chegadas;

Anónimo disse...

Tem toda a razão o anónimo anterior, mas cingi-me a apenas sete exemplos escolhidos aleatoriamente para não ser exaustivo...ah, faltou-lhe referir umas das partidas mais significativas de Tomar: A PARTIDA DA BELEZA DA MATA (NACIONAL) DOS SETE MONTES PARA PARTE INCERTA.



P.S. - Não perca em breve o rol de "As 7 CHEGADAS A TOMAR".


P.S de Post Scriptum...nada de confusões.

Anónimo disse...

E a partida do convento da lista das maravilhas de Portugal?

Anónimo disse...

andam para aí uns bárbaros (sem ofensa para esse povo) a cortar as árvores à toa;
antigamente atacaram o Lino Cotralha por podar algumas árvores; foi uma guerra, apelidaram o homem de vereador seringueiro;
agora os bestuntos (ou bestontos) armados em técnicos (com o apoio dos políticos do partido dominante) cortam a torto e a direito, perante o silêncio cúmplice dos media;
é uma vergonha, um despudor;
o Lino Cotralha e o Nini Ferrera dão voltas no túmulo;
e não há forma e cortar de vez com estes selvagens, que não respeitam a história da nossa terra;
bando de insensíveis, incompetentes e irresponsáveis,
mereciam um banho nas aguas poluídas da Ribeira de Vale Florido para ver se aprendem.

Anónimo disse...

AS 7 CHEGADAS A TOMAR:

1 - A chegada, finalmente, à liça dum verdadeiro Mordomo da Festa dos Tabuleiros. Parabéns a João Vital e à sua equipa que conseguiram evitar derrapagens nos custos, demonstrar transparência total nas contas e capazes duma organização que, sendo amadora, se revelou dum profissionalismo a toda a prova. Por mim e para mim João Vital será sempre O MORDOMO.

2 - A chegada das rotundas a Tomar transfigurou a cidade. Para pior na minha opinião. Para melhor na opinião do ex-presidente Paiva e indefectíveis seguidores, ou melhor, "yes men", para quem o seguidismo é uma religião, toldando-lhes irremediavelmente o discernimento. Quem alguma vez pensou que as rotundas susbtituem as luzes de trânsito...

3 - A chegada a Tomar de intermináveis filas de trânsito acompanhadas dum léxico de "mimos" digno de registo...há que animar as ruas!!! É um problema rotundo!!!

4 - A chegada a Tomar da moda de derrubar árvores centenárias para as substituir por "pintelhitos" moribundos que nem daqui a 30 anos darão sombra que se veja. O problema não se circunscreve a Tomar. Está generalizado um pouco por todo o lado. Alguém está apostado em transformar Portugal num deserto. JAMAIS...

5 - A chegada a Tomar dos parques de estacionamento subterrâneos. Uma infeliz aposta (mais uma) do eng. António Paiva, geradores de défice e pelos vistos pouco apreciados pelos autóctones. Ele já se foi, o problema fica por cá.

6 - A chegada a Tomar da moda da relva sintéctica. Diz-se que o ex-presidente da câmara defendia a sua tese com o facto dos custos de manutenção de relvados naturais serem demasiado elevados. No entanto, mandou construir uma rotunda alimentada a água da rede pública...!!! Pelos vistos essa água só é cara para os consumidores domésticos.

7 - A (futura) chegada a Tomar de um ou mais campos de golfe...ups!!! Um delírio do ex-presidente para a Tomar Virtual. Poderá sem vergonha ombrear com outro delírio: o Parque Temático, nado-morto e de praticabilidade ainda por demonstrar.
Então acaba-se com relvados naturais e vai-se construir um campo de golfe com que tipo de relva?
Tudo isto com "LOCATION IN": TOMAR-CIDADE JARDIM

Anónimo disse...

O Paiva pela primeira vez na vida para ser subalterno, e sabem de quem: dos socialistas!
Um orgão socialista. Ele não vai gerir ele é um elemento de um órgão que integra cinco pessoas.
Olha para ele, Paiva a receber pressões dos socialistas.AH, Ah, Ah,
Já estou a vê-lo a dizer eu sempre fui independente.
Pois o Partido que lhe deu cavalaria, para ali não conta!!!
O Paiva a ceder aos barõeszinhos do PS.
É bem feita!!!
Que pior sorte um gajo pode ter: deixar o posso quero e mando e sujeitar-se a ser subalterno de um socialista.
Pelo menos esperemos que agora trabalhe mais e passeie menos!
A boa vida lá por Bruxelas chegou ao fim!!!
Ai quem me dera ser presidente de Câmara!!! este sentimento vai saltar-lhe muita vez à mona!

Anónimo disse...

Um bom ordenado disfarça muita coisa...e se for realmente bom vale a pena vender a alma...

...e para afogar as mágoas virá muitas vezes a Tomar descansar no seu duplex transformado na Alameda Um de Março...transformado mas não declarado...
UPS...lá cometi uma inconfidência...não digam nada a ninguém...reticências...reticências...

Anónimo disse...

E se alguma vez lhe apetecer visitar o Zoo de Lisboa, não vá! Encoste-se transquilamente à esquina da casa Vieira Guimarães numa manhã de sábado, entre as 11:00H e as 12:30H, e assista, calmamente e sem custos, ao desfile duma profusão de espécimes bípedes exóticos e aves raras como nunca poderia imaginar.

Anónimo disse...

...e para afogar as mágoas virá muitas vezes a Tomar descansar no seu duplex transformado na Alameda Um de Março...transformado mas não declarado...

Duplex em Tomar... com mais um apartamento em condomínio de luxo em Coimbra.
A coisa compôe-se...

Anónimo disse...

...e para afogar as mágoas virá muitas vezes a Tomar descansar no seu duplex transformado na Alameda Um de Março...transformado mas não declarado...

Duplex em Tomar... com mais um apartamento em condomínio de luxo em Coimbra.
A coisa compôe-se...

Anónimo disse...

Tudo isso pode acabar de um dia para o outro, num simples segundo!
"Deus não dorme!"
"Deus não dorme!"
"Deus não dorme!"

Anónimo disse...

Pode ter mil um apartamentos, de que lhe serve?
É um homem só!
E um homem só é um homem triste!
O que deixou para trás há-de persegui-lo toda a vida!!!!!
"Deus não dorme"

Anónimo disse...

D U Z E N T O S

«O mais antigo ‹Mais antiga   1 – 200 de 246   Mais recente› Mais recente»